Política Nacional

Haddad supera Bolsonaro em processos por “mentiras durante campanha”

Publicado

source

IstoÉ

Haddad arrow-options
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 11.10.18
Enquanto Haddad responde a 15 processos por mentiras na campanha, Bolsonaro responde a 14.

Fernando Haddad, candidato do PT a presidente em 2018, levou o título de “rei das fake news”, respondendo 15 processos na Justiça Eleitoral por contar mentiras na campanha. Bolsonaro ficou com o vice: respondeu a 14 ações por mentir aos eleitores. Márcio França (PSB), candidato ao governo de SP, ficou em terceiro, com 13 processos.

Leia também: Mourão minimiza uso do AI-5 no regime militar e nega o uso da palavra ‘ditadura’ 

Poste

Percebendo que o PT quer colocá-lo em mais uma roubada, Haddad já avisou ao partido que não pretende ser candidato a prefeito de São Paulo em 2020, como deseja a cúpula petista. Haddad deu o refrão: “Preciso me reorganizar e ganhar fôlego para as campanhas que virão pela frente”. Ele sonha em voltar a ser o poste de Lula em 2022.

Novo PSDB

Depois de ter perdido feio a eleição presidencial em 2018, o PSDB está mudando com vistas às próximas eleições, sobretudo em relação à sucessão de Bolsonaro em 2022. O primeiro passo da modernização do partido, agora presidido pelo ex-deputado Bruno Araújo, foi a consulta a 500 mil filiados por meios eletrônicos sobre os assuntos mais importantes do momento. Apesar de os tucanos decidirem que farão oposição a Bolsonaro na área de costumes, o partido resolveu, em seu Congresso Nacional realizado no sábado 4, em Brasília, com a presença de 700 convencionais, que continuará apoiando as reformas e a política de privatizações. Ou seja, o novo PSDB defenderá o liberalismo econômico, mas continuará condenando o autoritarismo e a política de extrema-direita de Bolsonaro.

Aclamado

O congresso tucano contou com o protagonismo dos governadores João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS). Os dois chegaram a rivalizar, pois ambos são pré-candidatos a presidente da República. Mas, ao final, pousaram para fotos juntos, com a promessa de união para no futuro. Doria saiu aclamado como presidenciável para 2022. Leite será vice?

FHC

FHC arrow-options
Wilson Dias/Agência Brasil
Ausência do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi a mais notada.

Algumas ausências foram sentidas, como as de Serra, Alckmin e Aécio, os últimos candidatos a presidente. A mais notada, porém, foi a do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, sobretudo porque ele anda defendendo o nome de Luciano Huck para 2022. Por isso mesmo, Doria visitou FHC no domingo 5, em seu apartamento no bairro de Higienópolis.

“Partido não é quitanda!”

O ministro Luís Roberto Barroso, que assumirá a presidência do TSE em maio, promete atacar assuntos polêmicos no tribunal, como a prestação de contas dos partidos. Vencido no julgamento em que o STF derrubou a possibilidade de suspender os diretórios que deixarem de prestar contas, Barroso afirmou: “Partido político não é quitanda. Partido político recebe dinheiro público e tem que prestar contas.”

Leia também: Datafolha: para 81%, Lava Jato ainda não cumpriu objetivo e deve seguir 

Rápidas

  • O ex-deputado Alberto Fraga, ex-coordenador da bancada da bala e amigo de Bolsonaro, está cotado para ocupar o lugar do general Eduardo Ramos na Secretaria de Governo. Essa é a vontade do Congresso, que está com um pote até aqui de mágoas com o general.
  • Rodrigo Maia quer que a segunda instância seja introduzida na Carta Magna via emenda constitucional. “Não adianta querer jogar para a galera e aprovar qualquer coisa, para depois o Supremo derrubar outra vez.”
  • O deputado Felipe Rigoni (PSB-ES) não entende por que o Congresso debate o aumento do fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões ao mesmo tempo em que o governo não apresenta nenhum plano para melhorar o IDH.
  • Caducou a MP 892 que Bolsonaro enviou ao Congresso para desobrigar empresas de publicarem balanços em jornais de grande circulação. Bolsonaro e Wajngarte queriam sufocar os jornais como o Valor Econômico.

Retrato falado

Sempre que há ameaças à democracia, ressurge o ex-ministro da Justiça, José Carlos Dias. Aos 80 anos, agora ele está à frente da Comissão Arns, que luta pela preservação dos Direitos Humanos. Recentemente, Dias denunciou Bolsonaro ao Tribunal Penal Internacional, em Haia, na Holanda, por crimes contra a humanidade. O presidente brasileiro teria incitado ataques à comunidade indígena. O ex-ministro assessorou dom Paulo Arns em sua luta contra a ditadura militar (1964 a 1985).

Expulsos do paraíso

Os bolsonaristas tiveram revezes em série esta semana. Começou com o deputado Eduardo Bolsonaro, que foi suspenso do PSL por um ano, por ter desrespeitado o estatuto e o código de ética da sigla. Entre outras coisas, ofendeu a deputada Joice Hasselmann. Por isso, inclusive, pode até ter o mandato cassado. Com a punição, dançou na liderança do partido na Câmara. Pior: ficou também sem a embaixada em Washington. Vai ver Trump pela TV. Dudu perderá, ainda, o cargo de presidente do PSL de São Paulo, que tanto teimou em ter. Quem tudo quer, nada tem. Outros 17 deputados do PSL foram punidos pela direção bivarista. Está provado: política não é para amadores.

Pastor sem ovelhas

O deputado Marco Feliciano (SP), pastor ligado a Bolsonaro, teve azar semelhante: foi expulso do Podemos, o partido que teve Álvaro Dias como candidato a presidente em 2018. Ao invés de fazer campanha pelo senador do Paraná, Feliciano vestiu a camisa de Bolsonaro. Vai para o Aliança pelo Brasil.

Bando de desocupados

Depois de ter cedido sua casa no Rio para Bolsonaro gravar a propaganda eleitoral, Paulo Marinho foi chutado para longe. Mas, agora, ele é o presidente do PSDB do Rio. Na condição de ex-coordenador da campanha do PSL, ele foi chamado à CPMI das Fake News. “Os bolsominios são um bando de desocupados”

Leia também: “Fiz campanha para Bolsonaro e me arrependi”, diz hacker de Moro

Toma lá dá cá

General Carlos Alberto dos Santos Cruz arrow-options
Reprodução/Twitter
General Carlos Alberto dos Santos Cruz diz que analisaria alguns partidos para se filiar.

O senhor pensa em se filiar a algum partido?
Se for me filiar, vou analisar alguns partidos. O único com o qual não tenho nenhuma afinidade é com aquele que esteve no poder por um tempo longo nos últimos anos e se caracterizou por corrupção e demagogia.

Seria o PT?
Sim, o grupo de partidos que uniu corruptos e os demagogos e que, utilizando-se de um discurso copiado de velhas cartilhas socialistas e comunistas, causaram um mal imenso ao país.

Por que a atuação dos militares é importante neste momento de radicalização na política?
Em momentos de extremismos de direita e esquerda, acho que todas as pessoas equilibradas são importantes, sejam civis ou militares. A palavra chave é equilíbrio.

*Colaborou: Marcos Strecker

Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Tabata Amaral passa carnaval no Sambódromo de São Paulo

Publicado


source
Tabata no Sambódromo arrow-options
Reprodução/Instagram

Tabata no Sambódromo

A deputada federal Tabata Amaral (PDT) passou a sexta-feira (21) de carnaval no Sambódromo do Anhembi, na capital paulista. Ornamentada com lantejoulas e bujiterias em tons de rosa, a política assistiu aos desfiles das escolas de samba de São Paulo.

Fantasia de Tabata Amaral arrow-options
Reprodução/Instagram

Fantasia de Tabata

Leia também: Previsão de chuva no Carnaval não desanima cariocas

“Quando eu era pequena, sempre via o desfile das escolas de samba pela TV. Ver tudo isso de pertinho pela primeira vez foi emocionante demais”, escreveu Tabata em seu Instagram. 

Tabata é natural de São Paulo e entre suas pautas está a luta pela igualdade de gênero. Entre as fotos que ela divulgou, há uma de um cartaz escrito “lute com uma garota” utilizado por uma das escolas de samba no Sambódromo . A deputada desejou que este carnaval tenha “muito respeito e amor, para todos”.


Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Prefeito de Luziânia é afastado do cargo após denúncias de assédio sexual

Publicado


source

O Tribunal de justiça de Goiás (TJGO) decidiu afastar Cristóvão Tormin, do PSD, do cargo de prefeito da cidade de Luziânia, município que fica á cerca de 200km de Goiânia, capital do estado.

Leia também: Bolsonaro comenta foto de Olavo de Carvalho em hospital e preocupa fãs

Prefeito de Luziânia discursando em um evento. arrow-options
Reprodução/Prefeitura de Luziânia

O TJGO afastou o prefeito por 120 dias, a vice-prefeita Edna Aparecida Alves de Silveira assume o cargo interinamente.



Após denúncias de importunação sexual, o TJGO afastou o prefeito por 120 dias, com o intuito de proteger as vítimas e evitar intimidações ou interferências durante a investigação dos crimes a ele atribuídos. Mais de uma denúncia de importunação sexual foi feita contra Tormin, com uma das vítimas relatando três situações de assédio, a mais antiga delas teria acontecido em 2016.

Leia também: PGR não vê motivos suficientes para impeachment de Weintraub

Prefeito de Luziânia ao centro, com mais dois apoiadores ao seu lado. arrow-options
Reprodução/Prefeitura de Luziânia

O TJGO afastou o prefeito por 120 dias, a vice-prefeita Edna Aparecida Alves de Silveira assume o cargo interinamente.

A vice-prefeita Edna Aparecida Alves de Silveira (PROS) assume a condução da cidade temporariamente. Além das denúncias de importunação sexual, Cristóvão Tormin também enfrenta denúncias feitas pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), que o acusa de improbidade administrativa pela suposta contratação de um funcionário fantasma.

Leia também: Quatro ex-deputados federais acertam bolão e dividem a quina da Mega-Sena

Caso condenado pelo crime de importunação sexual, Cristóvão Tormin ser submetido a pena que varia de 1 a 5 anos de reclusão.

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana