Carros e Motos

Saiba os prós e contras do GNV para fugir do alto preço da gasolina

Publicados

em


source
GNV: economia não é o único fator envolvido na questão da conversão que custa entre R$ 5 mil e R$ 9 mil hoje em dia
Divulgação

GNV: economia não é o único fator envolvido na questão da conversão que custa entre R$ 5 mil e R$ 9 mil hoje em dia

Com a gasolina custando mais de R$ 7 o litro em várias regiões do Brasil já tem muita gente pensando em converter o carro para funcionar com GNV. Segundo a ANP (Agência Nacional de Petróleo) a economia em relação ao derivado de petróleo é de 51,3% e se comparado ao etanol chega a 55,8%. Porém, há prós e contras que envolvem a escolha da conversão.

Gasta-se 51,3% menos ao usar GNV na comparação com a gasolina a economia chega a 55,8%, mas é preciso salientar que, em média, precisa-se de 32 meses para pagar o investimento do kit gás para quem roda 500 quilômetros no mês. Portanto, a questão do custo mais baixo do GNV é mais interessante para quem costuma rodar bastante com o carro. Ouça mais detalhes a seguir.

Leia Também:  Suzuki Jimny ganha cópia chinesa de marca que vem ao Brasil em 2022


Principalmente no caso da conversão de carro movidos apenas a gasolina para GNV, a redução do rendimento do motor é maior, por causa da menor taxa de compressão. No caso dos kits de GNV de 5ª geração , em média, a perda de potência chega a 5%. Além disso, há casos em que é recomendável ajustar a suspensão por caisa do peso extra dos cilindros de gás.

Conforme especialistas, o gás natural tem uma emissão de gases poluentes 15% menor que o etanol e 20% menor do que a gasolina. Isso ocorre porque a queima do GNV é muito mais completa do que a da gasolina e do etanol . Além disso, o gás natural também é mais seguro. Por ser um combustível mais leve que o ar e possuir uma queima menor.

Leia Também

Outra desvantagem ainda é que os veículos zero quilômetro perdem a garantia de fábrica depois que o equipamento de gás é instalado. A justificativa é que o carro com GNV sofre alterações em sua estrutura.

De acordo com especialistas, um carro com GNV desvaloriza, em média, de 15% a 20% na hora da venda ou troca por outro veículo . Isso porque o carro se torna modificado, ou seja, não é mais original de fábrica. Além disso, a venda deste tipo de veículo costuma ser mais difícil e geralmente é associado a perfil de motoristas que rodam muito

Leia Também:  Chery apresenta jipão híbrido que mistura Defender com Bronco

Não é barato o custo com a instalação do equipamento que permite que o veículo seja abastecido com GNV . Hoje em dia, varia de R$ 5 a 9 mil, dependendo do tamanho do cilindro e do modelo do automóvel. Esse investimento no carro com GNV valerá a pena a médio e longo prazo.

Também é importante ficar atento às normas para uso do GNV . Para poder rodar com um carro com kit GNV é preciso passar por uma vistoria anual de segurança junto ao Inmetro, atestando de qualidade do equipamento e assim obter o selo que permite a circulação desse veículo.

Fonte: IG CARROS

Propaganda

Carros e Motos

Chery apresenta jipão híbrido que mistura Defender com Bronco

Publicados

em


source
Chery T-X: semelhanças com rivais europeus à parte, modelo conceitual marcará uma nova fase na história da marca chinesa
Divulgação

Chery T-X: semelhanças com rivais europeus à parte, modelo conceitual marcará uma nova fase na história da marca chinesa

Quem pensou que as marcas chinesas deixaram de lado as cópias de alguns modelos europeus e americanos de sucesso está enganado. Mesmo depois de evoluírem bastante, volta e meia acontecem algumas recaídas.

É o que parece ser o caso do protótipo T-X , mostrado na China pela Chery , cujo desenho lembra bastante uma mistura de Ford Bronco com Land Rover Defender .

Ainda um modelo conceitual, o Chery T-X vem com faróis e lanternas que utilizam apenas LED no lugar das lâmpadas convencionais, grade iluminada (o que parece ser uma tendência daqui em diante), contornos de ângulos retos e detalhes pintados de cores chamativas, como os ganchos para amarração no para-choque dianteiro e os cubos das rodas.

Foto: Divulgação

Leia Também:  BMW estuda nova geração de motores a combustão para redução de CO2

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Ainda há poucos detalhes oficiais sobre o protótipo chinês com cara de poucos amigos. Sabe-se apenas que o carro vem com a nova plataforma conhecida na Chery como Kunlun , que será usada paara novos modelos híbridos plug-in, a maioria deles utilitários esportivos, ainda segmento que mais cresce no mundo hoje em dia.

Leia Também

Um dos objetivos da Chery é lançar novos SUVs híbridos plug-in no futuro que sejam capazes de ter autonomia acima de 1000 km e uma média de consumo que beira os 100 km/h utilizando o modo elétrico e o combustão alternadamente. Além disso, suspensão adaptativa e sistema de tração inteligente serão itens corriqueiros nos SUVs da marca.

Não há uma difinição se o T-X vai se produzido em série. Mas isso não vai acontecer antes de 2023 e o carro vai fazer parte da linha de uma nova subdivisão da Chery, chamada Jetour , que será vendida em diversos mercados fora da China e lançará um ou dois modelos por ano, sejam SUVs, picapes e até minivans.

Leia Também:  Será que deu praia? Conheça um jeito de proteger o carro da maresia
Fonte: IG CARROS

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA