Momento Saúde

Em parceria, reeducandos irão reformar móveis do Hospital Regional de Rondonópolis MT

Publicado

 

    O trabalho de reeducandos, que atuam na serralheira da Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, em Rondonópolis, está beneficiando mais uma instituição pública do município, o Hospital Regional Irmã Elza Giovanella.
 
    Uma parceria firmada no mês de julho entre a direção da penitenciária e a unidade de saúde está possibilitando a reforma de móveis hospitalares como camas, macas e escadas de apoio, que estavam danificadas.
 
    O trabalho dos reeducandos na serralheira é restaurar todos os móveis, enquanto que o hospital adquiriu os materiais necessários.
 
    O diretor adjunto da penitenciária, Paulo Rufino, afirma que a atividade, além de possibilitar ocupação aos reeducandos, contribui com a população de uma forma geral, pois é o hospital que ganha móveis reformados e que podem atender adequadamente os pacientes.
 
    “É uma maneira do Sistema Penitenciário retribuir em prestação de serviços à sociedade. Além dessa parceria com o hospital regional, temos outras atividades prestadas a escolas, creches e instituições filantrópicas, com serviços como limpeza, pintura, doação de hortaliças”, conta o agente penitenciário.
 
    “Com essa parceria serão disponibilizadas mais 30 camas, 10 macas e 30 escadinhas de acesso para os usuários do hospital”, explica a diretora da unidade de saúde, Caroline Dobes.
 
    A restauração dos móveis permite que o hospital economize com o serviço, pois a mão de obra não tem custo. Sem a parceria, cada maca seria restaurada a um custo de R$ 400 e, por meio da cooperação, cada item restaurado terá custo de R$ 53, totalizando economia de R$ 11 mil ao Governo do Estado.
 
    Aos  reeducandos é garantida a remição por dia trabalhado, conforme prevê a Lei de Execuções Penais. A cada três dias de trabalho, um é abatido na pena.
Comentários Facebook
publicidade

Momento Saúde

Brasil tem 1.577.004 casos de covid-19 diagnosticados

Publicado


.

Segundo o boletim divulgado no final da tarde de hoje (04) pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou até o momento 1.577.004 casos de covid-19. Destes, 64.265 casos resultaram em óbito. O número de pessoas recuperadas é de 876.359.

O boletim diário do Ministério da Saúde revela os números deste sábado (04). O boletim diário do Ministério da Saúde revela os números deste sábado (04).

Entre os estados, São Paulo continua com o maior número de casos até agora, 312.530; seguido à distância pelo Ceará (120.952) e Rio de Janeiro (120.440). Em número de mortes, no entanto, o Rio de Janeiro, com 10.624, ultrapassa o Ceará, que teve 6.411 óbitos até o momento. Também nesse quesito, São Paulo registra o maior número, com 15.996 mortes.

Entre os estados com menos registros, o Mato Grosso do Sul é a área de menor incidência, com 9.910 casos e 114 mortes. Tocantins, com 12.282 casos e 215 mortes, vem em seguida.

Apesar dos números nacionais, algumas cidades estudam a volta gradual da rotina. Na cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas assinou os protocolos para reabertura dos setores de bares, restaurantes, estética e beleza na cidade.

No Rio de Janeiro, a reabertura de bares levou muita gente para a rua durante o primeiro dia de liberação. Ontem (03), após medidas punitivas, os estabelecimentos da cidade tomaram atitudes para diminuir as aglomerações. Já no Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha assinou decreto com o calendário de abertura de bares e escolas. O DF registra, até o momento, 55.760 casos diagnosticados e 671 mortes.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Saúde

Anvisa autoriza testes para outra vacina contra covid-19

Publicado


.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a empresa chinesa Sinovac Biotech a realizar testes para uma nova vacina contra o novo coronavírus. O teste da vacina deve ser feito em 9 mil pessoas, nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, além do Distrito Federal.

O estudo aprovado pela Anvisa se refere a um ensaio clínico fase III duplo-cego, controlado com placebo. Antes de dar a autorização, a agência analisou as fases anteriores de teste da vacina. Foram realizados estudos não-clínicos em animais, cujos resultados demonstraram que a vacina apresenta segurança aceitável. A vacina é feita a partir de cepas inativadas do novo coronavírus.

O termo “ensaio clínico” se refere aos estudos de um novo medicamento realizados em seres humanos. A fase clínica serve para validar a relação de eficácia e segurança do medicamento e também para validar novas indicações terapêuticas.

Este é o segundo teste de vacina contra covid-19 realizado no Brasil. O primeiro, desenvolvido pela universidade de Oxford, no Reino Unido, tem sido realizado em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), com participação do grupo farmacêutico Astrazeneca. Essa vacina já se encontra em estágio mais avançado de testes e há possibilidade de ser distribuída à população ainda este ano.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana