Carros e Motos

Honda registra patente que revela novo câmbio para a CB 1100

Publicado


source
Câmbio Honda
Divulgação

Os desenhos revelam que contará com toda uma robótica moderna para a gestão do seu câmbio

Um dos diferenciais dos modelos maiores da Honda é câmbio DCT, automatizado de dupla embreagem, e que atua como câmbio automático para entregar mais desempenho e suavidade. Entretanto, a marca japonesa demonstra estar trabalhando em novas soluções. Patentes registradas nos EUA mostram que a Honda pediu o registro de um sistema de câmbio que permanece sem a operação manual da embreagem, mas com engrenagens de uma transmissão convencional e sem a complexidade do sistema de dupla embreagem DCT.

LEIA MAIS: Edição limitada da Honda CB1100 RS 5Four revive a linhagem da ícone 7 Galo

Pelos desenhos da Honda , é possível assumir que a marca está estudando um sistema de câmbio semi-automático com embreagem controlada por computador nas saídas e paradas. Para as passagens de marcha, a tecnologia atual do quick-shifter já possibilita as trocas sem embreagem, manipulando o acelerador e a ignição por módulos eletrônicos. O desenvolvimento todo tomará como base a Honda CB 1100 .

LEIA MAIS: Honda CB 1000R Neo Sports Café: aceleramos o modelo com mais de 140 cavalos

Brasil
Divulgação

A versão RS é a que mais carrega adereços esportivos, com visual bastante apelativo

Por se tratar apenas de uma patente, não é possível afirmar que a Honda irá realmente aposentar os câmbios de dupla embreagem DCT em favor dessa nova tecnologia tão cedo, mas a marca permanece determinada em oferecer transmissões sem a necessidade de uso da embreagem.

LEIA MAIS: Chegam em pré-venda as novas Honda CB 650R e CBR 650R

Não devemos ver grandes mudanças no visual e no seu motor. Com 4 cilindros em linha e 1.140 cc, o modelo clássico-moderno da Honda rende 90 cv e 9,27 kgfm. São números maiores do que a maioria das streetfighters, mas não tão grande quanto as esportivas de cilindrada similar.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Porto Seguro cria postos de recarga gratuita para carros elétricos em SP

Publicado


source
Recarga
Divulgação

Postos de recarga ficam espalhados por todas as regiões de SP. Inicialmente são 16 pontos, mas irão expandir para mais

A recarga de carros elétricos é fundamental para que ele venha a fazer mais sentido do que os modelos a combustão, para os que vêem dessa forma. E, cada vez mais, o serviço vai se disseminando pelo país. Agora, eis que os elétricos e híbridos plug-in contam com mais uma opção em São Paulo. A Porto Seguro passa a oferecer, a partir deste mês, pontos de recarga de forma gratuita mesmo para quem não for cliente.

LEIA MAIS: Carregamento sem fio deve ser o futuro dos carros elétricos

A recarga de carros elétricos e híbridos plug-in poderá ser feita inicialmente em 16 centros automotivos da Porto Seguro na capital e Grande São Paulo, bem como nos próximos dias em mais 14 centros localizados em outros municípios do Estado.

LEIA MAIS: BMW aposta no futuro com os carros elétricos IX3, I4, iNEXT e M5

As estações de carregamento utilizam tomadas do tipo T2, compatível com mais de 90% dos veículos eletrificados que circulam pelo País. A recarga poderá ser feita durante o horário normal de funcionamento dos centros automotivos, ou seja, de segunda a sexta-feira das 8 às 18 horas e aos sábados da 8 às 12h.

LEIA MAIS: Startup cria primeiro veículo 100% elétrico a ser fabricado em série no Brasil

“Na Porto Seguro acompanhamos o desejo das pessoas e das cidades em adotarem práticas mais humanizadas e sustentáveis, como já fazemos com a iniciativa do Trânsito+gentil. Alinhado à nossa cultura e valores, lançamos esse projeto para carregamento de carros elétricos e híbridos”, comenta Marcelo Sebastião, diretor Porto Socorro e Centros Automotivos. Veja os endereços dos pontos de recarga a seguir:

  • Rua Doutor Penaforte Mendes, 74 – Bela Vista – São Paulo
  • Avenida General Edgar Facó, 783 – Vila Olga Cecília – São Paulo
  • Jardins
  • Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, 3.383 – Jardim Paulistano – São Paulo
  • Rua Guaipá, 1.380 – Vila Leopoldina – São Paulo
  • Rua dos Trilhos, 1.380 – Mooca – São Paulo
  • Avenida Corifeu de Azevedo Marques, 5.118 – Jaguaré – São Paulo
  • Avenida Pacaembu, 35 – Pacaembu – São Paulo
  • Avenida Elísio Cordeiro de Siqueira, 369 – Parque São Domingos – São Paulo
  • Rua Deputado Lacerda Franco, 410 – Pinheiros – São Paulo
  • Avenida Nova Cantareira, 764 – Santana – São Paulo
  • Alameda Santo Amaro, 664 – Socorro – São Paulo
  • Rua do Oratório, 64 – Bangu – Santo André
  • Rua Eugênio Falk, 404 – Saúde – São Paulo
  • Rua Tijuco Preto, 434 – Tatuapé – São Paulo
  • Avenida Lins de Vasconcelos, 2.474 – Vila Mariana – São Paulo
  • Rua Domingos Afonso, 889 – Vila Prudente – São Paulo
Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Quem tem coragem de mexer com o Volkswagen Gol?

Publicado


source
VW Gol
Divulgação

VW Gol 2020 ainda se mantém entre os modelos mais vendidos do Brasil, mesmo com poucas novidades

O Volkswagen Gol é um daqueles fenômenos do mercado de automóveis. Na mesma geração desde 2008 e enfrentando concorrentes (externos e até internos) mais atuais na mesma faixa de preço, o modelo segue como o mais vendido da marca alemã no Brasil e ainda figura como um dos hatches compactos mais populares do mercado.

LEIA MAIS: Novo Sandero automático enfrenta os rivais Gol e Onix. Qual vence?

De acordo com dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores), o Volkswagen Gol fechou 2019 com 81.285 unidades emplacadas. Melhor resultado para o modelo desde 2016 e que colocou o compacto atrás apenas de Chevrolet Onix (241.214), Ford Ka (104.331), Hyundai HB20 (101.590) e do subcompacto Renault Kwid (85.117).

O mesmo bom resultado se repetiu no 1º semestre deste ano. Apesar dos efeito da pandemia do novo coronavírus, o Gol fechou os primeiros seis meses de 2020 com 24.827 unidades e manteve a 5ª colocação no ranking geral de emplacamentos.

Isso mesmo com uma oferta mais enxuta de versões, que é composta pela configuração de entrada 1.0 (R$ 51.210) e pela versão de topo 1.6, que na verdade podem ser consideradas duas: com o câmbio manual de cinco marchas e o motor 1.6 8V de 104 cv (R$ 62.600), ou o automático, de seis marchas (R$ 62.600), que é combinado ao mesmo motor 1.6 16V de até 117 cv usado no Polo.

LEIA MAIS: Fatos e curiosidades que você não sabia sobre o VW Gol, que chega aos 40 anos

Um dos méritos da Volkswagen para o modelo — e que ajuda a explicar esse desempenho no mercado — é o fato de o Gol ter envelhecido bem. Nesse período de 12 anos de presença no mercado, a atual geração passou por três renovações de visual (2012, 2016 e 2019).

Também houve mudanças na mecânica (com o motor 1.0 de três cilindros da família EA211) e no interior da cabine, com a adoção de um novo painel além da incorporação de equipamentos que passaram a ser exigidos pelo mercado nessa faixa de preço, como as centrais multimídia e o câmbio automático e, mais recentemente (ainda que por força da legislação) apoios de cabeça e cintos de segurança de três pontos para todos os ocupantes do banco traseiro, além do Isofix.

VW Gol vai ter substituto?

SUV do Gol
Divulgação

SUV do Gol chegou a ter um teaser mostrado,mas os planos foram adiados e agora não há prazo estabelecido para ser lançado

Outro ponto que deve ser considerado é a força do nome Gol, com recém-completados 40 anos no mercado. Lançado em 2003, o Fox surgiu com a proposta de ser um substituto mais atual para o modelo veterano. Mesmo tendo “matado” inicialmente as versões mais caras do Gol, acabou não atingindo o mesmo sucesso e atualmente deve se encaminhar para o fim, vendendo quase três vezes menos.

Já o Polo de sexta geração, que chegou ao mercado brasileiro em 2017, foi planejado inicialmente para ser o substituto do Gol. Mas mais caro e sofisticado, acabou sendo posicionado acima, como um modelo premium.

Isso demonstra o desafio que representa para a Volkswagen brasileira o desafio de substituir o modelo que, mesmo sendo um dos mais antigos da sua linha atual, ainda é querido pelo público.

Em abril, numa entrevista para o site Automotive Business, o presidente da Volkswagen para a América Latina, Pablo Di Si, citou que o projeto do novo Gol, que estava previsto inicialmente para 2022, deve atrasar, por conta dos impactos financeiros provocados pela pandemia do novo coronavírus.

LEIA MAIS: Veja vídeo das versões esportivas nos 40 anos do VW Gol

Para manter o posicionamento como um modelo de entrada,, a  marca alemã deve abandonar a plataforma atual — que é exclusiva, um misto da PQ-24, do Polo de 4ª geração e do Fox, com a PQ-25 — e adotar uma nova plataforma no novo Volkswagen Gol . Rumores apontam para uma variação mais simples da modular MQB A0, empregada atualmente em Polo, Virtus, T-Cross e Nivus, e que está sendo desenvolvida na Índia, com o nome de MQB A0 IN.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana