Internacional

Covid-19: manifestantes antilockdown protestam em Londres

Publicados

em


Manifestantes contrários a medidas de lockdown se reuniram no centro de Londres nesse sábado (17), horas depois que a capital britânica passou para o segundo nível mais alto de alerta contra a covid-19.

À medida que uma segunda onda de infecções ganha velocidade, o governo do primeiro-ministro Boris Johnson intensificou as restrições em partes da Inglaterra onde os casos estão aumentando – na esperança de proteger a economia e permitir que as regiões menos afetadas permaneçam abertas.

A partir da meia-noite de sexta-feira (16), Londres passou para o “nível 2” ou “alto risco”. Isso proíbe pessoas de encontrar alguém fora de sua casa ou “bolhas de apoio” – incluindo amigos ou parentes que ajudam a cuidar de crianças – em qualquer ambiente interno.

As regras também proíbem mais de seis pessoas de se encontrar ao ar livre, embora a polícia tenha optado por não aplicá-las enquanto milhares de ativistas antilockdown marchavam pela Oxford Street, uma das ruas comerciais mais movimentadas do mundo em tempos normais.

Os manifestantes consideram as restrições contra a covid-19 desnecessárias e uma violação dos direitos humanos. Alguns se opõem ao uso de máscaras e à vacinação.

Leia Também:  Maduro cita papa e pede que Congresso avalie casamento homoafetivo

Muitos carregavam cartazes dizendo: “Meu corpo, minha escolha, não às máscaras obrigatórias”.

“Há muitas coisas que podem matá-lo, você sabe, pode acontecer qualquer dia”, disse o manifestante Aragorn Kyley, 17 anos. “É sobre viver, não apenas sobreviver. Queremos ser capazes de desfrutar de nossas vidas, não apenas ficar presos em casa.”

Neste sábado, 57% da população do Reino Unido viviam sob restrições mais rígidas contra a covid-19.

Propaganda

Internacional

Espanha decreta novo estado de emergência em luta contra covid-19

Publicados

em


O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, anunciou um novo estado de emergência neste domingo (25) em um esforço para conter o aumento nas infecções pelo novo  coronavírus, impondo toques de recolher noturnos e proibindo as viagens entre as regiões do país em alguns casos.

“Estamos vivendo em uma situação extrema, é a mais grave na última metade de século”, disse ele em entrevista coletiva após uma reunião de gabinete.

A medida entra em vigor na noite deste domingo e exigirá que todas as regiões, exceto as Ilhas Canárias, imponham um toque de recolher noturno.

O estado de emergência precisará ser aprovado pelo Parlamento para durar além de um prazo de 15 dias.

Um número crescente de regiões do país tem pedido que o governo implemente a medida.

A Espanha impôs um dos lockdowns mais severos no início da pandemia e depois relaxou as medidas ao longo do verão no Hemisfério Norte.

Mas como em muitos outros países da Europa, a Espanha tem vivido uma segunda onda nas últimas semanas e agora tem os maiores números de infecções da Europa Ocidental. O total de casos subiu para 1.046.132 na sexta-feira (23), enquanto o número de mortos se aproxima de 35 mil.

Leia Também:  Anticorpos contra covid-19 duram pelo menos sete meses, mostra estudo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA