Nacional

Em São Paulo, 72% das mortes são de pessoas com mais de 60 anos

Publicado

source

Agência Brasil

idoso arrow-options
Pixabay/Creative Commons
Estudo aponta que população paulista com mais de 50 anos cresceu 85%

Quase três quartos das mortes no estado de São Paulo são de pessoas com mais de 60 anos. Segundo levantamento da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), em 2018, 297,8 mil residentes morreram no estado. Desses, 72% eram de pessoas com mais de 60 anos de idade e 20% de idosos acima dos 85 anos.

Leia mais: PCC perde força em São Paulo após isolamento de 22 líderes

A fundação chama atenção para uma mudança nos padrões nas últimas décadas, consolidando a tendência de envelhecimento populacional . “A população paulista com 50 anos e mais cresceu 85% em 18 anos, ao passo que a de menos de 50 anos aumentou somente 5%”, compara o estudo.

Em 2000, morreram 162,1 mil pessoas com mais de 50 anos, enquanto, em 2018, foram 250,3 mil. Em 2018, foram 47,5 mil mortes de pessoas com menos de 50 anos. Dezoito anos antes, o número nessa faixa etária era de 75,5 mil.

Em 2018, a idade média da pulação era de 35,7 anos; em 2000, era de 30,2 anos e, em 1980, de 26,1 anos. Combinam-se nessa mudança de perfil, a queda nas taxas de mortalidade e natalidade . A população paulista cresceu 4,8 vezes entre 1950 e 2018, enquanto o número de mortes aumentou a uma taxa de 2,7 vezes no período.

Causas de morte

No triênio de 2016 a 2018, as quatro principais causas de morte da população do estado foram doenças do aparelho circulatório (29%), neoplasias – tumores (18%), doenças do aparelho respiratório (14%) e causas externas (7%).

Leia também: Datena recebe propostas para se candidatar a prefeito de São Paulo

A principal mudança em relação aos três anos de 1999 a 2001 é a redução das mortes por causas externas, especialmente acidentes de trânsito e homicídios. Naquele período, as causas externas eram responsáveis por 14% dos óbitos, as doenças do aparelho circulatório por 31%, as neoplasias por 15% e as doenças do aparelho respiratório por 11%.

2050

As projeções da Seade indicam que em 2050 o estado de São Paulo chegará aos 47,2 milhões de moradores, crescendo em relação aos 44 milhões de 2018. A idade média passará para 44,1 anos e o número médio de mortes alcançará o patamar de 512,8 mil por ano.

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

SAMU de Bragança Paulista terá sangue para salvar pacientes com transfusões

Publicado

source
Ambulância do SAMU terá bolsas para transfusão de sangue arrow-options
André Gustavo / Stumpf / Creative Commons

Ambulância do SAMU terá bolsas para transfusão de sangue

A partir de março será implantado em Bragança Paulista  um projeto pioneiro que consiste em transportar bolsas de sangue 24 horas por dia nas viaturas do SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência . O intuito é atender aos 475 mil habitantes das 11 cidades da região, onde são realizados cerca de 4.500 atendimentos emergenciais mensais. 

A implementação das bolsas de sangue nas viaturas deve mostrar eficiência, principalmente, às vítimas de casos como choque hemorrágico, politraumas, hemorrogias, puérperas, entre outras situações que envolvem sangramento abundante.

Leia também: Homem morre ao tentar assaltar PM do batalhão de choque no Rio de Janeiro 

Segundo o diretor técnico  SAMU , Lucas Certain, a conservação e o armazenamento não apropriados das bolsas de sangue pode ser fatal aos pacientes e, por isso, para a efetividade da transfusão de caráter emergencial, é essencial que haja um monitoramento contínuo da temperatura dos compartimentos, mantendo-os sempre entre 1°C a 10°C, como prevêem as normas da Anvisa e do Ministério da Saúde.

Para isso, o serviço, pioneiro na América do Sul, contará com o Polar Sat – equipamento de monitoramento térmico e geolocalização em tempo real. “A Austrália foi pioneira neste serviço, e além dela outros 11 países dispõem de componentes sanguíneos em suas ambulâncias e helicópteros, onde estudos civis e militares demonstraram redução de mortalidade. A diferença é que os data loggers deles são retrospectivos; ou seja, se der algum problema de temperatura, eles só vão descobrir depois que transfundiu para o paciente”, explica.

Veja mais: Operação mira empresários suspeitos de fraude entre 2012 e 2018 

Segundo ele, o serviço que será implantado em Bragança será mais seguro e eficaz, já que com o dispositivo Polar Sat é possível monitorar a quantidade de hemácias de forma contínua, 24 horas por dia.

O projeto conta com a parceria do Hospital Universitário São Francisco e espera diminuir as principais causas de morte por sangramentos no Brasil. Hoje, a principal causa de óbitos no país é o trauma, que acomete pessoas de 1 a 44 anos, seguidos de pneumotórax hipertensivo, tamponamento cardíaco e obstrução de via aérea.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Jair faz como Eduardo e insinua que repórter da Folha trocou informação por sexo

Publicado

source
Bolsonaro arrow-options
Jorge William / Agência O Globo

Presidente Jair Bolsonaro faz ataques à jornalista da Folha


O presidente Jair Bolsonaro insultou nesta terça-feira a jornalista Patrícia Campos Mello, do jornal Folha de S. Paulo. “Ela queria um furo. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim”, disse o presidente, em entrevista na saída do Palácio da Alvorada.

A declaração faz referência ao depoimento de Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, que durante CPMI das Fake News por falso testemunho em depoimento prestado ao colegiado. Nascimento disse que a jornalista “queria sair” com ele em troca de informações para uma reportagem.

Leia também: Bolsonaro fala em “perícia independente” no corpo de Adriano da Nóbrega

Em dezembro de 2018, uma reportagem da Folha de S. Paulo revelou uma rede de empresas, entre elas a Yacows, que usava nome e CPFs de idosos para registrar chips de celular e garantir o disparo de mensagens de campanha. 

“Olha a jornalista da Folha de S.Paulo. Tem mais um vídeo dela aí. Não vou falar aqui porque tem senhoras aqui do lado. Ela falando: ‘Eu sou (…) do PT’, certo? O depoimento do Hans River, foi final de 2018 para o Ministério Público, ele diz do assédio da jornalista em cima dele”, diz o presidente.

Leia também: Ação contra pornografia infantil e pedofilia mira 12 estados e quatro países

“Ela queria um furo. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim [risos dele e dos demais]. Lá em 2018 ele [Hans] já dizia que ele chegava e ia perguntando: ‘O Bolsonaro pagou pra você divulgar pelo Whatsapp informações?’ E outra, se você fez fake news contra o PT, menos com menos dá mais na matemática, se eu for mentir contra o PT, eu tô falando bem, porque o PT só fez besteira”, disse. 

“Tem um povo aqui em referência a um grupo de simpatizantes, alguém recebeu no zap uma matéria qualquer que suspeitou pra prejudicar o PT e me beneficiar? Ninguém recebeu nada. Não tem materialidade, zero, zero zero. Você não precisa mentir pra falar sobre o PT, os caras arrebentaram com Petrobras, fundo de pensões, BNDES…”

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana