Momento Pet

Dicas para levar o animal de estimação para o shopping e não ter problemas

Publicado

source

Um estudo recente do IBGE apontou que 52,2 milhões de cães fazem parte das casas brasileiras. Esses pets estão se tornando não só membros da família, mas também parte da rotina dos donos. Por isso cada vez mais lugares se tornam pet friendly e entre os mais badalados estão os shoppings . Mas, como o tutor sabe que seu bichinho está pronto para ir a um local tão movimentado e com tantas atrações? Quais são os cuidados a serem tomados? 

A primeira forma de saber se o pet está pronto para encarar um novo ambiente é observar a forma como o pet se comporta dentro de casa. Caroline Mouco, veterinária e diretora do Grupo Vet Popular, explica que “Antes de se aventurar com o animal de estimação em lugares públicos é preciso fazer com que ele aceite bem todos os moradores e as visitas recebidas na casa”. 

cachorro no shopping arrow-options
Shuttersock

Antes de levar o animal de estimação para o shopping é preciso tomar alguns cuidados

Caso o animal tenha esse comportamento, o dono pode levá-lo ao shopping tendo em mente que o ambiente é muito diferente. “O shopping tem muita distração, muita informação e isso vai fazer com que o treinamento do cachorro regrida daquilo que ele já tem em casa. Se eu tenho um cão treinado e levo ele para um ambiente descontrolado, com crianças correndo, quiosques de comida, etc, ele fica perdidinho”, explica André Almeida, adestrador e proprietário do Adestramento Comportamental. 

Leia mais:  Casal oferece 30 mil libras para quem cuidar de seus golden retrievers

Para evitar que o treinamento seja prejudicado e outros problemas, o adestrador indica que o dono deixe o cachorro interagir. “Se ele é um cão que não apresenta riscos, ele vai querer ficar mexendo com as pessoas e quanto mais ele receber carinho, mais ele vai sentir prazer de estar no shopping. Mas esse carinho só deve ser feito se o pet estiver com as quatro patas no chão e se comportando, caso contrário o mais indicado é interromper o carinho ou até o passeio”. 

Leia também: Importante! O que saber antes de passear com o cão em dias quentes 

Outro motivo para não seguir com o passeio é a demonstração de agressividade ou medo, segundo Caroline. “Se o cão mostra esses sinais em público, isso pode ser um risco para a segurança dele e das outras pessoas. Mas no geral, e pela proximidade com o tutor, os cães cheiram o ambiente e se adaptam facilmente, pois se sentem seguros.”

Para ir ao shopping a saúde do animal também deve estar em dia. “Jamais leve o seu pet para passear se ele não estiver vacinado, com antipulgas e anticarrapaticidas. Além disso, sempre faça uso de coleira. Cães de médio a grande porte se torna obrigatório o uso de focinheiras”, afirma Caroline. 

cachorro passeando arrow-options
shutterstock

A coleira é indispensável no passeio no shopping

O shopping escolhido e o que o dono pretende fazer nele é outro fator que pesa na decisão de levar ou não o animal. Nem todos os estabelecimentos desse tipo são pet friendly e Luana Sartori, veterinária da Nutrine, alerta que os cães não podem circular na praça de alimentação por questões de segurança e higiene. Apenas os cães-guia têm entrada garantida por Lei nesse setor . Em outras palavras, se você pretende comer na praça de alimentação não leve o pet junto. 

Leia mais:  Muita fofura! Filhote de gato ajuda mulher durante amamentação de bebê

Se o dono estiver com pressa, também é melhor deixar o cão em casa já que a locomoção dos pets deve ser feita por elevadores para a mudança de andar e a fila para isso pode ser grande. 

No fim, a decisão de levar ou não o cão para o shopping depende de muitas situações. Se seu pet for tranquilo, amigável e estiver com as vacinas e medicamentos em dia, pode ir sem medo. Já se o animal não gostar de situações novas, não reagir bem a lugares barulhentos e com muitas pessoas, vale esperar e manter o pet em casa, fazendo a adaptação gradativa ao novo passeio.

Fonte: IG PET

Comentários Facebook
publicidade

Momento Pet

As doenças em cães mais comuns no verão e como evitá-las

Publicado

source

O verão é a época mais quente do ano, mas as chuvas também são frequentes. Com o aumento da temperatura, da umidade, além dos passeios em parques e brincadeiras com água, os cães ficam mais suscetíveis a algumas doenças . De acordo com Thaís Matos, veterinária da DogHero, infestação de parasitas, insolação e hipertermia, desidratação e viroses são os problemas de saúde mais comuns na estação. 

Para evitar essas doenças em cães  o dono precisa conhecê-las a fundo e tomar todos os cuidados para previní-las. Thaís explica cada uma delas. 

Infestação de pulgas e carrapatos

pulga na mão de dono de cachorro arrow-options
reprodução shutterstock

Com a chegada do verão, os donos precisam tomar vários cuidados com os animais, dentre eles a proliferação de pulgas e carrapatos

O clima do verão cria um ambiente propício para que pulgas e carrapatos se multipliquem. Esse cenário somado ao aumento dos passeios em parques, praias, faz com que o risco do pet contrair uma infestação seja grande. “O ideal é que o pet esteja sempre com a prevenção de pulgas e carrapatos em dia, independentemente da época do ano. Porém, no verão, a atenção precisa ser maior”, afirma a veterinária. 

Os principais sintomas de que o cachorro está com o problema de saúde são coceira, alergia (dermatite alérgica à picada de pulga) e até falta de pelo em determinados lugares. 

Leia mais:  Muita fofura! Filhote de gato ajuda mulher durante amamentação de bebê

Leia também:  Listamos os melhores produtos antipulgas para seu cão não passar aperto no verão

Insolação e hipertermia

Esses problemas de saúde costumam se manifestar quando os cães fazem exercícios físicos em locais com temperaturas elevadas, ficam dentro do carro por muito tempo ou em cômodos pouco arejados. Exposição ao sol por longo período também é uma causa. Com raças de pelagem densa (bernese, são bernardo, etc) e braquicefálica (pug, buldogue, etc) a preocupação deve ser maior , já que elas apresentam uma dificuldade natural de regular a temperatura corporal. 

Respiração ofegante, fraqueza e até diarreia com sangue e/ou urina escurecida são os principais sintomas. “Procure um veterinário para a terapia de suporte e reversão do quadro o mais rápido possível, pois a condição pode levar a óbito. Mantenha o pet em local resfrigerado até a assistência acontecer. Não é indicado tentar resfriá-lo dando gelo, isso pode causar um choque térmico”, alerta Thaís. 

Desidratação

cachorro bebendo água arrow-options
Divulgação

O cachorro precisa ter água fresca disponível o tempo todo durante o verão

No calor a perda de água corporal é maior, principalmente quando se trata de cães filhotes ou idosos. O problema pode causa vômito, dificuldade de respiração, diarreia e até problemas de pele. Qualquer sintoma já é motivo para levar o pet ao veterinário. 

Leia mais:  Gato curioso assusta mulher e invade seu carro; veja fotos

A dica da Dra. Thaís para evitar que o cachorro fique desidratado é manter água disponível todo o tempo, inclusive colocando uma pedrinha de gelo para deixá-la sempre fresquinha. Uma boa opção é ter várias vasilhas espalhadas pelo local onde ele fica e sempre lembrar de levar água para o passeio. 

Viroses

Outras doenças que os donos devem previnir com mais veemência durante o verão são as viroses, que são altamente contagiosas. Elas podem ser transmitidas de diferentes formas: por contato com outros animais infectados, como a Parvovirose e a Cinomose ; e por vetores, caso da Leishmaniose (transmitida por mosquito) e da Leptospirose (transmitida pela urina do rato). 

“A prevenção é através da vacinação anual (V8 ou V10). Cada uma das viroses tem características específicas, mas existem sintomas comuns como vômito, perda de apetite, diarreia, desidratação, entre outros. Procure sempre o médico veterinário para que ele possa identificar qual virose e qual é o tratamento recomendado para o pet”, finaliza a veterinária. 

Fonte: IG PET

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Pet

Almofada com formato e estampa realista de cachorro viraliza na internet

Publicado

source

A canadense Jackie Madeleine tem confundido não só seus amigos e parentes, mas também alguns internautas em um grupo de objetos de segunda mão no Facebook. Ela compartilhou uma almofada um tanto quanto realista no formato de um cachorro  deitado.

Leia também: Bolo idêntico a gato faz felicidade de aniversariante

Almofada realista de cachorro arrow-options
Facebook/ Jackie Madeleine

Almofada realista de cachorro


Segundo a mulher, todo ano ela e sua família realizam a “troca de presentes estranhos”, e esse com certeza ganhou de todos. O filho dela encontrou essa almofada em uma loja de objetos usados em Toronto. “Estou posicionando ela em vários lugares diferentes pela casa para deixar todo mundo surtado”, conta. 

Almofada arrow-options
Facebook/ Jackie Madeleine

Almofada


Segundo a mulher, o melhor de tudo nem é o susto das pessoas ao achar que aquilo é um cão de verdade, mas sim a aparência da almofada ao olhá-la de frente. 

Almofada de frente arrow-options
Facebook/ Jackie Madeleine

Almofada de frente


Fonte: IG PET

Comentários Facebook
Leia mais:  Gato carinhoso impede dona de tocar trombone por motivo fofo; veja
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana