Momento Destaque

Família de Gerente de Supermercado que faleceu com Coronavírus em Lucas do Rio Verde MT afirma que vítima recebeu tratamento para Dengue

Publicado

Os sintomas do gerente de supermercado Luiz Nunes da Silva(foto), de 54 anos, que morreu na madrugada de hoje (3), após testar positivo para Covid-19, inicialmente foram confundidos com o diagnóstico de dengue pelos médicos de Lucas de Rio Verde MT, onde ele estava internado em uma UTI do município desde domingo (29).

O paciente foi sepultado no inicio da tarde desta sexta-feira(03), com caixão lacrado e sem familiares presentes.

De acordo com familiares de Luiz, que preferem não se identificar, o gerente viajou à trabalho para Santa Catarina (SC), há cerca de 14 dias. Durante a viagem, chegou a passar por São Paulo, onde, provavelmente, pode ter sido infectado pelo novo coronavírus.

Quando chegou em Lucas do Rio Verde, ele já apresentava alguns sintomas e procurou uma unidade de saúde, onde foi diagnosticado com dengue. Porém, no domingo (29), o quadro de saúde de Luiz se agravou e procurou novamente por ajuda médica. “Ele passou muito mal, teve febre alta, muita falta de ar. Foi internado e já levaram para a UTI. Infelizmente era do grupo de risco [tinha diabetes e hipertensão]. Acabamos perdendo ele”, lamenta.

Ainda de acordo com as informações apuradas, os sintomas de Luiz foram tratados como dengue até ontem (2), quando o resultado do exame para Covid-19 ficou pronto. Contudo, durante o gerente morreu hoje (3), por volta das 4h. A Prefeitura de Lucas do Rio Verde, por sua vez, nega. Garante que estava com respirador e era tratado há dias, devido a suspeita de coronavírus.

Ele trabalhava em uma unidade do Supermercado Pascoalotto, no município. No entando, a família não soube informar se ele estava comparecendo ao trabalho. A mulher e os dois filhos de Luiz não manifestaram sintomas da Covid-19, mas foram orientados a permanecer em isolamento durante 14 dias.

Sem velório

Por conta do alto grau de contágio do novo coronavírus, o velório das vítimas atende a protocolos específicos determinados pelo ministério da Saúde. Fator que comoveu ainda mais a família de Luiz, que lamenta não ter tido chances de dar o “último adeus”.

“É o mais triste de tudo. Não pediram nenhuma roupa, nada. O corpo é colocado dentro de um saco, que é colocado no caixão. Vai direto para o cemitério e as pessoas que participaram tiveram que manter distância. Isso é mais triste, não poder dar um abraço, não poder se despedir. É muito difícil para uma família não poder dar o último adeus. Saiu do hospital direto para o cemitério”, conta.

Em Lucas do Rio Verde três pessoas aguardam resultado do teste para Covid-19, duas internadas no Hospital São Lucas e uma em isolamento domiciliar. O prefeito do município, Luiz Binotti (PSD) anunciou que vai publicar um decreto mantendo as restrições de funcionamento do comércio e suspensão das aulas até dias 30 de abril. Ele chegou a afirmar que não acreditava que a situação do gerente seria “tão grave”.

No final da tarde desta sexta-feira(03), o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus de Lucas do Rio verde MT, emitiu nota oficial, sobre a denúncia dos familiares da vítima. Veja a nota, na íntegra:

 

 

Otavio Ventureli(com RD News)

Comentários Facebook
publicidade

Momento Destaque

Operação de inteligência das Forças de Segurança de Mato Grosso mata dois bandidos que participaram de assalto a Banco em Guiratinga MT

Publicado

Dois acusados de envolvimento no assalto à agência do Bradesco da cidade de Guiratinga  em Mato Grosso, na última segunda-feira (1º), foram mortos em confronto com policiais militares da Força Tática. A infgormação foi revelada nesta quinta-feira(04)

A operação aconteceu, nesta quarta(03)  em uma região de mata, na zona rural da cidade de São José do Povo, no sulk do Estado.

Os dois mortos, que não tiveram seus nomes divulgados, seriam membros de uma grande quadrilha envolvida e assaltos e arrombamentos com explosões de caixas eletrôinicos, um deles na agência do Bradesco, na segunda-feira(1º).

Na operação integrada por outros batalhões – inclusive, da Inteligência -, segundo a Polícia Militar, quatro bandidos foram presos (dois no mesmo dia do assalto). Os dois mortos e os outros dois presos nesta quarta-feira(03) eram investigados e procurados.

Além das seis prisões e dos dois bandidos mortos na troca de tiros com policiais da Força Tátca, também foram apreendidos dois carros usados pela quadrilha durante o assalto com explosão.
Os policiais também recuperaram parte do dinheiro furtado durante as explosões dos caixas eletrônico do Bradesco de Guiratinga. Os valores recuperados, no entanto, não foram revelados.

Também foi apreendida  parte de explosivos, como bananas de dinamites, que não foram utilizadas. Segundo a Assessoria da Polícia Militar, a operação para prender a quadrilha teve a participação de policiais da Agência Regional de inteligência (ARI), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

 

Otavio Ventureli(com Ascom PM)

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Destaque

Ministério Público de Minas se manifesta favorável ao arquivamento provisório do 2º inquérito policial que apura atentado contra Bolsonaro

Publicado

O Ministério Público Federal em Minas Gerais se manifestou, nesta quinta-feira(04) pelo arquivamento provisório do segundo inquérito policial que apura a possível participação de terceiros no atentado contra o presidente Jair Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018.

No documento enviado à Justiça Federal, a Procuradoria afirma ter concluído, após análise do material reunido pela Polícia Federal, que Adélio Bispo de Oliveira(foto) concebeu, planejou e executou sozinho o atentado.

Adélio, declarado inimputável por ter doença mental, mas com conta bancária, cumpre medida de segurança no presídio federal de Campo Grande (MS).

Segundo o Ministério Público Federal, Adélio já estava em Juiz de Fora MG quando o ato de campanha do então candidato Bolsonaro foi programado e, portanto, o autor da facada não se deslocou até a cidade com o objetivo de cometer o crime.

Os representantes da Procuradoria afirmam ainda que Adélio não mantinha relações pessoais com nenhuma pessoa na cidade mineira, tampouco estabeleceu contatos que pudessem ter exercido influência sobre o atentado.

Além disso, frisam os procuradores que ele não efetuou ou recebeu ligações telefônicas ou troca de mensagens por meio eletrônico com possível interessado no atentado ou relacionadas ao crime.

As investigações da polícia, de acordo com a Procuradoria, deixaram claro que, nas contas bancárias de Adélio e de seus familiares também investigados, não houve movimentação financeira incompatível com seus trabalhos ou com seus padrões de vida.

A apuração não encontrou valores atípicos ou de origens desconhecidas nas contas do suspeito ou de seus familiares. “Não há respaldo à hipótese de que o delito pudesse ter sido praticado mediante pagamento”, afirma o Ministério Público Federal.

Apesar de as conclusões do inquérito apontarem para Adélio como único autor do crime, o pedido de arquivamento enviado à Justiça Federal é provisório, em razão de diligências que dependem de decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) para serem concluídas e que poderiam, em tese, revelar a existência de grupo ou pessoas no atentado.

 

Otavio Ventureli(com assessoria)

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana