Carros e Motos

O que tem a mais a Harley-Davidson Road Glide Limited

Publicados

em


source
Harley
Guilherme Marazzi

O acabamento preto Black Finish torna a H-D Road Glide Limited um tanto sombria

A Harley-Davidson Road Glide Limited é mais um dos modelos que, no fim do ano passado, foi anunciado como novidade para a linha 2020. O que ela tem de novo é que substitui a Road Glide Ultra, que sai do line-up da marca, mas mostra poucas e sutis diferenças em relação à sua antecessora.

Para poder situá-la em um patamar ligeiramente superior em relação ao acabamento, denominado como “premium luxury tourer”, a nova Harley-Davidson Road Glide Limited tem filetes extra na pintura, rodas de maior diâmetro (16/17 polegadas contra 18 polegadas), guidão ligeiramente mais alto e aquecedores de manoplas.

Harley
Guilherme Marazzi

Depois de pouco tempo ziguezagueando no trânsito, a Road Glide fica “na mão”

Claro que, como uma Harley ano-modelo 2020 (MY 2020), a Harley-Davidson Road Glide Limited vem com o completo pacote eletrônico RDRS (Reflex Defensive Rider System), que inclui ABS com efeito em curvas (C-ABS), controle de tração também otimizao para curvas (C-TCS), monitoramento da pressão dos pneus (TPMS) e assistente de parada em subidas. Por sinal, este último equipamento se mostrou muito útil e fácil de ser manuseado, tornando a parada em semáforos muito mais tranquila.

Harley
Guilherme Marazzi

O grande conforto é a melhor característica da Harley-Davidson Road Glide Limited

No Brasil, o sistema RDRS é de série na linha Touring da marca, mas em sua terra natal é um equipamento opcional. Custa, nos Estados Unidos, aproximadamente mil dólares a mais. Lá o acabamento black finish também é uma opção, pois hea também a versão com muitos itens cromados, como as bengalas da suspensão dianteira e os escapamentos. No lançamento da linha 2020, em San Diego, na Califórnia, rodei com uma Road Glide Limited standard , que acho mais “harley” do que a de acabamentos pretos.

Harley
Guilherme Marazzi

A Harley-Davidson Road Glide Limited leva 132 litros litros de bagagem nas malas

O motor é o mesmo de toda a família tourer, o Milwaukee-Eight 114, com cilindrada de 1.868 cm3 e torque de 16 kgfm. Nesse modelo, o motor M-8 conta com dupla refrigeração, a ar e a água (Twin Cooled), e câmbio de seis marchas.

Leia Também:  Cinco versões do Ford Escort que não tivemos no Brasil

O uso da Harley-Davidson Road Glide Limited pode ser um tanto limitado para uso urbano, mas nada de assustar, passa bem em meio ao tránsito e basta ter um pouco de paciência na hora de estacionar e manobrá-la para que tudo fique perfeito.

Harley
Divulgação

Na Califórnia, rodei com a Harley-Davidson Road Glide Limited cromada

Na estrada, no entanto, a história é outra, a Harley-Davidson Road Glide Limited é uma devoradora de quilômetros e o dia passa rapidamente sem que possamos sentir, principalmente se uma boa seleção musical estiver tocando no sistema Boom! Box GTS. Na Califórnia, então, onde as estradas têm asfalto muito superior ao nosso, o conforto era ainda maior.

Harley
Divulgação

O modelo une o clássico ao moderno, e o robusto ao luxuoso Harley-Davidson

Com todos esses atributos, começo a considerar a Road Glide Limited como a mais agradável das Harley-Davidson destinadas ao turismo. Isso porque, revendo minhas preferências já aqui assinaladas, já me acostumei com o grande carenagem fixa tipo “nariz de tubarão” da Road Glide, item que certamente passa uma imagem mais atual do que a carenagem menor tipo “asa de morcego” da Ultra. Por sinal, essa é a grande diferença entre a Harley-Davidson Road Glide Limited e a Harley-Davidson Ultra Limited .

Leia Também:  Veja os novos caminhões eletrificados de Mercedes-Benz e Scania

A Harley-Davidson Road Glide Limited está disponível nas cores preta (R$ 118.700), cinza (R$ 119.900), em duas cores, prata e preto ou vermelho e preto (R$ 121.625), e em duas cores, laranja e prata ou azul e preto (R$ 121.850).

Fonte: IG CARROS

Propaganda

Carros e Motos

Cinco versões do Ford Escort que não tivemos no Brasil

Publicados

em


source

Lançado no Brasil em 1983, o Escort representou um enorme avanço para a filial brasileira da Ford. Correspondendo ao modelo europeu de terceira geração, foi o primeiro carro alinhado com a linha europeia da marca americana e ficou conhecido por versões icônicas como o conversível e o esportivo XR3.

Depois do carro pioneiro, o Escort seria comercializado por aqui em mais três gerações e sairia de cena apenas em 2003, quando a Ford já havia lançado o seu sucessor, o Focus. Inicialmente fabricado no Brasil, teve a sua última geração importada da Argentina.

Fora do Brasil, o modelo fez bastante sucesso no exterior. O nome Escort, aliás, segue em uso em um sedã da Ford feito na China. Confira abaixo algumas variações que não tivemos por aqui.

Escort Turnier

Ford Escort
Divulgação

Ford Escort Turnier


A primeira geração do Escort brasileiro foi oferecida com uma gama de carrocerias que incluía versões de três e cinco portas, além do conversível.

Mas uma opção que não tivemos foi a variação station wagon, que podia ser adquirida no mercado europeu em variações de três ou cinco portas. Por aqui, a perua Escort SW viria apenas em 1996, importada da Argentina.

Leia Também:  Veja os novos caminhões eletrificados de Mercedes-Benz e Scania

Escort Turbo

Ford Escort
Divulgação

Ford Escort RS Turbo


O esportivo Escort XR3 de segunda geração (quarta na Europa) teve como opção de motor mais potente no Brasil o AP 1.8S vindo da Volkswagen. Fruto da formação da Autolatina, desenvolvia declarados 99 cv.

No mercado europeu, esta mesma geração tinha como opção mais potente a RS Turbo, que trazia um motor 1.6 turbinado capaz de desenvolver 134 cv. Com este conjunto, o Escort esportivo acelerava de 0-100 km/h em 8,7 segundos e batia os 206 km/h de velocidade máxima.

Escort RS Cosworth

Ford Escort
Divulgação

Ford Escort RS Cosworth


Uma das variações mais interessantes já criadas do Escort, a RS Cosworth foi produzida entre 1992 e 1996 na Alemanha, como uma versão de homologação do carro para o WRC, o Campeonato Mundial de Rali.

A carroceria do Escort original foi adaptada para usar a base do médio-grande Sierra. Já os motores 2.0 turbo, desenvolvidos e fabricados pela britânica Cosworth , eram da família YB e desenvolviam 227 cv em sua versão de rua.

Leia Também:  Projeto de lei quer tornar autoescola opcional para tirar a CNH

Escort Van

Ford Escort Van
Divulgação

Ford Escort Van


Diferente da perua Escort SW, que chegou na parte final da vida do modelo no Brasil, uma variação que nunca chegou aqui foi o Escort Van. Idêntico ao carro de passeio até a coluna central, tinha na traseira um compartimento para levar até 715 kg de carga.

Popular no Reino Unido, trazia uma gama de motores com opções 1.3 a gasolina Endura-E de 60 cv (o mesmo que chegou a ser oferecido no Fiesta brasileiro) e os 1.8 diesel de 60 ou 70 cv (com ou sem turbo). O Escort Van ficou em linha até 2002.

Escort chinês

Ford Escort (China)
Divulgação

Ford Escort (China)


O nome Escort voltou a ser utilizado em carro da Ford em 2015. Projetado para ser o sedã de entrada da marca na China, o modelo era construído sobre a mesma plataforma do Focus de segunda geração.

Apesar da proposta, o novo Escort tem tamanho de sedã médio (é 11 cm mais longo do que um Chevrolet Onix Plus ) e é oferecido com um motor 1.5 a gasolina de 122 cv, que pode ser combinado a um câmbio automatizado de seis marchas e dupla embreagem.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA