ARTIGOS

Doutor Frederico

Publicados

em

Morreu nesta segunda-feira, aos 93 anos, o ex-governador Frederico Campos. Mais uma vítima da covid 19.

Conheci o Doutor Frederico em 1976, quando ele era secretário de Viação e Obras Públicas na gestão do governador Garcia Neto. Sobrinho do general Dilermando Monteiro, comandante do 2º. Exército, com sede em São Paulo. Por influência do tio, foi indicado como o primeiro governador de Mato Grosso após a divisão. Tomou posse em 15 de março de 1979.

A sua história pessoal será contada no futuro e lhe fará a justiça indispensável. Mato Grosso fora dividido em outubro de 1977, com a separação física e política a partir de 1º. de janeiro de 1979. A Lei Complementar 31/77 que regulou a separação das regiões norte e sul, para criar os estados de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul, não entrou nos detalhes da complexa divisão.

Havia que se dividir além do território, dívidas, patrimônio, funcionalismo público, atribuições, etc. A lei era genérica e veio no fim do mandato do presidente Ernesto Geisel. O substituto, João Baptista Figueiredo recebeu o país em crise e não se sentia obrigado a resolver as pendências deixadas. Especialmente as dívidas anteriores debitadas só ao velho Mato Grosso.

Leia Também:  Direita, centro, esquerda

Aqui entra o papel importantíssimo de dois homens: o governador Frederico Campos e o professor Aecim Tocantins, representante de Mato Grosso na Comissão Especial da Divisão, criada para conduzir as tratativas administrativas.

O governador Frederico Campos foi a Brasília uma infinidade de vezes e, por vezes, voltava arrasado com a falta de perspectivas. O governo Figueiredo não se sentia obrigado a manter compromissos do antecessor Geisel. A divisão era um negócio muito caro. Frederico Campos lutou desesperadamente pra resolver essas pendências geradas pela divisão e dar um futuro a Mato Grosso.

No fim deu tudo certo. Mas não teria dado se não fosse a sua persistência e o apoio da então bancada federal que era de qualidade muito melhor do que nos dias atuais. Se fosse hoje…!

Júlio Campos sucedeu ao Doutor Frederico Campos e fez um grande governo de obras, baseado nas finanças saneadas e na estrutura administrativa enxuta que encontrou. Doutor Frederico parte, mas deixa uma história digna na política. Merece respeito imenso dos mato-grossenses. Foi um homem que ocupou muito bem os espaços do seu tempo. Os meus respeitos, Doutor Frederico!

Leia Também:  Servidores do Instituto de Medicina Legal de MT participam de aplicação da vacina contra a Covid 19 em profissionais do sistema penitenciário

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso

[email protected]    www.onofreribeiro.com.br

Propaganda

ARTIGOS

Servidores do Instituto de Medicina Legal de MT participam de aplicação da vacina contra a Covid 19 em profissionais do sistema penitenciário

Publicados

em

A campanha de vacinação contra a Covid-19 dos servidores da Segurança Pública de Mato Grosso, que teve início na última sexta-feira (09) contou com o importante apoio dos servidores da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) na aplicação dos imunizantes.

Somou-se ao efetivo dos profissionais da Segurança disponibilizados para a campanha de vacinação, três servidores do órgão, sendo, dois peritos oficiais médicos legistas e uma técnica de enfermagem da Diretoria Metropolitana de Medicina Legal.

À frente da coordenação da parte médica da operação de imunização, o Diretor Metropolitano de Medicina Legal, Eduardo Andraus Filho, foi responsável pelo planejamento, capacitação e execução dos trabalhos.

“Juntamente com a equipe técnica no município, nós planejamos toda a vacinação. Levamos os profissionais do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Militar, da Marinha, do Sistema Penitenciário e do Exército, onde realizamos a capacitação da equipe de enfermeiros e técnicos em enfermagem. Na sede do Serviço Nacional da Indústria (Senai), realizamos a montagem das estações de vacinação, com diversos profissionais de saúde das forças de segurança, montamos as estações de trabalho com os computadores conectados à internet para o cadastramento dos vacinados tanto no Sistema do Município quanto no Sistema de informações do Programa Nacional de Imunizações”, disse.

Leia Também:  Direita, centro, esquerda

De acordo com Eduardo, na primeira etapa de vacinação foram aplicadas todas as 1.601 doses das vacinas AztraZeneca e Coronavac disponibilizadas, sendo os servidores que haviam sido agendados, na faixa etária de 48 a 73 anos, além de parte da equipe de aplicação das vacinas, e de policiais que realizaram a segurança do local.

Nesta primeira etapa foram autorizados a vacinar 181 servidores da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) das áreas finalísticas, da capital e interior do estado, papiloscopistas, peritos oficiais criminais, peritos oficiais médicos e odontolegistas e técnicos em necropsia. Com a chegada de mais doses da vacina, mais servidores serão liberados para serem imunizados e avisados sobre o momento de realizar o cadastro no site da prefeitura da capital.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA