Política Nacional

Com visita a presidente eleito da Argentina, Maia busca fortalecer parceria entre os países

Publicado

Divulgação
Alberto Fernandez e Rodrigo Maia em reunião na Argentina

Em missão oficial à Argentina, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi recebido nesta quinta-feira (5) em Buenos Aires pelo presidente eleito do país, Alberto Fernandez.

Em mensagem publicada no Twitter, Maia afirmou que a visita tem como objetivo demostrar a importância que o país vizinho tem para o Brasil e para o Parlamento brasileiro.

“A Argentina é o parceiro mais importante do nosso país e, portanto, Brasil e Argentina são mais fortes quando estão juntos. A nossa visita hoje veio consolidar ainda mais esta parceria”, afirmou Maia, na rede social.

Da Redação

Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Caso Flordelis: relembre o mistério do paradeiro de celular do pastor morto

Publicado

source
Flordelis e pastorzão arrow-options
Divulgação/Flordelis

Relembre a linha do tempo já conhecida sobre o paradeiro do celular do pastor

O paradeiro do telefone celular do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada federal Flordelis dos Santos , é considerado uma peça fundamental nas investigações do assassinato do religioso. O aparelho nunca foi encontrado pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), responsável pelo caso. A polícia considera fundamental ter acesso ao celular para conseguir chegar aos mandantes da morte de Anderson , na casa da família, em Pendotiba, Niterói.

Leia também: Ministro diz que a Terra é redonda e é atacado por terraplanistas

Ao longo de sete meses de investigações, a polícia já ouviu diferentes versões sobre o destino do aparelho, incluindo que o mesmo foi jogado da Ponte Rio-Niterói. Esta semana, a história ganhou novos contornos. De acordo com informações da TV Globo, a DH descobriu que o horas após o crime, o telefone de Anderson foi conectado ao wi-i da casa do senador Arolde de Oliveira (PSL), na Barra a Tijuca, Zona Oeste do Rio. O aparelho recebeu um chip cadastrado no nome da Yvelise de Oliveira, mulher de Arolde. O  pastor Anderson do Carmo foi morto a tiros no dia 16 de junho de 2019.

Relembre os capítulos dessa história

1 – Flordelis promete entregar celular de Anderson

Em seu primeiro depoimento à DHNSG, horas após a morte de Anderson, a deputada federal prometeu à polícia entregar o telefone do marido aos policiais, o que nunca ocorreu. Posteriormente, a pastora afirmou à polícia desconhecer o paradeiro do telefone. Em seu segundo depoimento à DH, no dia 24 de junho, Flordelis disse não ter visto o celular de Anderson após o crime.

2 – Filho afirma que Flordelis confessou ter quebrado celular de Anderson

Pastor arrow-options
Reprodução/Facebook

Pastor Anderson do Carmo

Em seu depoimento dado à polícia no dia 24 de junho, um dos filhos adotivos de Flordelis, o pastor e vereador de São Gonçalo conhecido como Misael, relatou aos investigadores que esteve com a mãe três dias antes, no dia 21 de junho na casa da família, em Pendotiba, Niterói. Segundo Misael, durante uma reunião no quarto da mãe, ela escreveu em um caderno os dizeres “Nós quebramos o celular do Niel e jogamos na ponte Rio-Niterói”. Niel era o apelido de Anderson na família. No relato, Misael afirma ainda que o caderno passou pelas mãos de sua esposa, Luana, e de Daniel dos Santos, seu irmão.

3 – Celular passou pelas mãos do motorista de Flordelis

Em seu depoimento, o filho adotivo de Flordelis ainda revelou que teve acesso ao telefone celular do pai no dia seguinte ao crime. Misael contou que o aparelho que estava com o motorista da mãe, Marcio da Costa Paulo, conhecido como Buba. Segundo o vereador, Buba relatou a ele que entregaria o celular para Flordelis.

4 – Outro filho também desmentiu versão de Flordelis

O também pastor e Filho de Flordelis Luan Santos, em seu depoimento, relatou à polícia ter visto o momento em que Buba chegou à casa de Flordelis, com o telefone na mão, para entregá-lo à mãe. Segundo Luan, um dos filhos biológicos de Flordelis, Adriano de Souza, tomou o telefone da mão de Buba e disse que pegaria o aparelho primeiro.

Em resposta ao filho, Flordelis disse para que ele apagasse “aquilo que tá lá”. A mulher de Adriano alertou a sogra de que a polícia teria como descobrir se algo fosse deletado do aparelho. Luan afirma que concordou e, segundo ele, Flordelis abaixou a cabeça e ficou em silêncio. Luan prestou depoimento no dia 28 de junho. Segundo ele, o episódio relatado ocorreu no dia do sepultamento do pastor, 17 de junho.

5 – Motorista de Flordelis admitiu ter ficado com celular do pastor

Em seu depoimento à polícia, no dia 26 de junho, Buba confirmou que ficou com o celular de Anderson, mas não revelou o que fez com o aparelho. Já Adriano disse à polícia que não sabia informar a localização do telefone de Anderson.

6 – Polícia descobre que celular foi jogado no mar

Lorrane arrow-options
Reprodução

Neta de Flordelis faz desabafo em rede social sobre morte do avô, o pastor Anderson do Carmo: “Crueldade do ser humano”

No dia 26 de junho, a DH recebeu uma denúncia de que um mototaxista levou uma das netas de Flordelis até a Praia de Piratininga, em Niterói, para jogar um telefone celular no mar. A jovem Lorrane Oliveira dos Santos foi até o local durante uma operação de busca e apreensão feita pela polícia na casa de Flordelis. O mototaxista que levou a neta de Flordelis na orla foi ouvido pela polícia no dia 26 de junho e admitiu ter feito o trajeto com a jovem na data e horário da busca e apreensão. Ele, no entanto, não relatou ter visto Lorraine jogar o aparelho no mar .

Em depoimento, Lorraine afirmou ter ido à praia de Piratininga para relaxar sozinha na praia e jogar um tênis vermelho no mar. Ela conta que ficou 20 minutos no local, mas o mototaxista, que levou a jovem de volta para casa, deu versão diferente. Ele disse que só deu tempo da jovem ir até o mar e voltar, permanecendo por cerca de cinco minutos na praia.

7 – Irmã de pastor viu celular na casa

A irmã do pastor Anderson do Carmo, Michelle do Carmo, afirmou à polícia ter visto o celular do irmão na casa da família logo após o crime. Ela disse ter visto o momento em que a namorada de um dos filhos de Flordelis entregou o aparelho para a deputada.

8 – Outros celulares desaparecidos

Além do telefone de Anderson, a polícia também não encontrou os aparelhos que eram usados por Flordelis e por Flávio dos Santos, filho da deputada que está preso pela morte do pastor. Em setembro do ano passado, a DH apreendeu um  celular que passou a ser usado por Flordelis após o crime.

9 – Telefone de Anderson conectado na casa de senador

Pastor arrow-options
Reprodução

Em postagem, mulher de senador aparece ao lado do pastor morto e de Flordelis

Os investigadores da DH descobriram que, horas após o crime, o celular foi conectado à rede de wi-fi da casa do senador Arolde de Oliveira (PSD) , na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Na ocasião, foi inserido um chip em nome de Yvelise de Oliveira, esposa do parlamentar. Anderson foi morto na garagem da casa onde morava com Flordelis e os filhos, em Pendotiba, Niterói. Arolde esteve na residência da família cerca de nove horas após o assassinato do marido de Flordelis. Ele chegou ao local por volta de meio-dia. O senador é padrinho político de Flordelis.

Leia também: Glenn Greenwald pede que Justiça não aceite denúncia do MPF contra ele

10 – Celular foi levado pra casa de delegado federal

De acordo com as investigações, após ter passado pela casa do senador, o aparelho foi levado para Brasília . Na capital federal, o telefone foi conectado ao wi-fi de um delegado federal com um chip em nome de um pastor — os nomes dos dois novos personagens desta história não foram divulgados.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Governo publica decreto para contratar militares no serviço público

Publicado

O decreto que regulamenta a contratação de militares inativos para atividades em órgãos públicos foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União na noite desta quinta-feira (23). De acordo com o Palácio do Planalto, os militares poderão ser contratados, por meio de um edital específico de chamamento público, para trabalhar em órgão ou entidade federal ganhando adicional com valor igual a 30% sobre o salário recebido na inatividade.

Pelo texto do decreto, assinado pelo presidente em exercício Hamilton Mourão, a contratação dependerá de autorização prévia tanto do Ministério da Defesa quanto do Ministério da Economia. A pasta da Defesa vai examinar se a contratação não compromete eventual necessidade de mobilização de pessoal, além de estabelecer o quantitativo máximo de militares inativos passíveis de contratação, por posto ou graduação, observada a compatibilidade com as atividades indicadas pelo órgão ou pela entidade requerente. Já a equipe econômica vai examinar se há recursos para o pagamento do adicional e se há necessidade real de contratação.

“Como já de conhecimento público, existe a intenção de aplicar o ato para resolver problema do INSS [Instituto Nacional de Seguridade Social]. Contudo, tecnicamente, o decreto não se restringe ao INSS e poderá ser utilizado em dezenas de outras situações. A hipótese do INSS é apenas destacada por ser a com maior escala”, informou o Planalto, em nota enviada à imprensa.

Ainda segundo o governo, a contratação não será automática. “Ainda se precisará analisar o pleito de cada órgão ou entidade interessado na nova forma de alocação de mão de obra, fazer o edital de chamamento público para cada hipótese e verificar a disponibilidade orçamentária e financeira em cada caso”, acrescenta a nota.

Militares da reserva

Na semana passada, o governo anunciou que pretende contratar temporariamente cerca de 7 mil militares da reserva para atuar nos postos da Previdência, pagando o adicional de 30%. Esse percentual está definido na lei que trata da estrutura da carreira militar, aprovada em 2019 pelo Congresso Nacional. 

A medida foi a forma encontrada pelo governo para reduzir o estoque de pedidos de benefícios em atraso no INSS. A expectativa é que o acúmulo de processos caia para próximo de zero até o fim de setembro. Atualmente, o número de pedidos de benefícios previdenciários com mais de 45 dias de atraso está em cerca 1,3 milhão.

A contratação direta dos militares pelo INSS chegou a ser questionada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que considerou que o governo poderia estar rompendo o princípio da impessoalidade, ao direcionar a contratação exclusivamente para o grupo militar. Nesta quinta pela manhã, antes de embarcar para Índia, o presidente Jair Bolsonaro disse que o governo estava aguardando apenas um ajuste no entendimento com o TCU para poder publicar o decreto e iniciar o processo de contratação temporária dos militares. Para o presidente, a medida está prevista na legislação e exige menos burocracia que a contratação de civis. “Não é privilegiar militar, até porque não é convocação, é um convite, é a facilidade que nós temos desse tipo de mão de obra”, disse.

Custo

De acordo com o Ministério da Economia, caso haja o pagamento do adicional de reserva remunerada para os militares, no caso do INSS, a medida custará R$ 14,5 milhões por mês ao governo, mas o custo deve ser compensado pela diminuição da correção monetária paga nos benefícios concedidos além do prazo máximo de 45 dias depois do pedido. A proposta inicial do governo é que os militares sejam treinados em fevereiro e março, devendo começar a trabalhar nos postos em abril. 

O decreto que regulamenta a contratação dos militares inativos ainda define que, para o órgão contratante, o prazo máximo de contrato é de até quatro anos, vedada a prorrogação. Para o militar inativo, esse prazo máximo é de até oito anos, consecutivos ou não, ainda que em diferentes órgãos ou entidades.

Edição: Fábio Massalli

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana