Internacional

Conheça o Grosbeak, pássaro raro que é “meio macho e meio fêmea”

Publicados

em


source
Grosbeak
Reprodução

Segundo cientistas, animal sofreu uma anomalia genética conhecida como ginandromorfismo

Um fato raro ocorreu durante pesquisa na reserva natural Powdermill no estado da Pensilvânia, nos EUA, na última semana. Cientistas identificaram um exemplar do raro pássaro Grosbeak que é “meio macho, meio fêmea”, fenômeno que é conhecido como ginandromorfismo .

Segundo a publicação realizada no perfil oficial da reserva, o pássaro possui as colorações características de ambos os sexos em sua plumagem, com uma das asas nas cores preta e rosa, comuns aos machos, e a outra com tons de amarelo e marrom, próprios das fêmeas.

O espécime, identificado como  Pheucticus ludovicianus , é bastante raro e pode ter sofrido a mutação genética que faz com que o animal apresente características de cada um dos sexos em partes diferentes do corpo, diferentemente do que ocorre com o hermafroditismo, quando o espécime tem os tecidos reprodutivos de ambos os gêneros.

Leia Também:  Rússia concede direitos de residência permanente a Edward Snowden

Ainda de acordo com a publicação, muitos pássaros podem apresentar este tipo de anomalia , assim como algumas espécies de caranguejos, lagostas e insetos. Além disso, os cientistas também ressaltaram que o espécime não tem qualquer problema de procriação.

“Como geralmente apenas o ovário esquerdo é funcional nas aves, e o lado esquerdo desta ave é o lado feminino, esta ave teoricamente poderia produzir filhotes se acasalar com sucesso com um macho. A capacidade de reprodução do pássaro também pode depender do fato de ele cantar como um macho, o que potencialmente atrairia as fêmeas e provocaria uma resposta territorial de outros machos”, finaliza a publicação.

Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

Astronautas russos urinam em pneu antes de irem ao espaço; entenda

Publicados

em


source
Yuri gagarin em foguete antes de decolar
Science & Society Picture Library

Além de fazer história, Gagarin acabou criando uma tradição entre os astronautas russos

Rumo à primeira viagem realizado ao espaço , o astronauta Yuri Gagarin estava à caminho da base espacial quando pediu ao motorista do ônibus que parasse o veículo para ele urinar. Além de fazer história sendo o primeiro ser humano a visitar o espaço, sem saber, Gagarin acabou criando uma tradição entre os cosmonautas. As informações são da BBC News Brasil.

Em 12 de abril de 1961, o astronauta estava indo em direção à maior e mais antiga base espacial do mundo, o cosmódromo de Baikonur, quando pediu ao motorista do ônibus que parasse o veículo no meio do nada para ele urinar. 

Gagarin urinou na roda traseira do veículo e, desde então, todos os cosmonautas que viajam ao espaço seguem a tradição . De acordo com o site de notícias, o evento acabou se tornando um costume sagrado para muitos deles. E, a fim de não quebrarem o ritual, as mulheres costumam carregar uma amostra de urina para derramar no pneu, já que, o ato se torna mais complicado para elas.

Leia Também:  Polícia reprime protesto a tiros na Nigéria; assista

Novo design

Com o intuto de melhorar a experiência do traje espacial, a empresa responsável pela realização da vestimenta, a Zvezda, com sede em Tomilino, no sudeste de Moscou, havia liberado um protótipo da roupa sem a braguilha. Isso faria com fosse impossível abrir o traje e, consequentemente, continuar com a tradição.

O novo modelo foi oficialmente divulgado em agosto de 2019, mas ainda está em desenvolvimento. E, ao procurado pela BBC para saber se haveria uma adaptação para que os astronautas continuassem a seguir os passos de Gagarin, o CEO (e designer-chefe) da empresa respondeu que garante “que este traje espacial era um dos protótipos e a versão final do traje espacial proporcionará a possibilidade de urinar no pneu”.

Mesmo parecendo algo simples, de acordo com o portal, a questão da braguilha obrigaria uma mudança no protótipo de trajes feitos sob medida para cada astronauta. E cada um deles custa cerca de US$ 250 milhões (R$1,4 bilhão), comparados aos da Nasa.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA