Internacional

Após um mês internado, ‘paciente 1’ de covid-19 na Itália tem alta

Publicado


source
Ilustração do novo coronavírus arrow-options
Reprodução/Flickr/Prachatai

Ilustração do novo coronavírus

O primeiro paciente infectado com o novo coronavírus (Sars-CoV-2) registrado em toda a Itália recebeu alta médica nesta segunda-feira (23), após ficar hospitalizado mais de um mês.

Leia também: Pacientes italianos com coronavírus são transferidos para Alemanha

O homem de 38 anos, identificado como Mattia, chegou ao hospital de Codogno, na região da Lombardia, na noite do dia 21 para 22 de fevereiro em situação grave, depois de apresentar os sintomas da covid-19 . Na ocasião, ele logo precisou ser transferido para o centro médico San Matteo de Pavia, para a unidade de terapia intensiva.

Originário de Codogno, na Lombardia, epicentro da epidemia na Itália , Mattia é pesquisador e trabalha para a Unilever. Ele foi infectado depois que reencontrou em um jantar um amigo que acabara de voltar da China, sem nenhum sintoma da doença.

Depois de internado, o italiano começou a apresentar melhora e respirar sem ajuda de aparelhos somente no dia 9 de março. “Tive sorte, fique em casa”, disse o italiano, em uma transmissão de vídeo em sua página no Facebook.

“É difícil contar o que aconteceu comigo. Lembro-me da hospitalização, fiquei 18 dias em terapia intensiva e depois no departamento de doenças infecciosas, onde comecei a ter contato com o mundo real e fazer a melhor coisa: voltar a respirar”, acrescentou. Mattia ainda alertou que “a prevenção é essencial para não espalhar a infecção”. Segundo o pesquisador, a situação agora é “crítica, pois não há mais equipe para garantir assistência a todos os pacientes com coronavírus “.

Leia também: Coronavírus: Itália registra 601 mortes e tem segundo dia de queda

Depois de alertar as pessoas para não saírem de casa, ele ainda pediu que sua privacidade seja respeitada. “Quero esquecer essa experiência trágica e voltar ao normal”, finalizou.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Cidade italiana lança campanha para vizinhos liberarem wi-fi

Publicado


source
wi-fi arrow-options
Agencia Brasil/reprodução

Campanha na Itália tem como intuito promover gesto solidário para que alunos consigam realizar ensino à distância

O município de Modugno, na região da Puglia, lançou uma campanha solidária neste sábado (5) para pedir que os italianos da cidade compartilhem sinal de internet wi-fi com os vizinhos que precisam, na tentativa de facilitar o ensino à distância e a comunicação virtual de todos que estão enfrentando o isolamento domiciliar devido à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Leia mais: Em dia de jejum convocado por Bolsonaro, religiosos rezam em frente ao Alvorada

Com o slogan “Pergunte ao seu vizinho se ele precisa. Doe wi-fi “, a iniciativa “Conecte-se com o coração” tem como objetivo conscientizar os cidadãos a ajudarem quem não possui acesso à internet.

Segundo a conselheira de políticas sociais da cidade, Daniela Trentadue, a campanha de “solidariedade digital” foi criada porque “qualquer pessoa pode conceder acesso gratuito à rede wi-fi doméstica ou à rede de dados com hotspot para aqueles que precisam, a fim de incentivar o ensino à distância “.

“De fato, o coronavírus transformou a realidade da escola em realidade virtual, com as salas de aula desmaterializadas e as aulas agora em salas virtuais . Compartilhar a internet pode evitar o risco de alguns alunos ‘ficarem para trás’ em relação aos colegas de classe”, explicou.

Leia também: Pró-isolamento, prefeitura de Teresina apela em postagem nas redes sociais

Trentadue ainda informou que “um cartaz foi criado para ser colocado em exibição em prédios e condomínios para que todos possam inserir sua disponibilidade ou expressar sua necessidade, deixando um contato”. 

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Banco da Inglaterra não imprimirá dinheiro para financiar luta contra Covid-19

Publicado


source
libras esterlinas arrow-options
Reprodução

Banco da Inglaterra se recusa a imprimir mais dinheiro para ajudar no financiamento de projetos contra o novo coronavírus

O Banco da Inglaterra não irá imprimir mias dinheiro para financiar o aumento nos gastos do governo contra a pandemia do Covid-19 no país, segundo o presidente Andrew Biley. A declaração foi feita neste domingo (5).

Leia mais: Pró-isolamento, prefeitura de Teresina apela em postagem nas redes sociais

O BoE , sigla em inglês para o banco , aumentou seu programa de compra de títulos em um recorde de 200 bilhões de libras, que representam cerca de 245,2 bilhões de dólares. No dia seguinte, o ministro das Finanças, Rishi Sunak, fez o anúncio de que o Estado britânico pagaria 80% do salário dos trabalhadores temporariamente demitidos pelas empresas.

Leia também: Saiba quem são os membros do primeiro escalão da prefeitura do Rio com Covid-19

Bailey reconhece que o mundo enfrenta um “momento de grande incerteza”, mas informou que seria oposto a quaisquer pedidos para que o BoE imprima dinheiro simplesmente para ajudar o governo.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana