Internacional

Coronavírus: número de casos na Itália pode ser 10 vezes maior

Publicado


source
Itália arrow-options
Reprodução

País mais afetado pela pandemia, Itália ainda pode ter piora no número de casos

O chefe da Defesa Civil da Itália, Angelo Borrelli, admitiu que o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) no país pode ser até 10 vezes maior do que o balanço oficial divulgado diariamente.

Leia também: De gripezinha a “não é tudo isso”: vezes em que Bolsonaro minimizou coronavírus

De acordo com o último dado da Defesa Civil, publicado às 18h desta segunda-feira (24), a Itália contabiliza 63.927 contágios, ou seja, a cifra real poderia ser de mais de 630 mil casos. Em entrevista ao jornal romano La Repubblica, Borrelli foi questionado sobre o verdadeiro número de pessoas infectadas na Itália.

“A relação de um doente certificado para cada 10 não censeados é verossímil”, declarou. O chefe da Defesa Civil também foi interrogado sobre a utilidade de divulgar balanços diários da pandemia, já que as cifras estão subestimadas.

“Podem ser dados imperfeitos, mas, desde o primeiro dia, garanti que diria a verdade, é um compromisso que assumi com o país. Se parássemos, nos acusariam de esconder as coisas. E antes estávamos nas mãos das regiões, dos números das secretarias de Saúde. Foi um caos nas primeiras semanas. Com muito trabalho, conseguimos reconduzir os governadores à razão, agora não podemos parar”, declarou.

Leia também: Covid-19: presidente da Fundação Palmares diz que quarentena é “imbecilidade”

Com um sistema de saúde descentralizado, a Itália ainda convive com diferentes protocolos adotados por cada região, o que impacta diretamente nas estatísticas. O Vêneto, por exemplo, defende o modelo sul-coreano de testes em massa e tem um índice de 1.246 pessoas examinadas para cada 100 mil habitantes, quase o triplo da média nacional (456/100 mil hab.).

Já a Lombardia, epicentro da pandemia e líder em número de casos na Itália, testa sobretudo pacientes sintomáticos que exigem internação e apresenta uma taxa de 728 exames/100 mil hab. Em Bergamo, província mais atingida no país, há relatos de idosos que morreram em casa ou em asilos e, por não terem sido testados, não entraram na contagem oficial de vítimas.

Na prática, ao juntar os dados regionais e apresentar um balanço diário, a Defesa Civil coloca em um mesmo número métodos estatísticos diferentes. Na entrevista ao jornal La Repubblica, Borrelli também disse que alguns comportamentos sociais foram “decisivos” para a difusão do vírus.

Leia também: Brasil tem 1.960 casos de coronavírus, dizem secretarias estaduais

Um dos exemplos citados por ele é a partida entre Atalanta e Valencia pela Liga dos Campeões da Uefa, em Milão, um dia antes dos primeiros casos de transmissão interna na Itália. Na ocasião, dezenas de milhares de bergamascos se deslocaram ao San Siro para assistir ao jogo, um dos mais importantes da história da Atalanta, que venceu por 4 a 1.

“Possivelmente foi um detonador, mas só podemos dizer agora”, declarou o chefe da Defesa Civil.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Com quase 120 mil casos, Itália projeta mais um mês de quarentena

Publicado


source
Itália coronavírus arrow-options
Reprodução

Itália vem tomando medidas para evitar propagação do coronavírus

 O número de casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2) na Itália chegou a 119.827, segundo balanço divulgado nesta sexta-feira (3) pela Defesa Civil. Isso representa um aumento de 4% em relação ao dia anterior, menor cifra desde o início da disseminação dos contágios pelo país, no fim de fevereiro.

Leia também: Coronavírus no Brasil: acompanhe a situação no País em tempo real

O chefe da Defesa Civil da Itália , Angelo Borrelli, disse nesta sexta-feira (3) que acredita na prorrogação das medidas de isolamento social no país ao menos até 1º de maio.

O confinamento estabelecido em 10 de março vigoraria até esta sexta, mas o governo decidiu estendê-lo ao menos até o dia 13, segunda-feira pós-Páscoa, que é feriado na Itália.

O primeiro-ministro Giuseppe Conte, no entanto, ainda não anunciou se haverá uma nova prorrogação da quarentena . Em entrevista à emissora pública Rai Radio 1, Borrelli foi questionado se, após a Páscoa, os italianos também passariam o feriado de 1º de maio em casa.

Leia também: De gripezinha a “não é tudo isso”: vezes em que Bolsonaro minimizou coronavírus

“Acredito que sim, não acho que essa situação terá terminado naquela data. Ficaremos em casa por muitas semanas”, disse o chefe da Defesa Civil. Segundo Borrelli, a chamada “fase 2” da emergência, ou seja, quando o governo relaxará o isolamento, pode iniciar em meados de maio, “ainda que não haja nenhuma certeza”.

Ele ressaltou, no entanto, que a decisão caberá ao comitê técnico-científico do governo e dependerá da evolução da curva epidêmica, que vem desacelerando nas últimas semanas. “A situação atual é estacionária. Precisamos ver quando ela começará a descer”, disse.

Na última quinta (2), Conte havia dito que o governo já estava programando a fase pós-quarentena, mas sem estabelecer datas. As restrições à circulação e às atividades produtivas têm como objetivo “achatar” a curva epidêmica, que explodiu nas primeiras semanas de disseminação do novo coronavírus na Itália e sobrecarregou o sistema de saúde, especialmente na Lombardia, região mais afetada.

Leia também: Profissionais de enfermagem são agredidos a caminho do trabalho em São Paulo

Quando os casos ativos voltarem a um patamar sustentável, a expectativa é de que o governo comece a afrouxar o confinamento na Itália .

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Afastado após alertar sobre covid-19, capitão sai ovacionado de navio americano

Publicado


source
Tripulação de porta-aviões americano ovacionou capitão afastado após alertar sobre covid-19 arrow-options
Rperodução

Tripulação de porta-aviões americano ovacionou capitão afastado por alertar sobre covid-19


Afastado da Marinha dos Estados Unidos depois de pedir a evacuação de marinheiros devido ao registro de casos de covid-19 no porta-aviões Theodore Roosevelt, o capitão Brett Crozier foi ovacionado ao deixar a embarcação, na noite de quinta-feira (02). Um vídeo gravado de dentro do navio mostra a tripulação cantando o nome do capitão enquanto ele desce a rampa.

A Marinha chegou a anunciar a demissão de Crozier, mas voltou atrás após o caso ganhar grande repercussão, e decidiu optar apenas por uma transferência, conforme comunicou o secretário da Marinha do EUA, Thomas Modly, nesta sexta-feira (03).


A polêmica começou quando uma carta escrita pelo capitão vazou na imprensa norte-americana. O texto falava que mais de 100 tripulantes do porta-aviões Theodores Roosevel haviam sido diagnosticados com covid-19 e que, por isso, era necessária uma evacuação para preservar a vida de todos.  A embarcação está ancorada na ilha de Guam, na Micronésia, no Pacífico, cerca de 2.000 km ao leste das Filipinas.

Leia também: Nos EUA, cidadãos do Texas vão receber multa se não cobrirem boca e nariz

“Não estamos em guerra. Os marinheiros não precisam morrer”,  diz um trecho do texto, segundo o San Francisco Chronicle.”A propagação da doença está em andamento e acelerando”,  antes de pedir para que quase toda a tripulação fosse colocada em quarentena, argumentando que seria um “risco desnecessário” se todos permanecerem a bordo.

A divulgação da carta foi condenada pelos superiores da Marinha. “Ele a enviou (a carta) de maneira bastante ampla e não teve o cuidado de garantir que não pudesse vazar, e isso faz parte de sua responsabilidade”, disse Tomas Modly quando se pronunciou pela primeira vez sobre o vazamento. O presidente Donald Trump não se prolongou quando questionado sobre o assunto, mas diss que “não concorda nem um pouco” com a atitude tomada pelo militar.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana