Internacional

“Que seja sinal para jovens mulheres”, diz vencedora do Nobel

Publicados

em


source
mulher
Max Alexander / Creative Commons

Emmanuelle Charpentier é uma das vencedoras do Nobel de Química

Uma das vencedoras do Prêmio Nobel de Química, a francesa Emmanuelle Charpentier , afirmou nesta quarta-feira (7) que a sua conquista quer ser um “sinal” para as mulheres jovens se interessarem cada vez mais pelas ciências.

“Espero que esse reconhecimento seja uma mensagem positiva para as jovens meninas que querem seguir pelo caminho da pesquisa científica. A esperança é que isso demonstre aos mais jovens que as mulheres podem ter um impacto através das pesquisas que desenvolvem”, disse Charpentier durante uma videoconferência para falar sobre o prêmio.

A francesa e a norte-americana Jennifer Doudna foram as primeiras mulheres da história a ganhar o Nobel de Química de maneira conjunta. Elas desenvolveram uma ferramenta para edição do genoma que, segundo a Real Academia de Ciências da Suécia, pode “reescrever o código da vida”.

Leia Também:  Deputado corta o próprio pulso em debate parlamentar na Tailândia
Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

Nicarágua aprova lei que prevê prisão por divulgação de notícias falsas

Publicados

em


source
Homem segurando a bandeira da Nicarágua
Oswaldo Rivas/Agência Brasil

Nicarágua aprova lei de combate a fake news; deputados alegam que lei promove censura

O Congresso da Nicarágua aprovou nesta terça-feira (27) uma lei de combate a crimes cibernéticos conhecida pela oposição como “lei da mordaça” . A lei punirá com prisão pessoas e entidades que divulgarem notícias consideradas falsas na concepção do governo.

Foram 70 votos a favor, todos de deputados da governinsta  Frente Sandinista (FSLN) , contra 16, da oposição liberal.

“Acabou o negócio dos mentirosos, dos que são parte da indústria das mentiras nas redes sociais, dos que criam e difundem notícias falsas, criando alarme, medo e desânimo, afetando a estabilidade econômica, a ordem pública”, sentenciou no debate o deputado governista Emilio López.

De acordo com o texto,  “a propagação de notícias falsas” pode levar de dois a quatro anos de prisão; se a informação “mentirosa” prejudicar a honra de uma pessoa e sua família, a pena será de um a três anos de prisão.

Leia Também:  Assessores de vice de Trump testam positivo para Covid-19

Já as publicações que incitam ódio e violência , serão punidas com penas de três a cinco anos.

Segundo a deputada da oposição, Azucena Castillo, a lei está “orientada à oposição” e “vem acender o clima de repressão”, que existe no país desde os protestos antigovernamentais de 2018.

A lei delega ao Ministério do Governo, à polícia e à estatal Empresa Nicaraguense de Telecomunicações (TELCOR) investigar e punir os delitos cometidos por meios de comunicação e aplicativos digitais.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA