Internacional

Eleições EUA: vitória de Donald Trump pode beneficiar a Rússia; entenda

Publicados

em


source
Trump Putin
Reprodução/CNN

País governado por Putin pode se beneficiar de uma possível reeleição de Trump.

Faltando menos de 30 dias para as eleições dos Estados Unidos , os eleitores estão decidindo em quem irão votar. Um dos pontos que mais influencia esta decisão diz respeito à postura que Donald Trump ou Joe Biden irão adotar na política internacional e como irão conduzir as relações com algumas nações.

Uma das relações mais importantes e delicadas mantida pelos EUA é com o governo da Rússia. Segundo Leandro Consentino, cientista político e professor do Insper, a análise da postura política dos candidatos com o governo russo deve ser feita de forma minuciosa.

Ele avalia que, olhando para as relações internacionais de ambos os países, a Rússia pode preferir a eleição de Biden , classificado por Leandro como “menos beligerante e menos agressivo”. Entretanto, ele também pontua que, em 2016, a estratégia da Rússia foi ajudar a eleger Trump , visando um enfraquecimento dos EUA enquanto liderança global.

Leia Também:  Após briga por dinheiro, homem decapita mãe com uma foice e foge com a cabeça

“O Donald Trump, paradoxalmente a tudo que ele diz e coloca, acaba enfraquecendo a posição dos Estados Unidos como liderança no cenário internacional”, diz Leandro, que complementa:

“E a Rússia sabe disso. Sabe que essa retórica agressiva e nacionalista do Trump retira os EUA de posições de liderança. Portanto, ela acaba, de alguma forma, preferindo que esse cenário (que tem Trump como presidente) se verifique para que ela possa se posicionar de alguma forma para sobrepor ou rivalizar com os EUA no que diz respeito a essa agenda de hegemonia no plano internacional”.

Relação com a China

Ao comentar a relação dos Estados Unidos com a China e com a Rússia, Leandro aponta que os países comandados por Xi-Jinping e Vladimir Putin são próximos e possuem uma agenda semelhante em alguns pontos.

“China e Rússia tem uma proximidade que não é nova, que vem ali da Guerra Fria. Não são os melhores amigos, mas, de alguma forma, têm votos em conjunto no Conselho de Segurança da ONU e tem uma agenda importante de se opor à dominação dos EUA”, diz Leandro, que conclui:

Leia Também:  Chilenos votam para descartar Constituição da era Pinochet

“Se a ideia é essa, a Rússia espera uma relação mais conflituosa (dos EUA) com a China. E ela teria mais a ganhar nisso com a eleição do Donald Trump “.

Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

Ataque a faca deixa pelo menos 3 mortos em Nice, na França

Publicados

em


source
França polícia
Reprodução Twitter

Ataque na França deixa ao menos três mortos

Ao menos três pessoas morreram, uma delas decapitadas, e várias ficaram feridas, nesta quinta-feira (29), na cidade francesa de Nice em um ataque com uma faca dentro da Basílica de Notre Dame, no centro da cidade. O caso está sendo investigado como um ato terrorista.

O ataque aconteceu por volta das 9h (5h no horário de Brasília). Segundo a polícia local, um suspeito foi baleado e levado para o hospital, onde permaneçe para prestar esclarecimentos. De acordo com o prefeito da cidade, Christian Estrosi, o homem gritou “Allahu Akbar” (Deus é grande) diversas vezes antes de ser preso pela polícia.

Leia Também:  Assessores de vice de Trump testam positivo para Covid-19

O novo ataque acontece duas semanas após a decapitação do professor de História e Geografia, Samuel Paty, na região de Paris, que provocou comoção nacional. O ataque partiu de um extremista islâmico.

Não está claro que se o ataque tem alguma relação com o assassinato de Paty, por um homem de origem chechena que afirmou ter por fim punir o professor por mostrar cartuns do profeta Maomé publicadas pela revista Charlie Hebdo durante uma aula sobre liberdade de expressão.

O ministro do Interior, Gérald Darmanin, anunciou uma “reunião de crise” com a participação do presidente Emmanuel Macron. Em seguida ele viajará a Nice. Ele também pediu que a população evite o local e siga a orientação das autoridades. 


Fonte: IG Mundo
Leia Também:  EUA: Facebook, Twitter e Google defenderão lei que protege plataformas

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA