Internacional

Homem é preso após arrancar cabeça de mulher e comer cérebro dela com arroz

Publicado

source
homem com rosto borrado arrow-options
Polícia da Tailândia / Reprodução

Homem confessou crime após ser preso

Um homem de 21 anos foi preso na ilha de Mindanao, nas Filipinas , após decapitar uma mulher e comer partes do cérebro dela. Lloyd Bagtong foi descoberto pela polícia após o corpo da vítima, que ainda não foi identificada, ser achado sem cabeça nas imediações da casa dele.

Testemunhas acharam as roupas do cadáver semelhantes às de uma mulher que andava com Lloyd momentos antes. Assim, a polícia chegou até o rapaz.

Ele confessou o crime imediatamente, dizendo que estava bêbado e com fome quando a vítima apareceu. O suspeito, então, pegou uma machadinha que estava presa à calça dele e desferiu golpes na vítima. Ele arrancou a cabeça dela, enrolou em uma peça de roupa da própria mulher e levou para casa.

Leia também: Mulher finge gravidez e é presa com “bebê” de 4 kg de maconha

O rapaz confessou, ainda, que cozinhou arroz e comeu junto com pedaços do cérebro dela. A suspeita da polícia é de que o homem tenha problemas mentais. “O suspeito disse que matou a vítima porque ela estava falando inglês. Isso provavelmente irritou ele”, afirmou em entrevista ao jornal Strait Times Asia o chefe da polícia local, Capitão Maribeth Ramoga.

Agora, a polícia trabalha na identificação da vítima e aguarda que parentes ou amigos procurem as autoridades e identifiquem o corpo da mulher . A suspeita é de que ela seja turista. O rapaz está preso e aguarda julgamento por assassinato.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

EUA incluem entidades e indivíduos na lista de sanções por apoiar Irã

Publicado

O governo americano disse que acrescentou companhias com sede na China, em Hong Kong e Dubai, além de dois indivíduos, à sua lista de sanções por apoiar o Irã.

O Departamento do Tesouro anunciou, nessa quinta-feira (23), que adotou a medida contra quatro empresas de petróleo e petroquímicas. Duas delas têm sede em Hong Kong e as outras, em Xangai e Dubai.

Segundo o departamento, as firmas ajudaram a Companhia Nacional de Petróleo do Irã a exportar o produto e derivados aos Emirados Árabes Unidos e à China. O valor de exportação equivale, ao todo, a milhões de dólares.

Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, anuncia sanções contra a Coreia do Norte

O secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin – REUTERS/Jonathan Ernst

O secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, afirmou, em comunicado, que os setores petroquímico e de petróleo constituem fontes primárias de fundos para as atividades terroristas do governo iraniano em todo o mundo.

Uma medida similar foi adotada pelo Departamento de Estado americano, que anunciou na quinta-feira, a inclusão de novas entidades à sua lista de sanções. Uma empresa na China continental e duas firmas baseadas em Hong Kong, além de dois indivíduos, foram acrescentados à lista. Uma das companhias com sede em Hong Kong também está na relação do Departamento do Tesouro.

O secretário de Estado, Mike Pompeo, disse, no Twitter,  que “a pressão máxima sobre o regime iraniano irá continuar até que seu comportamento mude”. Ele alertou que entidades ou indivíduos que apoiam atividades iranianas serão alvo de sanções.

*Emissora pública de televisão do Japão

Edição:

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Discussão sobre paridade de gênero é adiada no Chile

Publicado

A Câmara dos Deputados do Chile adiou para a próxima quinta-feira a votação do projeto que visa garantir a paridade de gênero no processo constituinte. Essa semana a matéria retornou à Câmara após não ter consenso no Senado.

O Chile passará por um plebiscito no próximo dia 26 de abril, para definir se a população quer ou não uma nova Constituição. A discussão no Congresso é para definir os mecanismos que garantirão a igualdade, em números, entre homens e mulheres, entre os candidatos a integrar o órgão constituinte que será composto para discutir e elaborar a nova Constituição.

O presidente da Câmara, Iván Flores, explicou que o adiamento da discussão se deu porque “a Comissão das Mulheres e Equidade de Gênero está trabalhando na busca de melhores acordos”.

Após despacho da Câmara, previsto para a semana que vem, o projeto deve ser encaminhado para uma Comissão Mista, composta por 5 deputados e 5 senadores, que têm a tarefa de propor a ambas as Casas uma solução para assuntos controversos.

Na última quarta-feira (22), os senadores não aprovaram nenhuma das duas propostas que estão em discussão. Uma, feita pela oposição, defende que as listas de candidatos (às vagas para integrar o órgão constituinte que será criado) sejam compostas por 50% de mulheres, além de um sistema de correção posterior para que as vagas em cada município sejam distribuídas de maneira que nenhum sexo se imponha sobre o outro.

A segunda proposta, também rejeitada, foi elaborada por apoiadores do presidente do Chile, Sebastián Piñera ao propor que as eleições dos constituintes fossem feitas através de listas fechadas por município, com indicações de nomes de homens e mulheres, alternados – sendo as listas encabeçadas por mulheres.

Com o plebiscito marcado para o próximo dia 26 de abril, existe a preocupação de que os parlamentares não cheguem a um acordo sobre os mecanismos de paridade a tempo das eleições para os membros do processo constituinte.

Iván Flores acredita que o Congresso aprovará o projeto a tempo. “Estamos dentro do prazo para que isso possa ser considerado no processo constituinte. Eu acho que fevereiro será um bom momento para procurar os melhores acordos no caso de paridade de gênero. Acho que, de tempos em tempos, é bom um momento de reflexão, um momento de desacelerar a velocidade que estamos trazendo nos debates. Este é um projeto muito delicado, muito importante para as mulheres do Chile, que vale alguns dias (de reflexão)”.

Edição: Valéria Aguiar

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana