Internacional

Policiais alemães são acusados de compartilhar material nazista

Publicados

em


source
foto
LAETITIA VANCON / NYT/18-03-2020

Policiais alemães patrulham um parque em Munique


Uma força policial na Alemanha suspende, nesta quarta-feira (16), 29 policiais suspeitos de compartilhar imagens de Hitler e propaganda neonazista violenta em pelo menos cinco grupos de bate-papo online, aumentando as preocupações sobre a infiltração de extrema direita na polícia e nas forças armadas alemãs.


Herbert Reul, ministro do Interior, chamou as conversas de “desgraça”. Em uma entrevista coletiva, ele descreveu as imagens que foram compartilhadas entre os oficiais como “propaganda extremista de extrema-direita” e “a mais feia e desprezível isca neonazista contra imigrantes”.

As 126 imagens compartilhadas incluem suásticas, uma foto montada de um refugiado em uma câmara de gás e o assassinato de um homem negro, disseram as autoridades.

O número de casos de extremistas  na polícia e no exército alemão, alguns dos quais acumulam armas e mantêm listas de inimigos, se multiplicou nos últimos anos. 

Leia Também:  Secretário de Estado norte-americano chega a Boa Vista

Por anos, políticos e chefes de segurança alemães rejeitaram a ideia de infiltração de extrema-direita nos serviços de segurança, falando apenas de “casos individuais”. 

Mas, agora, o governo dissolveu uma companhia inteira de forças especiais alemãs porque foi considerada infestada por extremistas. E o problema se tornou tão sério que as autoridades parecem estar lutando para controlá-lo .

Na manhã de quarta-feira, os investigadores invadiram as casas e estações de trabalho de 14 dos 29 policiais suspensos em pelo menos cinco vilas e cidades. O oficial sênior estava entre os membros dos grupos de bate-papo.

A polícia descobriu as conversas quando o celular particular de um policial de 32 anos foi confiscado como parte de uma investigação separada para saber se ele havia passado informações confidenciais sobre uma gangue do crime organizado para um jornalista.

O primeiro grupo foi criado já em 2012, e o maior data de 2015, quando centenas de milhares de migrantes chegaram à Alemanha. A postagem mais recente no celular foi enviada em 27 de agosto.

Leia Também:  Museu sobre acidente nuclear de Fukushima abre suas portas

Dos 29 membros dos grupos de bate-papo, 25 trabalhavam em delegacias supervisionadas pela mesma sede da polícia distrital na cidade de Essen, no oeste do país. Acredita-se que onze tenham compartilhado ativamente as imagens, enquanto outros 18 as receberam e não deram nenhum alarde.

Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

Homem é esquartejado enquanto fazia sexo com mulher que conheceu em aplicativo

Publicados

em


source
casal sendo preso
Istimewa

O homem foi atraído ao apartamento por um casal que pensou que ele fosse rico.

Um homem de 32 anos foi golpeado e esfaqueado enquanto fazia sexo com mulher que conheceu em aplicativo de relacionamentos , na Indonésia. Depois, a vítima ainda foi esquartejada e seus restos mortais foram encontrados dentro de uma mala.

O homem foi atraído ao apartamento por um casal que pensava que ele fosse rico. Enquanto ele fazia sexo com a mulher que tinha conhecido pelo aplicativo Tinder, o namorado dela – que estava escondido no banheiro do apartamento – surgiu e golpeou o indivíduo.

“O namorado atingiu a vítima três vezes com um tijolo. Então, ele o golpeou sete vezes com uma faca”, contou o chefe de polícia local, Nana Sudjana, ao jornal Daily Mirror.

Leia Também:  Juíza da Suprema Corte dos EUA Ruth Ginsburg morre aos 87 anos

De acordo com os policiais, o homem foi esfaqueado até a morte e, como os criminosos não sabiam o que fazer com o corpo, começaram a desmembrá-lo. A vítima foi esquartejada em quase 12 pedaços.

Os restos mortais foram enrolados em sacos plásticos e guardados dentro de duas mochilas e uma maleta.

Com o cartão da vítima, o casal alugou um flat, para onde levou o corpo desmembrado. Os golpistas ainda usaram o cartão roubado para sacar o equivalente a 35 mil reais, que usaram para comprar uma motocicleta, joias e ouro.

Após a família perceber e denunciar o desaparecimento da vítima, três dias após o crime, a polícia rastreou as movimentações no cartão do homem e conseguiu chegar aos assassinos na última quarta-feira (16), antes que eles enterrassem os restos mortais.

O namorado da mulher tentou resistir à prisão e foi baleado nas duas pernas.

O casal foi sentenciado por assassinato e roubo, podendo ser condenado à morte.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA