Internacional

Assédio sexual: Funcionário filma colegas no banheiro do escritório

Publicados

em


source
Funcionário da Activision filmou colegas no banheiro do escritório
Karol Albuquerque

Funcionário da Activision filmou colegas no banheiro do escritório

A Activision Blizzard enfrenta um processo na Califórnia por assédio sexual e discriminação. Agora, um ex-funcionário de tecnologia da informação da companhia confessou ter montado uma câmera embaixo da pia, apontando para um banheiro do escritório da empresa em Minnesota, em 2018, mostram os registros do tribunal.

Tony Ray Nixon confessou ser culpado de interferência com a privacidade, uma contravenção grave. Ele foi preso preventivamente, mas acabou violando a liberdade condicional e acabou recebendo o “tratamento de agressor sexual conforme as instruções”.

O ex-funcionário da Activision tinha a intenção de espionar os funcionários enquanto usavam o banheiro, segundo os registros judiciais. Ainda de acordo com os autos, um funcionário, anônimo, disse ter recebido um e-mail do departamento de recursos humanos informando que o dispositivo de monitoramento não autorizado havia sido instalado no banheiro unissex. A companhia fazia uma investigação interna.

Quando a polícia foi ao local, a gerência informou que um funcionário encontrou duas câmeras instaladas no banheiro, sob as pias. A gerência removeu os dispositivos e enviou para o escritório de Santa Monica, na Califórnia, para análise. Nas investigações, a polícia descobriu que Nixon comprava os cartões micro SD, baterias e câmeras à prova d’água.

Leia Também:   EUA, Reino Unido e Austrália anunciam novo pacto para conter a China

O ex-funcionário admitiu que as câmeras capturaram as imagens, mas disse que apagaram os vídeos. Em resposta à revista Vice , a Activision Blizzard disse que removeu os dispositivos assim que o incidente foi relatado e notificou as autoridades.

“Assim que as autoridades e a empresa identificaram o autor do crime, ele foi demitido por sua conduta abominável. A empresa forneceu conselheiros de crise para os funcionários, no local e virtualmente, e aumentou a segurança”, completa a nota. Atualmente, a companhia é processada pelo estado da Califórnia por violar leis trabalhistas e servir como um “terreno fértil para o assédio”.

Riot Games também é processada

Outra desenvolvedora também foi processada pelo mesmo órgão que agora move a ação contra a Activision Blizzard. A Riot Games é processada por discriminação salarial, assédio sexual e retaliação. A ação legal foi tomada pela primeira vez por funcionários da companhia em 2018.

Leia Também:  UE vai doar 200 milhões de doses de vacinas até meados de 2022

Via: Vice / PC Gamer

Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

EUA afirmam que ataque de drone em Cabul matou 10 civis

Publicados

em


 Um ataque de drones em Cabul no mês passado matou até 10 civis, incluindo sete crianças, disseram os militares dos Estados Unidos nesta sexta-feira (17), desculpando-se pelo que consideraram um “erro trágico”.

O Pentágono disse que o ataque de 29 de agosto tinha como alvo um homem-bomba do Estado Islâmico que representava ameaça iminente para as tropas lideradas pelos EUA no aeroporto, enquanto completavam os últimos estágios de sua retirada do Afeganistão.

Mesmo diante do surgimento de relatos de vítimas civis, o principal general dos EUA descreveu o ataque como “justificado”.

O general dos fuzileiros navais Frank McKenzie, chefe do Comando Central dos EUA, disse que no momento do ataque, estava confiante de que havia evitado uma ameaça iminente às forças norte-americanas no aeroporto.

“Nossa investigação agora conclui que o ataque foi um erro trágico”, disse a repórteres.

Ele afirmou que agora acredita ser improvável que os mortos fossem membros da afiliada local do Estado Islâmico, ISIS-Khorasan, ou representassem ameaça direta às forças dos EUA. O Pentágono avalia reparações, segundo McKenzie.

Leia Também:  Japão tem 86 mil pessoas com mais de 100 anos, um novo recorde

Em um comunicado, o secretário de Defesa, Lloyd Austin, disse que o ataque com drone matou o senhor Ahmadi, que trabalhava para uma organização sem fins lucrativos chamada Nutrition and Education International.

“Agora sabemos que não havia conexão entre o Sr. Ahmadi e o ISIS-Khorasan, que suas atividades naquele dia foram completamente inofensivas e nada relacionadas com a ameaça iminente que acreditávamos enfrentar”, disse Austin no comunicado.

“Pedimos desculpas e faremos o possível para aprender com esse erro horrível.”

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA