Carros e Motos

A nova Yamaha MT-03 2021 na estrada

Publicados

em


source
Yamaha
Divulgação

A Yamaha MT-03 2021 cinza (Ice Fluo) no momento da apresentação à imprensa

Chegou a Yamaha MT-03 2021. Um pouco menos adiantada que a versão 2020, que foi apresentada em abril de 2019, desta vez a pequena mas valente naked realmente traz novidades, como o painel de instrumentos inteiramente digital e a suspensão dianteira com garfo invertido.

Essa nova versão da Yamaha MT-03 , que é considerada pelo fabricante como a segunda geração do modelo, foi apresentada mundialmente no Salão de Milão do ano passado e só não chegou antes por aqui devido à pandemia.

Yamaha
Divulgação

A Yamaha MT-03 segue o visual das MT maiores, a 07 e a 09

Estruturalmente, a nova Yamaha MT-03 2021 é igual à versão anterior, de forma que ambas têm o mesmo porte e, visualmente, a maior diferença está na parte frontal, onde o farol trapezoidal deu lugar a um pequeno mas poderoso canhão de led, com os fachos alto e baixo, complementado por duas luzes de posição diurnas, oblíquas, justamente o que forma a nova cara de má da motocicleta.

Yamaha
Divulgação

Agora com garfo invertido, a Yamaha MT-03 ficou mais estável em curvas

As luzes DRL funcionam mais como adorno, pois, diferentemente dos automóveis que possuem essa novidade, que já incorporou a lista de equipamentos padrão, as motocicletas devem trafegar permanentemente com o farol principal ligado.

Yamaha
Divulgação

O farol tipo canhão de led se destaca na frente da nova Yamaha MT-03

É bacana, até as motos menores estão acompanhando as novidades tecnológicas, mas eu ainda prefiro, como todos que me lêem já sabem, o tardicional farol, de preferência redondo. Mas, é claro, apenas em relação à estética, já que o canhão de led é mais eficiente e mais seguro que o farol comum.

Leia Também:  Royal Enfield Interceptor 650 vira moto customizada em estilo "bobber"

A parte mecânica da Yamaha MT-03 2021 prmanece a mesma, motor bicilíndrico em linha com cilindrada de 321 cm3, duplo comando no cabeçote (DOHC -Dual Over Head Camshaft), quatro válvulas por cilindro e refrigeração a água, fornecendo potência de 42 cv e torque de 3 kgfm.

Yamaha
Divulgação

A posição de pilotagem da Yamaha MT-03 é bastante confortável

Esse motor trabalha bem em qualquer rotação, com torque suficiente para uma pilotagem urbana tranquila e rodoviária segura, para uma velocidade de cruzeiro entre 100 e 120 km/h. Precisando, no entanto, é só acelerar e levar a rotação para próximo das 12.000 rpm para vez o motorzinho empurrar com vontade.

A grande mudança na ciclística vem com a suspensão dianteira invertida, ou seja, o lado mais pesado das bengalas fica preso à moto enquanto que a parte mais leve fica não suspensa, junto à roda. Teoricamente, isso melhora bastante a agilidade e a estabilidade da naked esportiva em curvas, porém essa diferença só vai ser sentida em pilotagem bastante esportiva.

Yamaha
Divulgação

Novo painel de instrumentos na Yamaha MT-03 , igual ao da YZF-R3

Em outras ocasiões, ainda com a suspensão convencional, a Yamaha MT-03 já havia se mostrado extremamente competente para utilização esportiva em um circuito, mas a evolução é sempre bem-vinda.

Leia Também:  Nissan mostra foto do novo Versa camuflado em testes

Por ser uma naked, a posição de pilotagem da MT-03 é menos radical do que a da Yamaha YZF-R3, com a qual compartilha todos os elementos mecânicos e estruturais, mas a adoção de um guidão um pouco mais alto em relaçnao à MT-03 2020 a tornou ligeiramente mais confortável, sem compometer sua aptidão esportiva.

Apenas o tanque de combustível foi alterado, tornando-se pouca coisa mais largo (31,4 mm) e mais baixo (20 mm), mantendo sua capacidade de 14 litros. O objetivo dessa alteração foi ergonômica, para melhor encaixe das pernas do piloto, aumentando seu apoio em curvas.

Durante a avaliação na estrada, a nova Yamaha MT-03 mais uma vez mostrou que é uma motocicleta apta às mais diversas finalidades, do transporte à diversão, com segurança, conforto e prazer de pilotagem.

O painel de instrumentos agora é o mesmo da R3, totalmente digital (LCD) e com caracteres grandes, com boa leitura durante o dia (eu ainda prefiro o conta-giros antigo, grande, redondo e analógico).

O novo painel tem informações de nível de combustível no tanque, indicador de marcha, conta-giros, indicador de consumo instantâneo e médio, hodrômetro total e 2 parciais, relógio, indicador de troca de óleo e temperatura do líquido de arrefecimento.

O Shift Light, luz que acende na hora da troca de marchas, pode ser ajustado de acordo com a preferência do piloto, seja na rotação do motor (disponível a partir dos 7.000 rpm), no nível de luminosidade (com três opções), e na forma de acendimento (intermitente ou contínua).

A nova Yamaha MT-03 custa R$ 25.490, tem garantia de quatro anos e estará disponível na rede a partir da segunda quinzena deste mês nas mesmas cores da versão 2020 porém com novos grafismos. As cores são cinza fosco (Ice Fluo, com rodas vermelhas), azul metálico (Racing Blue, com rodas azuis) e preto metálico (Midinight Black, com rodas pretas).

Fonte: IG CARROS

Propaganda

Carros e Motos

Royal Enfield Interceptor 650 vira moto customizada em estilo “bobber”

Publicados

em


source
Royal Enfield Interceptor 650
Divulgação

Royal Enfield Interceptor 650 “Regale”: estilo retrô e customizado deixa a moto com aspecto elegante e esportivo


Já conhecida pelo seu visual retrô, a Royal Enfield Interceptor 650 ganha uma cara ainda mais interessante graças ao trabalho executado pela customizadora indiana Eimor Customs, que modificou a moto no estilo bobber.


Para a criação dessa Royal Enfield Interceptor customizada, que ganhou o nome de Regale, o pessoal da Eimor praticamente reconstruiu a moto. Além de novos pneus, para-lamas e de um escape em aço inoxidável, o trabalho incluiu modificações no quadro da moto para a instalação de um assento mais curto e com espaço apenas para o piloto, o que exigiu também mudanças na fixação dos amortecedores traseiros.

Foi feita ainda a troca do guidão e a alteração da posição do filtro de ar e da bateria. Já o quadro de instrumentos foi trocado por um mostrador único, que foi adornado com detalhes em latão. Para completar o (belo) tapa no visual, a oficina instalou ainda compartimentos para ferramentas inspirados nas caixas de munição metálicas da época da Segunda Guerra Mundial.

Leia Também:  Chevrolet revela os novos Onix RS e Onix Plus Midnight


A Eimor não falou em modificações no conjunto mecânico da Royal Enfield Interceptor 650, que originalmente é composto por um motor bicilíndrico de 648 cm². Refrigerado a ar e dotado de injeção eletrônica, desenvolve 47,65 cv e é combinado a um câmbio de seis marchas. No Brasil, o modelo importado da Índia é oferecido a partir de R$ 24.990.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA