Internacional

Após teste negativo para coronavírus, novo grupo de tripulantes deixa cruzeiro

Publicado


source
Cruzeiro arrow-options
Reprodução/Flickr

Segundo informações, apenas tripulantes seguem dentro da embarcação

Cerca de 100 integrantes da tripulação do navio de cruzeiro Diamond Princess, atracado no Porto de Yokohama, no Japão, que apresentaram resultados negativos nos testes do novo coronavírus, vão desembarcar nesta sexta-feira (28).

Leia também: Bolsonaro ataca imprensa e usa “fake news” para explicar vídeo compartilhado

Eles estão entre os cerca de 150 tripulantes que permanecem a bordo do navio. Muitos são estrangeiros. O grupo agora deve seguir para uma instalação do governo na província de Saitama, ao norte de Tóquio, depois de deixar o navio. No mesmo local estão 91 tripulantes que foram deslocados depois de sair do navio, na quinta-feira, e terem resultado negativo no teste para o coronavírus .

Os tripulantes deverão permanecer nessa instalação durante duas semanas, quando, então, passarão por testes outra vez. Eles serão liberados para deixar a instalação se os resultados dos exames derem negativo.

O Ministério da Saúde do Japão informou que alguns membros da tripulação não irão para a instalação de Saitama, devendo regressar a suas casas em voos fretados pelos governos de seus países ou outros meios.

O ministério disse ainda que o último grupo de tripulantes a permanecer no navio vai desembarcar dentro de alguns dias. Acrescentou que o último passageiro que ainda estava a bordo desembarcou na quinta-feira (5).

Propagação do coronavírus em escolas

O plano do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, de cancelar as aulas das escolas de todo o país para evitar a propagação do coronavírus gerou preocupação entre os japoneses. Mais de 12 milhões de estudantes serão mantidos em casa a partir da semana que vem e os pais se deparam com a questão de o que fazer com seus filhos durante esse período.

Nessa quinta-feira (27), Shinzo Abe pediu, efetivamente, que todas as escolas dos ensinos fundamental e secundário, assim como as escolas para estudantes com necessidades especiais, comecem suas férias de primavera a partir de segunda-feira (2), em vez de iniciá-las no fim de março, como de costume. Isso significa fechar as escolas por várias semanas.

A decisão ocorre quando os estudantes estão terminando seu ano letivo e pode causar impactos nos exames, assim como encurtar o número de horas de estudo necessárias para completar os currículos.

Leia também: Nova aliança da direita com o centro pode decidir todas as votações da Câmara

A decisão final de fechar as escolas será deixada para os governos locais, segundo o especialista Ryo Uchida, professor adjunto da Universidade de Nagoya. Ele diz que, “basicamente, os governos locais controlam a administração educacional e, por isso, espera que o governo central respeite suas determinações”.

Uchida diz, também, que o fechamento de escolas pode ser eficiente para evitar a disseminação da infecção, mas mais tempo pode ser necessário para fazer os preparativos para o fechamento coletivo das unidades de ensino.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Covid-19:OMS diz que há um déficit de 5,9 milhões de enfermeiros

Publicado


source
enfermeiros arrow-options
Rober Solsona/Europa Press News/Getty Images

Profissionais usam máscaras protetoras enquanto observam um minuto de silêncio na entrada de um hospital em lembrança da equipe de enfermagem que morreu da Covid-19


A Organização Mundial da Saúde (OMS) está pedindo aos países para criarem, pelo menos, 6 milhões de novos empregos de enfermagem até 2030 para compensar um ” déficit global ” projetado, enquanto os profissionais de saúde de todo o mundo respondem à pandemia da Covid-19.

A enfermagem é o maior grupo ocupacional do setor de saúde, representando cerca de 59% das profissões da saúde, diz a OMS. Há pouco menos de 28 milhões de enfermeiros em todo o mundo, cerca de 5,9 milhões a menos do que o mundo precisa para cuidar adequadamente da população em crescimento, de acordo com um novo relatório publicado segunda-feira (06) da OMS, International Council of Nurses and Nursing Now.

O maior déficit de enfermeiros está nos países de baixa renda a renda média na África, no Sudeste Asiático, na região do Mediterrâneo Oriental e em algumas partes da América Latina, segundo o relatório, que analisou 191 países usando dados entre 2013 e 2018.

Mais de 80% dos enfermeiros do mundo trabalham em países que representam metade da população mundial, de acordo com as conclusões do relatório.

“Eles são a espinha dorsal do sistema de saúde”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. “Hoje, muitos enfermeiros se encontram na linha de frente na batalha contra a Covid-19. Este relatório é um lembrete absoluto do papel único que desempenham e um alerta para garantir que eles obtenham o apoio necessário para manter o mundo saudável.”

A OMS recomendou que os países com escassez de enfermagem aumentassem o número de enfermeiros graduados em cerca de 8% a cada ano e melhorassem a disponibilidade de empregos.

Para a entidade, é necessário que os líderes mundiais instruam os enfermeiros nas habilidades científicas, tecnológicas e sociológicas necessárias para impulsionar o progresso na assistência à saúde e melhorar as condições de trabalho.

Além disso, as autoridades da OMS disseram que os líderes também devem fortalecer o papel dos enfermeiros nas equipes de atendimento, observando que cerca de 90% dos profissionais são do sexo feminino, mas poucas mulheres ocupam cargos de liderança .

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Covid-19: Jacarés passeiam em ruas vazias nos EUA, veja o vídeo

Publicado


source

Ver essa foto no Instagram

Nature reclaiming Myrtle Beach…

Uma publicação compartilhada por Clifford Sosis (@whatisitliketobeaphilosopher) em 1 de Abr, 2020 às 1:04 PDT


Era para as ruas das cidades costeiras da Carolina do Sul (EUA) estarem lotadas, principalmente por quem desfruta das férias de primavera (período de férias escolares mais curtas que ocorre no final do inverno nos EUA). Mas, devido ao isolamento social causado pela pandemia de coronavírus, os resorts estão desertos: sem visitantes e com as pessoas dentro de casa.

No entanto, um grupo bem peculiar está se aproveitando da situação: 
os jacarés , ou alligators, como são conhecidos os jacarés americanos.

Um morador de Myrtle Beach, identificado como Clifford Sosis, postou um vídeo mostrando um jacaré passeando silenciosamente por uma área da cidade na semana passada.

jacaré arrow-options
Reprodução/Instagram

Jacaré passeia tranquilamente em rua esvaziada pelo isolamento social


“Parece que a natureza já está começando a recuperar aquele pedacinho de Myrtle Beach”, escreveu Clifford na postagem. “Este jacaré está andando por um shopping que deveria estar lotado”, acrescentou.

De acordo com o site do jornal local “The State”, répteis também foram vistos por moradores de outras partes de Myrtle Beach e de outras cidades do estado.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana