Internacional

Alunos voltam às aulas em Londres com álcool em gel e apoio emocional

Publicados

em


.

Os alunos do ensino primário que estão voltando à Academia Harris de Londres nesta quinta-feira (3) se sentarão em filas, lavarão as mãos com frequência e terão amparo de professores que foram treinados para dar apoio emocional após o isolamento.

As crianças começaram a voltar às escolas nesta semana, e para muitas é a primeira vez que voltam a ter aulas em tempo integral desde que a disseminação da covid-19 forçou o fechamento das classes em março.

Para evitar aglomerações, as escolas estão escalonando os intervalos, mantendo os alunos em grupos menores, controlando quando percorrem áreas comunais e exigindo o fornecimento de garrafas de água e estojos de lápis para evitar o compartilhamento.

Sam French, diretora da Academia Harris, disse que os funcionários ficaram contentes de voltar e que, embora existam muitos desafios, querem que a escola pareça tão normal quanto antes.

“Fizemos nosso melhor para manter [os desafios] em nosso nível, então, quando as crianças voltaram hoje, tanto quanto possível estavam voltando à escola que deixaram em março”, disse ela à Reuters ao som dos alunos ao fundo.

Leia Também:  Cartunista argentino e criador da Mafalda, Quino morre aos 88 anos

As crianças foram recebidas por um professor que distribuiu álcool em gel quando chegaram e se depararam com um arco de balões nesta quinta-feira.

Embora as escolas tenham mantido contato com os alunos durante o isolamento e proporcionado atividades frequentes, agora os professores terão que usar o primeiro período para avaliar quantas crianças estão defasadas e quantas se adiantaram no aprendizado.

“Estas primeiras semanas iniciais são só para descobrir onde estão as lacunas, descobrir quais são os pontos fortes e depois avançar para que até o meio período de outubro tenhamos todos voltado para onde precisamos estar e possamos continuar com o ano”, disse French.

O governo do primeiro-ministro, Boris Johnson, está sendo pressionado para fazer com que as escolas permaneçam abertas depois do longo intervalo e na esteira de um fiasco a respeito dos resultados estimados de provas que afetaram a ida de alguns estudantes para a universidade neste ano.

Propaganda

Internacional

Espanha anuncia novas restrições contra a covid-19 em Madri

Publicados

em


Os moradores de Madri devem ser impedidos de deixar a cidade, a não ser para viagens essenciais, por causa das novas restrições contra o novo coronavírus anunciadas pelo governo da Espanha. 

Os limites da cidade também serão fechados para visitas desnecessárias de pessoas de fora, sob as novas medidas para grandes municípios com índices altos de infecção. Mais nove cidades da área metropolitana também serão afetadas.

“A saúde de Madri é a saúde da Espanha. Madri é especial”, disse o ministro da Saúde, Salvador Illa, em entrevista coletiva para anunciar as novas regras, que devem entrar em vigor nos próximos dias.

As pessoas terão permissão para cruzar fronteiras municipais para ir trabalhar e estudar, visitar o médico ou fazer compras, mas precisam permanecer dentro da cidade para atividades de lazer, segundo o acordo.

Entre as medidas estão o fechamento de bares e restaurantes às 23h, a diferença do toque de recolher anterior da 1h, e de parques públicos e de diversão. As reuniões sociais serão limitadas a seis pessoas.

Leia Também:  Tribunal Supremo e covid-19 são temas do 1º debate entre Biden e Trump

Atualmente foco de infecções, a região de Madri responde por mais de um terço dos 133.604 casos diagnosticados no país ao longo das últimas duas semanas.

A assembleia regional conservadora já aplicou isolamentos localizados em 45 distritos, mas vem se desentendendo com o governo central, que defende um lockdown em toda a capital.

A Espanha já registrou um total de 769.188 casos, mais do que qualquer nação da Europa Ocidental, e acumula 31.791 mortes.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA