Carros e Motos

Arrizo 5e exibe consciência da Caoa Chery no mundo dos carros elétricos

Publicado

Chery Arrizo 5e arrow-options
Divulgação
Chery Arrizo 5e começa a ser vendido para o público em geral no Brasil a partir de janeiro de 2020, por R$ 159.990

O Arrizo 5e é o primeiro sedã 100% elétrico vendido no Brasil. O carro fez sua estreia esta semana e já está a venda para locadoras e frotistas. A partir de janeiro, o público em geral poderá adquirir o sedã fabricado na China e que é irmão do carro fabricado pela Caoa Chery em Jacareí com motor flex.

LEIA MAIS: Novo Toyota Corolla provoca exame de consciência no consumidor

Este detalhe mostra que a montadora brasileira-chinesa enxerga o carro elétrico não apenas como uma oportunidade de negócio, mas como uma forma de agregar valor econômico também para os futuros compradores. Mas, antes de falar sobre essa interessante visão, que coloca o carro elétrico como provedor de energia e de renda para seus proprietários, vamos ao carro em si.

Chery Arrizo5e azul arrow-options
Divulgação
Chery Arrizo 5e: o sedã já vem com o cabo de energia com a tomada de três pinos

O Arrizo 5e manteve todas as características do Arizzo flex, inclusive no porta-malas de 430 litros. O carro tem todas as funcionalidades, um design contemporâneo e alto nível de equipamentos de segurança (cinco estrelas no China NCAP), de conectividade (espelhamento de celular, duas entradas USB, tela tátil), de conforto (ar-condicionado automático digital, câmera de ré), de usabilidade (assistente de partida em subida, piloto automático, porte médio) e de itens de série (volante multifuncional, rodas de liga leve, computador de bordo). As baterias não roubam espaço na cabine.

Já tive a oportunidade de dirigir o Arrizo 5e. No modo Eco, o carro tem um desempenho mais adequado para a cidade e é capaz de rodar 322 km com uma carga de bateria. No modo Sport (acionado por um botão no painel), o carro entrega mais potência instantânea e as retomadas de velocidade são mais empolgantes.

Em todos os casos, o bom torque de 276 Nm está 100% disponível o tempo todo. O motor elétrico tem 122 cv de potência (ou 90kWh). É importante que a gente comece a se acostumar com essas siglas do mundo elétrico. O consumo por kWh (kilowatts/hora) é importantíssimo num carro elétrico. E este é um dos pontos altos do Caoa Chery Arrizo 5e.

Leia mais:  Dossiê Nissan! Veja todos os lançamentos para o Brasil até 2022

Dotado de 98 células de baterias de íon de lítio, distribuídas por 98 módulos, o Arrizo 5e surpreende por oferecer 53,4 kWh de capacidade. Para se ter uma ideia, são 13,5 kWh a mais do que a capacidade oferecida pelo Nissan Leaf, que é o carro elétrico mais vendido do mundo.

Arrizo 5e como provedor de energia

Chery Arrizo 5e azul arrow-options
Divulgação
Interior do Chery Arrizo 5e vem com ampla tela da central multimídia entre os destaques do interior

O Arrizo 5e inaugura a participação da Caoa Chery no mundo dos carros elétricos. E essa participação pretende ser robusta, não apenas oportunista. Um importante trabalho de atendimento de peças está sendo feito pela área de pós-venda para que o comprador do Arrizo 5e (e dos próximos elétricos da marca) tenha a mesma qualidade no atendimento dos clientes dos carros a combustão.

A Chery é uma das empresas mais atuantes do mercado de carros elétricos. Portanto, a ideia é unir a tecnologia da Chery como fabricante de elétricos no enorme mercado chinês com a expertise da Caoa no atendimento pós-venda ao cliente brasileiro. No futuro, é possível que o carro possa ser fabricado no Brasil, como o Arrizo 5 flex.

LEIA MAIS: Quem precisa de um Golf GTE híbrido que vai custar R$ 200 mil?

Chery Arrizo5e interior arrow-options
Divulgação
Botão giratório do câmbio tem apenas quatro posições: Ré, Neutro, Drive e Parking

Para a Caoa Chery, o carro elétrico pode ser um provedor de energia. Não apenas durante os oito anos de garantia da bateria, mas também após esse período. Na visão da montadora, as baterias dos carros poderão ser aproveitadas para gerar energia na própria fabricação de componentes para os carros elétricos. Por isso, seus executivos trabalham para que o poder público e as próprias empresas interessadas em fornecer criem condições para esse mercado.

Ao final da vida útil da bateria no carro, o comprador não terá um “mico” na mão, mas sim um objeto de valor que poderá ser alugado ou re-vendido. A mudança de conceito está em todo o processo. Começa na compra, pois quem adquire um carro 100% elétrico está fazendo sua parte na construção de um mundo com menos emissão de gás carbônico, cujos efeitos catastróficos para toda a humanidade estão sendo cada vez mais sentidos.

Leia mais:  Nova Honda trail de entrada será apresentada com visual descolado

Depois, na utilização, pois ao volante de um EV o motorista troca a busca por desempenho pela busca por economia de energia. E finalmente por uma visão mais racional na questão do uso do automóvel, em termos econômicos. Segundo a Caoa Chery, um carro 100% elétrico como o Arrizo 5e tem um custo por km rodado de apenas 9 centavos (R$ 0,09/km), enquanto o custo por km rodado de um carro flex é de 29 centavos (R$ 0,29/km). E a autonomia de um veículo abastecido com etanol é apenas 13% maior.

Chery Arrizo 5e arrow-options
Divulgação
Chery Arrizo 5e pode rodar até 322 quilômetros sem precisar de recarga, de acordo com dados da fabricante


Infelizmente, o custo de produção de um veículo elétrico (e outras razões já comentadas aqui na República do Automóvel) torna a aquisição de um EV bastante seletiva. O Caoa Chery Arrizo 5e custa R$ 159.900. Segundo a montadora, os preços se tornarão competitivos em relação aos veículos com motor a combustão interna quando o custo de produção das baterias baixar da casa de US$ 100 por kWh.

Hoje está em US$ 176, mas para 2025 a estimativa é de US$ 96 e para 2030 é de U$ 70. Nesse ponto, o Brasil tem uma vantagem em relação à Europa e ao Japão, pois a maioria das casas (por questão de segurança) possui uma garagem com tomada elétrica. É nesse cenário que a Caoa Chery enxerga a possibilidade de produzir carros elétricos no Brasil.

LEIA MAIS: Tiggo é o único carro que pode reescrever a história dos chineses no Brasil

Se pensarmos bem, o carro com motor a combustão interna precisa ser parado para ser recarregado de energia. O carro elétrico é recarregado no momento em que o proprietário não está utilizando-o. Finalmente, no caso específico do Arrizo 5e, o sedã já vem com o cabo de energia com a tomada de três pinos. Os principaisdados técnicos do Arrizo 5e são os seguintes:

● Motor: elétrico de 90 kW (122 cv)

● Torque: 276 Nm

● Bateria: 98 células em 24 módulos

● Capacidade: 53,5 kWh

● Tempo de recarga: 8 horas

● Consumo por 100 km: 15,2 kWh

● Autonomia: 6,6 km/kWh

● Alcance: 322 km

● Emissão de CO2: 0 g/km

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

VW revela nome do “SUV do Polo”: Nivus. Saiba mais detalhes da novidade

Publicado

source
VW Nivus arrow-options
Divulgação

VW Nivus: novo SUV com ares de cupê chegará para fazer parte da linha de utilitário esportivos da marca em 2020

A VW decide acabar com o mistério e revela o nome do novo SUV com jeito de cupê que vai lançar na primeira metade do ano que vem. O carro vai se chamar Nivus e terá a mesma base do VW Polo, a MQB, assim como o T-Cross e outros. A principal diferença será o estilo mais esportivo, como mostra o video teaser divulgado pela fabricante.

LEIA MAIS: Confira quais serão os novos modelos da VW no Brasil até 2025

Também é possível notar pelas imagens que a traseira do VW Nivus terá lanternas de LED com máscara preta, assim como no T-Cross. Mas no VW Nivus o estilo será mais arrojado, com formas mais delgadas. A linha da capota que vai descendo em direção à parte de trás do carro também é outra característica exclusiva da novidade.

O novo VW Nivus será fabricado em São Bernardo do Campo (SP), onde também são fabricados Polo e Virtus, dos quais o novo SUV vai utilizar uma série de componentes, inclusive do conjunto mecânico. O motor será o 1.0, turbo flex, de 128 cv e 20,4 kgfm de torque a 2.000 rpm. E o câmbio, automático, de seis marchas, com hastes atrás do volante para trocas sequenciais. 

Leia mais:  Jeep Gladiator, a picape do Wrangler, será vendida no Brasil

LEIA MAIS: VW revela novo SUV que deve chegar ao Brasil no fim do ano que vem



Além do VW Nivus

VW Tarek azul arrow-options
Divulgação

VW Tarek: novo SUV médio será lançado no início de 2021 com o Jeep Compass na alça de mira

Na ofensiva de lançamentos de SUVs da Volkswagen também está previsto o modelo médio Tarek, cujas primeiras unidades pré-série vão começar a sair da linha de montagem em El Palomar (Argentina) no início de 2020. A campanha publicitária começará em outubro. E a produção em série apenas em janeiro de 2021, quando o carro chegará nas lojas.

O VW Tarek é um SUV médio que vai ter entre os principais concorrentes do Jeep Compass. O modelo será oferecido na América Latina com motor 1.4 TSI de 150 cv e câmbio automático, de seis marchas . Versões manuais ou com tração 4×4 estão fora de cogitação. 

 Volkswagen confirma produção do Tarek na Argentina para o final de 2020

 Pelo o que se sabe até agora o novo SUV terá os mesmos 4,45 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,63 m de altura e 2,69 m de entre-eixos do modelo apresentado na China. E a fabricante promete que o VW Tarek conseguirá nota máxima dos testes de colisão do Latin NCAP. Será um modelo acima do VW Nivus .

Leia mais:  Nova geração da Suzuki V-Strom é revelada, com novo visual e mais tecnologia
Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Hyundai HB20S 1.0 Diamond quer ser astro do k-pop no Brasil

Publicado

source
Hyundai HB20S arrow-options
Carlos Guimarães/iG

Hyundai HB20S surge com visual de mini-Sonata para conquistar o mercado nacional dos sedãs compactos

A cultura coreana tomou a cena. Se não fosse por isso, 42 mil adolescentes não teriam se reunido no Allianz Parque, em São Paulo, para assistir o show do fenômeno teen BTS, em maio. Estima-se que a indústria do k-pop movimenta US$ 5 bilhões por ano em todo o mundo, mostrando que os coreanos não estão de brincadeira quando o assunto é ganhar dinheiro. A Hyundai quer continuar na crista da onda com o polêmico HB20S no Brasil, mas será que assim como as boybands , ele terá desenvoltura para manter o status de popstar?

LEIA MAIS: Renault Sandero 1.0 Zen: hatch compacto discreto até nas mudanças

Bom, antes de tudo, acho que a questão do estilo já está resolvida; e quem gostou, gostou. O chefe de design global da Hyundai , Simon Loasby, nos contou que a carroceria do novo HB20 foi concebida para causar espanto e dividir as opiniões do público. As inspirações na nova geração do Sonata são bem claras, ainda mais na versão sedã.

Durante o fim de semana em que estive com o HB20S Diamond 1.0 turbo (R$ 81.290), amigos e parentes apontaram que ele é mais bonito e harmonioso que o hatch. Particularmente, coloco isso na conta da queda do teto – que compõe o visual de um cupê esportivo – e das linhas e vincos na carroceria que também contribuem para o equilíbrio.

O habitáculo, por sua vez, propõe uma linguagem visual que ainda não havíamos visto nos carros da Hyundai. A central multimídia que sempre esteve muito bem integrada ao painel se transforma em uma tela flutuante (tal como Onix Plus e Cronos), e o ar-condicionado digital ganhou uma pequena tela redonda ao centro. Na comparação com a geração anterior, foi uma mudança bem radical.

Assim como o rival da GM, a central multimídia de 8’’ traz as conectividades de espelhamento para celulares Android e iOS. Os sistemas permitem que o motorista acesse aplicativos de streaming como o Spotify e replique os dados de navegação do Google Maps na tela. Vale lembrar que o HB20S não tem GPS nativo, algo que pode ser um empecilho em localizações de baixo sinal de internet.

Leia mais:  Primeira moto: Confira 5 opções diferentes para escolher sem erro

Há espaço suficiente para quatro adultos e uma criança viajarem com muito conforto. Na comparação com o modelo anterior, o novo cresceu 3 cm no entre-eixos (de 2,50 metros para 2,53 m) para desafogar os joelhos de quem vai no banco traseiro. No porta-malas, há espaço para 475 litros.

Segurança de carro premium

Hyundai HB20S arrow-options
Divulgação

A Hyundai encheu o modelo com novos equipamentos – que devem aparecer em breve no Creta

A versão conta com quatro airbags (vale lembrar, no Onix são seis, de série), enquanto controles de estabilidade e tração surgem no pacote intermediário Evolution. No pacote topo de linha avaliado por nossa reportagem, o HB20S traz sistema de frenagem de emergência semi-autônomo, alerta de mudança de faixa e monitoramento da pressão dos pneus. Afinal, quem vê cara não vê coração.

LEIA MAIS: Chevrolet Joy Plus: sedãzinho competente e sem vaidades

A suspensão do compacto mantém o arranjo independente na dianteira e eixo de torção na traseira. No asfalto castigado de São Paulo, o HB20S desempenha bom trabalho ao aliviar os impactos dos buracos, mas acaba fazendo a leitura do solo e passando suas irregularidades para a cabine. Mesmo nas saídas de lombada (que eram um fardo na geração anterior), o modelo parou de “quicar” o eixo traseiro.

Em curvas mais rápidas, o sedã revela seu comportamento instável. A carroceria pende bastante para o lado oposto à tangência, mostrando rolagem da carroceria acima do ideal. A impressão que fica é que o HB20S é um carro mais “vertical”, feito para as retas e não tanto para as curvas. Ainda bem que o controle de estabilidade ajuda a corrigir a trajetória.

Leia mais:  Nova Honda trail de entrada será apresentada com visual descolado

O novo motor 1.0 turbo se destaca por ter injeção direta de combustível (algo que a GM não oferece no Onix). São 120 cv de potência e 17,5 kgfm a 1.500 rpm, e apesar de não ser tão potente quanto o 1.6 aspirado que foi recalibrado para entregar 130 cv, mostra mais elasticidade e eficiência.

Hyundai HB20 arrow-options
Divulgação

O Hyundai HB20 da nova geração oferece diferentes opções de acabamento para o habitáculo

Isso por que o motorista terá que acelerar o HB20S 1.6 até 4.500 rotações para receber o torque cheio de 16,5 kgfm. No sedã turbinado, a entrega acontece em apenas 1.500 rpm, assegurando muita agilidade e desenvoltura para o meio urbano, com disposição de sobra para ultrapassagens seguras nas estradas.

O propulsor funciona em sintonia com o câmbio automático, de seis marchas, proporcionando trocas de marcha em momentos oportunos. Além disso, é possível fazer as trocas pelas aletas  atrás do volante, algo que fez muita falta no rival da GM.

De acordo com o Inmetro, o HB20S turbinado pode aferir 8,8 km/l na cidade e 12,7 km/l na estrada com etanol. Na gasolina, os números sobem para 11 km/l e 15,3 km/l, respectivamente. Nada mal. 

LEIA MAIS: Hyundai HB20 1.0 Diamond faz jogo rápido contra Fiat Argo 1.8 Precision

Conclusão

Por baixo da carroceria polêmica, esconde-se um sedã compacto dos mais competentes. Recomendamos que você vá à uma concessionária da Hyundai para conhecê-lo de perto, pois o HB20S é um daqueles carros que ficam mais bonitos pessoalmente. Ele tem cacife para continuar se destacando como o BTS, mas resta saber se o público brasileiro vai comprar a ideia, levando em conta o bom Chevrolet Onix Plus como rival. 

Hyundai HB20 1.0 Diamond Plus

Preço: R$ 81.290

Motor:  1.0, três cilindros, turbo

Potência:  120 cv (E) / 120 cv (G) a 6.000 rpm

Torque:  17,5 kgfm (E) / 17,5 kgfm (G) a 1.500 rpm

Transmissão:  Automático, seis marchas , tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus:  185/60 R15

Tanque: 50 litros

Porta-malas: 475 litros 

Consumo etanol: 8,8  km/l (cidade) / 12,7 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 11 km/l (cidade) / 15,3 km/l (estrada)

Velocidade máxima: 191 km/h

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana