Momento Saúde

Covid-19: OMS cobra de governos distribuição equitativa de material

Publicado


.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou hoje (23) que cobrará das nações do G20 uma coordenação de esforços para a produção e distribuição de insumos e materiais necessários à prevenção e ao combate ao novo coronavírus. O G20 é o grupo dos países mais ricos do mundo.

O diretor-geral da organização, Tedros Ghebreyesus, apontou hoje, em entrevista coletiva, a necessidade da medida para que nenhum país fique desabastecido da estrutura para as providências de vigilância em saúde e atendimento médico contra a covid-19.

“Resolver esse problema requer comprometimento político e coordenação em nível global. Precisamos de unidade no G20, que tem mais de 80% do PIB global. Comprometimento político significa solidariedade e lutar contra essa pandemia da forma mais forte possível”, destacou o diretor-geral.

Ele elogiou países que estão disponibilizando recursos e profissionais para atuação em outras nações. A China, por exemplo, negocia com o Brasil a venda de insumos produzidos pelo governo oriental para combater o surto chinês, que já se encontra em fase de estabilidade.

Outra medida que será defendida pela entidade junto aos governos do G20 será a garantia de equipamentos de proteção individual a profissionais de saúde. Estes são os que estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus e com alto risco de contágio pelo contato frequente com pacientes confirmados ou em tratamento.

“Trabalhadores só podem fazer seu trabalho se puderem fazer de forma segura. Continuamos ouvindo relatos alarmantes de números grandes de infecção entre trabalhadores de saúde. Se não priorizarmos trabalhadores da saúde muitas pessoas vão morrer porque esses trabalhadores vão estar doentes”, alertou Tedros Ghebreyesus.

Ainda no tocante à cooperação entre os países, os representantes da organização criticaram falas de governantes, como a do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de atribuir culpa pela pandemia à China, local dos primeiros casos confirmados.

“A posição da OMS é clara. Isso é uma distração agora. Temos que focar no que precisamos fazer agora. Não temos culpa nisso, temos somente o futuro. E temos capacidade. Temos que lutar juntos”, declarou o diretor executivo da OMS, Michael Ryan.

Pandemia acelerando

O diretor-geral da OMS destacou que a pandemia está acelerando. Foram 67 dias do primeiro caso reportado até atingir 100 mil casos, mais 11 dias até 200 mil e somente quatro dias para chegar a 300 mil casos confirmados.

De acordo com a última atualização da OMS, no início da tarde de hoje, os casos confirmados somam 332,9 mil, com 14.5 mil mortes. A pandemia já se espalhou por 190 países. A China ainda lidera, com 81,6 mil casos, seguida por Itália (59,1 mil), Estados Unidos (31,5 mil), Espanha (28,5 mil) e Alemanha (24,7 mil).  

Fifa

A OMS anunciou uma parceria com a Federação Internacional de Futebol (Fifa) no lançamento da campanha  “Chutar para longe o novo coronavírus”. Jogadores contribuíram na produção de diversas mensagens de conscientização e de ações de prevenção contra a pandemia.

O goleiro do Liverpool e da seleção brasileira, Alisson Becker, participou da entrevista coletiva e falou sobre a importância da difusão de informação de qualidade sobre a pandemia. “O direito à informação correta deve ser atendido nesse momento. Convido pessoas a seguir informação das autoridades locais e da Organização Mundial de Saúde”, disse.
 

Edição: Aline Leal / Lílian Beraldo

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
publicidade

Momento Saúde

Rio terá mais 1.800 leitos em hospitais de campanha até final de abril

Publicado


.

O estado do Rio de Janeiro terá 1.800 leitos em hospitais de campanha para enfrentar a pandemia de covid-19, sendo 520 de centros de Tratamento Intensivo (CTIs), segundo informou nesta terça-feira (31) a Secretaria de Estado de Saúde. Os leitos serão montados em estruturas na capital, na região metropolitana e no interior do estado.

Segundo a secretaria, foram abertos 419 leitos, distribuídos no Hospital Regional Zilda Arns, em Volta Redonda; no Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel; no Hospital Estadual Anchieta, no Caju; e no Instituto Estadual do Cérebro (IEC), no centro. No total, está prevista, até o momento, a abertura de 2.279 leitos.

Os leitos de campanha ficarão distribuídos da seguinte maneira: 400 no Complexo do Estádio do Maracanã (80 deles de CTI); 200 ao lado do Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo (40 de CTI); 200 no Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias (40 de CTI); 200 no Parque dos Atletas, em Jacarepaguá (40 de CTI); 200 no terreno do 23º Batalhão da PM, no Leblon (40 de CTI); 200 no aeroclube de Nova Iguaçu (40 de CTI); 100 em Campos dos Goytacazes, no centro, próximo ao shopping (20 de CTI); e 100 no Hospital Regional Gélio Alves Faria, em Casimiro de Abreu (20 de CTI). Além desses, há 200 na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Manguinhos, (todos de CTI), para atender a população do estado.

“Todo o empenho do governo do estado é para que essas estruturas fiquem prontas dentro do prazo programado. Os hospitais de campanha serão fundamentais no atendimento à população no momento mais crítico da pandemia no estado”, disse o governador Wilson Witzel.

A previsão é que todos os leitos de campanha fiquem prontos até 30 de abril. Já foram abertos 44 no Instituto Estadual do Cérebro, 180 no Hospital Zilda Arns e 120 no Hospital Universitário Pedro Ernesto. Além desses, nos próximos dias, mais 75 estarão disponíveis no Hospital Anchieta, no bairro do Caju, zona portuária do Rio.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, pediu que as pessoas mantenham o isolamento social. “Análises preliminares já mostram que estamos conseguindo conter a disseminação desenfreada da covid-19”.  

Rede privada

Além dos novos leitos, a rede estadual tem 3.025 leitos, sendo 729 de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A Secretaria de Estado de Saúde reforçou o papel importante da rede privada na luta contra o coronavírus no estado do Rio. Atualmente, as unidades particulares somam cerca de 11.300 leitos, sendo quase 3.800 de UTI.

“Todos os leitos podem ser adequados para tratamento intensivo em casos de emergência”, disse o secretário de Saúde.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Saúde

Secretária de Saúde do Rio testa positivo para coronavírus

Publicado


.

A secretária municipal de Saúde do Rio, Beatriz Busch, apresentou exame positivo para o novo coronavírus. Ela havia se internado preventivamente em um hospital e o resultado do exame foi divulgado na noite desta terça-feira (31).

A confirmação foi anunciada em nota pela Secretaria Municipal de Saúde. “O resultado do teste para covid realizado pela secretária municipal de Saúde do Rio, Beatriz Busch, foi positivo. Ela segue internada no Hospital Barra D’ Or. O quadro clínico permanece estável. A secretária foi internada na noite desta segunda-feira (30), às 20h36, após se sentir mal em casa, apresentando sintomas do covid-19”.

O comando da secretaria, enquanto Beatriz Busch estiver afastada, ficará a cargo do subsecretário Jorge Darze. O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, que despachava diretamente com a secretária, também deverá fazer exame para o coronavírus.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana