Carros e Motos

Chevrolet Onix Premier x Hyundai HB20 Diamond: compactos, mas caprichados

Publicados

em


source
Onix
Caue Lira/iG

Chevrolet Onix Plus x Hyundai HB20 Diamond Plus: hatches de uma nova era são sofisticados, mas passam dos R$ 80 mil

Muita coisa mudou nos últimos tempos, inclusive quando o assunto é hatch compacto 1.0. Prova disso é a dupla que aparece na imagem acima: de um lado o Chevrolet Onix Premier (R$ 81.890) e de outro Hyundai HB20 Diamond Plus (R$ 80.790), ambos da linha 2021 e nas versões topo de linha.

Os pontos em comum entre os dois não são poucos, já que têm motores 1.0, turbo, de três cilindros e câmbios automáticos de seis marchas. Por isso, são detalhes que vão dizer qual é o melhor, o que veremos em seguida.

Os dois quase não mudaram na linha 2021. No caso do HB20 , o que há de novo é apenas o contorno da grade frontal pintada de preto brilhante e a inclusão de alguns equipamentos como acendimento automático dos faróis na versão Evolution. Na Diamond Plus , a lista de itens de série continua a mesma e bem completa. E no Onix as novidades ficam por conta da central multimídia de 8 polegadas (no lugar da de 7″ anteriormente) com pareamento sem fio e da cor Cinza Satin Steel, como a da unidade avaliada.

Até que a Hyundai conseguiu deixar o HB20 com visual mais interessante, mas não há como negar que o desenho do Onix é mais harmônico, mesmo sem a luz de neblina embutida no para-choque traseiro, que foi retirada da linha 2021. Entre outros itens, o hatch da GM consegue agradar mais por pontos como a discreta assinatura Chevrolet nas laterais das lanternas traseiras e pelos para-choques arrojados, que dão ideia de esportividade.

No interior, o modelo da GM também é um mais elegante, com bancos que vêm com encostro de cabeça embutidos, volante com base achatada e multimídia com tela de alta resolução e que funciona conectada à internet dia 4G nativo , que garante melhor qualidade de conexão, uma vez que utiliza a antena do próprio carro. No HB20, apenas o quadro de instrumentos como contagiros em destaque e as hastes atrás do volante para trocas sequenciais do câmbio enchem mais os olhos que no Onix.

Leia Também:  Veja 5 variações do Jeep Renegade que não temos no Brasil

Na hora de acomodar a bagagem ambos se equivalem, com ligeira vantagem técnica para o Hyundai , uma vez que pode levar 300 litros de bagagem no porta-malas ante 275 do Onix. A distância entre-eixos de ambos também quase a mesma (2,55 m do GM e 2,53 m do Hyundai), o que acaba levando a espaços bem parecidos para as pernas de quem vai sentado no banco traseiros. Os dois contam com encostos traseiros rebatíveis, caso seja necessário.

As principais diferenças vêm na lista de itens disponíveis. No HB20 Diamond Plus há alerta de mudança de faixa, sistema de frenagem de emergência e start-stop (desliga o motor quando o carro está parado, tornando a ligado ao tirar o pé do freio). Mas no Onix vão equipamentos mais úteis no dia a dia, como alerta de ponto cego( bem localizado nos próximos retrovisores), sensores nos para-choques dianteiros e o multimídia conectado. O que faz falta mesmo no GM (e que o Hyundai tem) é o rebatimento automático dos retrovisores externos.

Como anda a dupla sofisticada

Se alguém dos tempos dos “populares” que estivesse dormindo e acordasse agora, no século 21, não iria acreditar estar acelerando um hatch 1.0. Ambos contam como que há de mais moderno em motores térmicos, ainda mais o Hyundai, que vem com injeção direta de combustível. Mas os dois têm variador de fase, duplo comando no cabeçote, sobrealimentação por turbina ligada ao coletor de escape entre outros itens. Na prática, tudo isso se traduz em eficiência.

Por ser um pouco mais moderno, o motor da Hyundai tem potência específica de 120 cv/litro, ante 116 cv do GM, nada mau, assim como o desempenho. Conforme os dados das fabricantes, o Onix pode acelerar de 0 a 100 km/h em 10,1 s, ante 10,7 s do HB20 . Apesar disso, o GM mostra um ligeiro atraso nas respostas ao pisar no acelerador e não conta com trocas sequenciais com hastes no volante do rival, o que ajuda numa tocada mais animada.

Em contrapartida, o Onix tem rodas maiores e pneus mais largos (195/55R 16 ante 185/60R 15), além de menor vão livre do solo (12,8 cm contra 16 cm do HB20), o que faz diferença nas curvas. O GM se mostra um pouco mais estável. Mas ambos têm aquele ronco característco e, de certa forma, animador dos três cilindros trabalhando em pleno vapor quando exigidos a fundo.

Leia Também:  Honda lança primeiro carro autônomo de nível 3 no Japão

Como não poderia deixar de ser, a economia de combustível é outro ponto forte da competente dupla de hatches compactos desse embate. Há um equilibrio entre os dois, com o GM fazendo 8,3 km/l de etanol na cidade e 10,7 km/l na estrada, ante 8,6 km/l e 10,3 km/l, respectivamente do rival. Como gasolina, o equilibrio continua: 11,9 kml em trecho urbano e 15,1 km/l no rodoviário do Onix, contra 12,2 km/l e 13,9 km/l do HB20.

Conclusão

Não é à toa que Onix e HB20 são os dois hatches compactos mais vendidos hoje em dia. Ambos são os melhores do segmento, principalmente nas versões mais equipadas, como as que avaliamos, com motores 1.0 turbinados. Porém, o GM fica um pouco na frente do Hyundai no cômputo geral e os dois custam praticamente o mesmo, com o aumento da marca coreana que acaba de entrar em vigor.

Ficha técnica

Chevrolet Onix Premier

Preço: a partir de R$ 81.890 

Motor: 1.0, três cilindros, flex, turbo

Potência: 116 cv (E) / 116 cv (G) a 5.500 rpm

Torque: 16,8 kgfm (E) / 16,3 kgfm (G) a 2.000 rpm

Transmissão: Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambor (traseiros)

Você viu?

Pneus: 195/55 R16

Dimensões: 4,16 m (comprimento) / 1,73 m (largura) / 1,48 m (altura), 2,55 m (entre-eixos)

Tanque: 44 litros

Porta-malas: 275 litros

Consumo gasolina: 11,9 km/l (cidade) / 15,1 km/l (estrada), com etanol e 8,3 cidade e 10,7 km/l na estrada, com gasolina

0 a 100 km/h: 10,1 segundos

Velocidade máxima: 187 km/h

Hyundai HB20 1.0 Diamond Plus

Preço: R$ 80.790

Motor:  1.0, três cilindros, turbo

Potência:  120 cv (E) / 120 cv (G) a 6.000 rpm

Torque:  17,5 kgfm (E) / 17,5 kgfm (G) a 1.500 rpm

Transmissão:  Automático, seis marchas , tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus:  185/60 R15

Dimensões: 3,94 m (comprimento) / 1,72 m (largura) / 1,47 m (altura), 2,52 m (entre-eixos)

Tanque: 50 litros

Porta-malas: 300 litros 

Consumo etanol: 8,2  km/l (cidade) / 10,2 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 11,8 km/l (cidade) / 14,2 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 10,7 segundos 

Velocidade máxima: 191 km/h

Fonte: IG CARROS

Propaganda

Carros e Motos

Veja 5 variações do Jeep Renegade que não temos no Brasil

Publicados

em


source

Lançado em 2014 no mercado internacional, o Jeep Renegade chegou ao mercado brasileiro em março do ano seguinte, como o primeiro modelo produzido na nova fábrica de Goiana (PE). Menor SUV da marca americana conhecida pelos seus veículos utilitários, o Renegade foi também o primeiro Jeep brasileiro em mais de 30 anos, encerrando o jejum deixado pelo fim da produção do CJ-5, em 1983.


O Jeep Renegade foi oferecido desde o início no Brasil em versões equipadas com o motor 1.8 flex da família E.torQ, que podia ser combinado somente à tração dianteira, e também o 2.0 turbodiesel da linha TigerShark, sempre casado ao sistema de tração 4×4.

A trajetória do SUV compacto da Jeep por aqui  é marcada pelas séries especiais com visual bem diferenciado, como o Willys (2019) cujos detalhes de estilo remetiam ao modelo MB da época da Segunda Guerra Mundial. Esse padrão se repetiu no exterior, com algumas edições limitadas e versões de linha que nunca foram oferecidas por aqui. Confira algumas delas a seguir.

Leia Também:  Conheça o motorhome chinês com dois andares e elevador

1 – CJ-5 Renegade

Jeep CJ-5 Renegade: clássico da marca vem com motor V8 a gasolina entre os equipamentos de série
Divulgação

Jeep CJ-5 Renegade: clássico da marca vem com motor V8 a gasolina entre os equipamentos de série


O SUV compacto Renegade não foi o primeiro carro da Jeep a utilizar este nome. A mesma nomenclatura foi empregada para designar um pacote de equipamentos dos modelos CJ-5 e CJ-7 feitos nos Estados Unidos nos anos 1970 e 1980.

O CJ-5 Renegade trazia um visual menos espartano que o do carro original, com faixas laterais, cores mais chamativas e rodas de liga leve de série. Já o motor era um 5.0 V8, capaz de desenvolver 152 cv.

Renegade Van

Jeep Renegade Van: versão feita para levar carga acaba sendo um utilitário que pode vir com motor turboodiesel
Divulgação

Jeep Renegade Van: versão feita para levar carga acaba sendo um utilitário que pode vir com motor turboodiesel


Um produto que é relativamente comum em alguns países europeus são os SUVs e outros tipos de veículos de passeio em versões para uso comercial. Nem o Jeep Renegade escapou desta tradição.

Você viu?

Entre 2015 e 2018, o SUV vendido no mercado holandês na versão Van, que trocava os vidros traseiros por chapas de aço e ganhava uma divisória interna para separar os assentos dianeiros do compartimento de carga. A gama de motores era bem completa, com opções a diesel e gasolina, incluindo o mesmo 2.0 turbodiesel das versões mais caras no Brasil.

Leia Também:  Jeep Compass S 2021:  prestes a mudar, SUV deixará de ter vida fácil

Renegade do Batman

Jeep Renegade
Divulgação

Jeep Renegade “Dawn of Justice”: série limitada faz alusão ao Batman, um dos super-heróis mais famosos do cinema


Em 2016, a Jeep lançou nos Estados Unidos o Renegade “Dawn of Justice” , numa referência ao filme “Batman vs Superman: A Origem da Justiça”, lançado naquele mesmo ano.

A carroceria preta era combinada a rodas e detalhes de acabamento na mesma tonalidade, para dar ao modelo um ar próximo ao do Batmóvel, além de receber um logotipo estilizado com o símbolo do Homem-Morcego. O Renegade do Batman estava equipado com um motor 1.6 turbodiesel de 120 cv.

Renegade “Tough Mudder”

Jeep Renegade Tough Mudder: outra série especial que não chegou a ser vendida no mercado brasileiro
Divulgação

Jeep Renegade Tough Mudder: outra série especial que não chegou a ser vendida no mercado brasileiro


Em parceria com os organizadores do evento de resistência física  Tough Mudder , a Jeep lançou em 2017 nas ilhas britânicas uma edição limitada do Renegade com este nome.

Na série especial, o motor 2.0 turbodiesel, mas em uma versão de 140 cv, era combinado à tração 4×4 e ao câmbio automático de nove marchas, enquanto o para-choque frontal era o mesmo da versão Trailhawk. Outro diferencial eram as rodas de 17″ com pneus do tipo M+S, próprios para uso em lama e neve.

Renegade Upland

Jeep Renegade Upland: versão mais acessível lançada na Europa em 2017 tinha cores chamativas
Divulgação

Jeep Renegade Upland: versão mais acessível lançada na Europa em 2017 tinha cores chamativas


O Renegade Upland foi lançada na Europa em 2017, como uma variação mais acessível do Renegade para uso fora-de estrada. Trazia o mesmo para-choque dianteiro da versão Trailhawk e a tração 4×4, porém combinada à versão de 140 cv do motor 2.0 turbodiesel.

A mesma ideia básica acabou sendo empregada no mercado brasileiro pela Jeep no Renegade Moab, que traz uma lista de equipamentos mais enxuta, mas combinada ao mesmo conjunto mecânico do Trailhawk, composto pelo 2.0 turbodiesel de 170 cv, câmbio automático de nove marchas e tração 4×4.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA