Carros e Motos

Fiat Toro Volcano 2022: campeã de vendas se fortalece de olho nos rivais

Publicados

em


source
Fiat Toro 2022: principais mudanças estão na frente, com nova grade, lanternas e faróis retocados e o capô com novo vinco
Carlos Guimarães/iG

Fiat Toro 2022: principais mudanças estão na frente, com nova grade, lanternas e faróis retocados e o capô com novo vinco


Se a Fiat Toro pudesse falar, diria aos novos rivais: “podem vir quentes que estou fervendo”. Os futuros concorrentes devem começar a chegar a partir do início do ano que vem, mas terão trabalho para encarar a campeã de vendas no segmento.

Com os retoques no desenho, motor 1.3 turboflex, central multimídia com internet a bordo, entre outras mudanças, a briga vai ser boa com Ford Maverick , a nova picape da GM que entrará no lugar da Montana e, talvez, a VW Tarok .

Imagino que não deve ter sido fácil adotar mudanças em um projeto tão vencedor quanto o da Toro . Mas acertaram em cheio. Já começa com a frente com o novo logo da Fiat , faróis e lanternas que funcionam apenas com LED e capô com um vinco profundo bem no centro, o que condiz com a ideia de robustez e força da picape, que ficou mais potente.

A unidade avaliada, na versão topo de linha Volcano ( a partir de R$ 144.990) também chama atenção por detalhes como as rodas de aro 18 com acabamento diamantado e o teto-solar.

Na traseira, a única mudança é o logo que identifica o novo e esperado motor 1.3 turbo flex , que entra no lugar do já antiquado 1.8 E.torQ, com ganhos substanciais de desempenho e alguma redução no consumo. Além disso, também ficou claro que a picape ficou mais confortável, bem silenciosa e sem vibrações, mesmo pisando mais fundo no acelerador.

Leia Também:  Novo crossover elétrico de entrada da Volvo deve chegar em 2023

Para se ter uma ideia, de acordo com dados da própria fabricante, a Toro 1.8 acelera de 0 a 100 km/h em 12,9 segundos a pode atingir 179 km/h, ante 11 s e 197 km/h da 1.3 turbo , respectivamente.

Na prática, o que se nota é um carro com funcionamento bem mais suave e ágil desde as primeiras marcações do contagiros mesmo com relações longas do câmbio automático de seis marchas , que mantém um pouco mais de 2.000 rpm a 100 km/h, em sexta, na estrada. Rodando na cidade, basta encostar o pé no pedal da direita de leve para respostas sempre rápidas

O 1.3 turbo flex feito em Betim (MG) é um dos mais modernos em produção no Brasil hoje em dia. Tem variador de fase na admissão e escape, injeção direta de combustível e sobrealimentação, com potência específica de bons 138,8 cv/litro. Em números absolutos, são 185 cv com apenas etanol no tanque e nada desprezíveis 27,6 kgfm de torque a meros 1.750 rpm, daí as respostas ágeis logo cedo.

Você viu?

Interior com cluster digital e configurável, novos comandos e central multimídia com tela vertcal, de 10,1 polegadas
Divulgação

Interior com cluster digital e configurável, novos comandos e central multimídia com tela vertcal, de 10,1 polegadas

Quanto ao consumo, o Inmetro diz que a nova Toro faz 6,6 km/l com etanol na cidade e 7,9 km/l na estrada, números que passam para 9,7 km/l e 10,7 km/l com gasolina, respectivamente. A diferença em relação a picape com motor 1.8 é pequena. A principal vantagem é com etanol , na cidade, quando a nova versão 1.3 turbinada se mostra 2,1% mais econômica, ainda tomando como base os dados do Inmetro.

Afora as questões de consumo e desempenho, a Fiat Toro Volcano 2022 ficou mais tecnológica. O quadro de instrumentos passa a ser digital e configurável em todas as versões. Bom também é que a central multimídia tem acesso à internet a bordo, via conexão 4G , com chip da TIM, mas é preciso que o celular seja compatível com o sistema.

Leia Também:  Assista ao vídeo com detalhes da Ford Ranger Black da linha 2021

Geralmente, todos os iPhone e os Android mais sofisticados, como os Samsung da linha S. Outro destaque fica por conta do aplicativo que pode controlar diversas funções do carro , como dar a partida e ligar os faróis, além de monitorar o combustível do tanque e tudo o que precisar saber sobre manutenção.

A Fiat também providenciou uma central de atendimento com serviço de concierge e que ajuda em situações de emergência enviando socorro para o local de um possível acidente ou outro tipo de ocorrência, seguindo o modelo adotado pela GM com o OnStar. Se os airbags forem acionados, o sistema que envia ajuda é acionado automaticamente.

Porém, entre as mudanças, apesar do raio de giro ter melhorado em cerca de 5%, a picape Toro ainda exige alguma paciência para ser manobrada em espaços apertados.

Por outro lado, a suspensão está bem acertada , ajudando a transmitor segurança nas curvas e a absorver as irregularidades do piso. De quebra, há novos dispositivos de segurança , como alerta de frenagem de emergência e monitoramento de mudança indevida de faixa, com discreta atuação no volante para correção.

Conclusão

As novidades na linha 2022 da Fiat Toro Volcano foram certeiras. O carro está bem preparado para enfrentar os futuros rivais que vão começar a chegar a partir do início do ano que vem, mesmo com mais de um ano de espera. A picape continua estilosa e ficou mais ágil, eficiente e atualizada quando o assunto é tecnologia e conectividade.

Ficha Técnica

Motor: 1.3, 16V, quatro cilindros em linha,  turboflex

Potência:  185 cv (E) / 180 cv (G) a 5.750 rpm

Torque: 27,5 kgfm a 1.750 rpm

Transmissão: Automática, de seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira)/ Independente, multibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus: 225/65 R17

Dimensões: 4,91 m (comprimento) / 1,84 m (largura) / 1,68 m (altura), 2,99 m (entre-eixos)

Tanque : 60 litros

Caçamba: 820 litros

Consumo : 6,6 km/l (cidade) e 7,0 km/l (estrada) com etanol e 9,7 km/l e 10,7 km/l com gasolina, respectivamente



Fonte: IG CARROS

Propaganda

Carros e Motos

Toyota Hilux SRV 2021: quebrando preconceitos de picapes flex

Publicados

em


source
Toyota Hilux SRV 2021 surpreende pelo conforto e preço competitivo com motor flex
Cauê Lira/iG Carros

Toyota Hilux SRV 2021 surpreende pelo conforto e preço competitivo com motor flex

Sempre fui crítico das picapes médias com motores flex, mas encontrei motivos para reconsiderar algumas delas na Toyota Hilux SRV 2.7 4×4 2021. O modelo produzido em Zárate (Argentina) costuma figurar entre os mais vendidos do segmento – no “pau a pau” com a Chevrolet S10 –, mas será que vale a pena investir R$ 204.090 para abastecer com gasolina ou etanol?

Antes de responder, vamos dar uma olhada no catálogo da Hilux 2021 para o Brasil nas versões cabine dupla. O modelo de entrada é o SRV , disponível com trações 4×2 (R$ 189.390) e 4×4 (204.090). Em ambos os casos, o motor é 2.7 Flex, com câmbio automático, de seis marchas.

A versão STD (R$ 209.590) é a mais em conta com motor diesel, mas está disponível apenas com câmbio manual, de seis marchas. Em seguida, surgem os modelos SR (R$ 230.690), SRV (R$ 247.990) e SRX (R$ 276.490), todos com câmbio automático, de seis marchas e motor 2.8 turbodiesel. 

Entre o modelo SRV 4×4 Flex que avaliamos e a versão básica, a diesel, com câmbio automático, há um abismo de quase R$ 30 mil. Além disso, a versão SRV conta com câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, chave presencial, alarme antifurto, retrovisores rebatíveis e central multimídia com TV digital. Todos estes equipamentos não aparecem na versão SR diesel, que é mais cara.

Leia Também:  Novo crossover elétrico de entrada da Volvo deve chegar em 2023

Um conselho muito comum entre os “picapeiros” é: esqueça a flex, compre a diesel. No caso da Hilux , a conta só não vai fugir do controle do cliente se optar por investir no modelo STD , que além de ter câmbio manual, não conta com diversos equipamentos. 

Se você mora na cidade e pretende usar a picape com frequência no dia a dia, a versão STD é muito “pé-de-boi” e abdica demais do conforto. Neste cenário, o modelo SRV Flex se torna interessante. Além de ser mais convidativa, por causa do preço, tem um pacote de equipamentos de respeito.

Pé na estrada

Aproveitei a folga durante a semana para percorrer mais de 300 quilômetros com a Toyota Hilux SRV 2021 , saindo da capital paulista com destino a Aparecida do Norte (SP), e depois retornando. Foram cerca de quatro horas e meia ao volante da picape média na Dutra.

A primeira característica que chamou atenção foi o silêncio na cabine. Apesar de ser um motor flex, de quatro cilindros, empurrando uma picape de quase duas toneladas, o conjunto é bem sutil e silencioso em velocidade de cruzeiro.

Você viu?

A Hilux Flex desenvolve 163 cv e plausíveis 24,9 kgfm de torque a 4.000 rpm. De fato, o modelo exige um pouco mais de esforço em algumas situações, como subidas e retomadas, mas está longe de ser considerado “manco” na estrada.

O conjunto foi desenvolvido para privilegiar rotações mais baixas. Mantendo 120 km/h com o piloto automático ativado, o modelo gira em torno de 2.300 mil rpm, beneficiando o silêncio na cabine e o consumo de combustível. Em alguns momentos, a Hilux flex chegou a marcar o consumo instantâneo de 9,7 km/l de gasolina, no computador de bordo. 

Toyota Hilux 2021: Toyota Hilux 2021: interior com boa ergonomia e conforto de um SUV estão entre os méritos da picape
Divulgação

Toyota Hilux 2021: Toyota Hilux 2021: interior com boa ergonomia e conforto de um SUV estão entre os méritos da picape

O tanque de combustível de 80 litros, ajuda na autonomia. Segundo o Inmetro, o modelo pode rodar até 648 km na rodovia, abastecido com gasolina. No etanol, a situação é sofrível, com média de 4,8 km/l na cidade e 6,9 km/l na estrada. 

Leia Também:  Assista ao vídeo com detalhes da Ford Ranger Black da linha 2021

A ergonomia da Hilux SRV é ótima. A posição dos bancos e do volante permitem que o motorista dirija por muitas horas sem sentir qualquer sinal de cansaço ou dores nas costas e nos braços. A sensação é de guiar um SUV de porte médio.

A suspensão também merece elogios, com acerto bem macio, apesar de ser otimizada para o uso de carga. Segundo a Toyota , a caçamba pode levar 1.036 litros, com capacidade de carga útil de 980 kg.

Escolha por eliminação

Se você não liga para o pacote de equipamentos e tem R$ 230 mil sobrando para comprar uma picape, a Hilux SR com motor diesel pode ser uma escolha sem muitas vaidades. Quem tem o perfil de percorrer longos trajetos na estrada para trabalhar ou viajar pode se dar bem com a versão diesel de entrada, a STD , com câmbio manual.

Agora, se você não se enquadra em nenhuma das duas situações acima, a Toyota Hilux SRV 2021 com motor flex pode ser uma excelente (se não sua única) escolha. Vale contabilizar os gastos com combustível, seguro e o seu perfil de condução antes de bater o martelo. Modelos flex são menos visados, portanto, costumam ter coberturas mais em conta.

Ficha Técnica

Toyota Hilux SRV 2.7 Flex

Preço sugerido: R$ 247.990 Potência: 163 cv a 5.000 rpm Torque: 24,9 kgfm a 4.000 rpm Transmissão: automático, seis marchas, tração integral Suspensão: braços sobrepostos (dianteira), eixo rígido (traseira) Freios: discos ventilados (dianteira), tambor (traseira) Dimensões: 5,32 m de comprimento, 1,85 m de largura, 1,81 m de altura, 3,0 m de entre-eixos Caçamba: 1.036 litros Carga útil: 980 kg 0 a 100 km/h: 15 segundos Velocidade máxima: 165 km/h Consumo: 4,8 km/l (cidade) e 6,9 km/l (estrada) com etanol, 5,6 km/l (cidade) e 8,1 km/l (estrada) com gasolina. Seguro: R$ 7.454 (Minuto Seguros, homem, 40 anos, casado, que mora em São Paulo-SP)

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA