Internacional

Covid-19: Casa Branca cria petição com nomes e assinaturas médicas falsos

Publicados

em


source
.
MANDEL NGAN /GETTY IMAGES

Presidente Trump na Casa Branca em Washington, durante um comício em 10 de outubro de 2020


Funcionários da  Casa Branca estão apoiando uma petição – supostamente assinada por milhares de médicos – que abraça a ideia de “imunidade de rebanho” para lidar com o novo coronavírus . No entanto, a validade do documento está sendo questionada , já que muitos dos nomes que aparecem nele seriam de médicos falsos e baseados em piadas.


O grupo de indivíduos que o assinou o documento afirma que a melhor forma de lidar com a Covid-19 não é por meio de distanciamento social ou outras medidas restritivas, mas deixando que jovens saudáveis ​​contraiam o vírus para atingir um número limite de imunidade, enquanto protegem populações mais velhas e vulneráveis.

Leia Também:  Água na Lua: Nasa anuncia nova descoberta

A petição teria cerca de 9 mil assinaturas . No entanto, uma inspeção mais detalhada do documento revelou que muitos dos nomes são provavelmente falsos.

O que é imunidade do rebanho?

A imunidade do rebanho funciona fazendo com que uma proporção tão alta de indivíduos contraia um vírus ou doença que o contágio não possa se espalhar de forma eficaz porque a maioria da população desenvolveu anticorpos.

As vacinas funcionam de maneira semelhante, mas o tipo de imunidade coletiva promovida pela Casa Branca está indo em uma direção diferente , com a ideia de que um limite de segurança pode ser alcançado de forma natural sem a ajuda de uma vacina.

Os principais autores da petição agora citados pela Casa Branca , Sunetra Gupta e Gabriela Gomes, acreditam que a imunidade coletiva pode ser alcançada com uma taxa de infecção de 10% a 20%.

No entanto, a maioria dos epidemiologistas discorda dessa ideia , já que muitas vacinas sozinhas exigem que mais de 90% da população tenha anticorpos para serem eficazes. O limite para o sarampo, por exemplo, é estimado em 94%.

Leia Também:  Na reta final, Biden vai à Geórgia e Trump faz campanha em 3 estados

A maioria dos especialistas também acredita que a porcentagem da população dos Estados Unidos que foi exposta ao novo coronavírus está mais próxima da faixa de 10%. “Mais de 90% da população permanecem suscetível à Covid-19, disse o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, Robert Redfield, no mês passado.

Em suma, a imunidade de rebanho é uma estratégia que provavelmente deve ser evitada ao tentar combater o novo coronavírus , na mente da maioria dos especialistas, já que pode levar a centenas de milhares de mortes adicionais se for amplamente adotada. No entanto, é uma estratégia que a Casa Branca parece ter adotado como seu método principal de lidar com a pandemia.

Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

Canadenses estão cada vez mais abertos para receber imigrantes e refugiados

Publicados

em


source
.
Reprodução: iG Minas Gerais

Abertura entre os canadenses


Apesar de uma  pandemia global , que destruiu economias e fomentou o nacionalismo em todo o mundo, os canadenses dizem que estão cada vez mais abertos a acolher imigrantes e refugiados .


Um novo estudo, da empresa de pesquisas Environics Institute, descobriu que as atitudes entre os cidadãos têm se tornado cada vez mais positivas , mesmo com milhões de pessoas desempregadas e o país enfrentando projeções econômicas sombrias.

“Essas opiniões não são um sinal. Não são acaso. Elas parecem estar profundamente enraizadas e amplamente difundidas”, disse Andrew Parkin, diretor executivo da Environics.

Desde 1976, a pesquisa Focus Canada, administrada pela Environics, faz amostras periódicas de canadenses para avaliar suas opiniões sobre o assunto. Os resultados mais recentes, divulgados no início de outubro, mostram, pela primeira vez, que os canadenses estão mais propensos a rejeitar a ideia de que os imigrantes não estão adotando os valores do país.

Leia Também:  EUA têm nova noite de protestos violentos após morte de homem negro por policial

Ao mesmo tempo, a grande maioria continua a ver os imigrantes como essenciais para a economia  e não sente que eles não lhes tiram os empregos.

Os pesquisadores estavam curiosos para ver se os eventos mundiais recentes mudaram drasticamente a opinião, disse Parkin. “No início, pensamos que talvez Donald Trump derrubasse essas tendências positivas. Talvez os canadenses pegassem a vibração do que está acontecendo nos Estados Unidos e começassem a recuar. Isso não aconteceu “, disse ele.

Mesmo a pandemia da Covid-19 , que até agora gerou milhões de empregos e deixou os canadenses em situação financeira precária, não tornou os residentes negativos em relação aos recém-chegados.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA