Internacional

Trump está com febre e será internado em hospital militar

Publicados

em


source
helicóptero em frente à Casa Branca
Reprodução/CNN Brasil

O presidente será levado de helicóptero ao hospital

Após confirmar o diagnóstico de Covid-19 pelas redes sociais, o presidente Donald Trump sente febre desde a manhã desta sexta-feira (02). No momento, Trump está sendo transferido de helicóptero para o  hospital militar Walter Reed Medical Center e passará alguns dias no local como forma de prevenção. As informações são da CNN Brasil.

Segundo o canal de TV, a febre é consistente com o que a Casa Branca descreveu mais cedo como “sintomas leves” da doença do novo coronavírus. 

Em nota, o médico que atende o presidente informou que Trump já foi medicado com uma dose de  Regeneron , um coquetel de anticorpos para a Covid-19  que ainda está em fase de testes nos Estados Unidos. De acordo com a CNN, essas medicações têm o objetivo de “reduzir a carga viral” e prevenir que os sintomas se agravem.

Leia Também:  Imagens de cemitérios feitas por satélite mostram efeitos da Covid-19 no Iêmen

“Seguindo ao diagnóstico positivo do presidente no teste PCR, como medida preventiva ele recebeu uma única dose de 8 gramas do coquetel de anticorpos policlonais Regeneron. Ele completou a infusão sem incidentes”, relatou o médico Sean P. Conley.

“Em complemento aos anticorpos policlonais, o presidente está tomando zinco, vitamina D, famotidina, melatonina e uma aspirina diária”, completa Conley.

O médico acrescenta que a primeira-dama Melania Trump “continua bem, apenas com uma febre leve e dores de cabeça”.

Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

Operação na Itália desmantela esquema de fraude em cidadania para brasileiros

Publicados

em


source
Catânia
Reprodução

Câmeras de segurança gravaram as ações fraudulentas no departamento de cidadanias de Catânia

 A polícia italiana desmontou nesta sexta-feira (30) mais um esquema de fraudes no reconhecimento de cidadania por direito de sangue para brasileiros, desta vez em Catânia, uma das principais cidades da Sicília, no sul do país.

As forças de segurança cumpriram mandados de prisão domiciliar preventiva contra supostos envolvidos nas irregularidades, incluindo quatro servidores da Prefeitura de Catânia que teriam recebido dinheiro “em troca de favores prestados no desempenho de suas funções”.

Ainda foram detidos um dos dois supostos organizadores do esquema e um despachante. Um ítalo-brasileiro que vive na América do Sul também é investigado, e a polícia interditou quatro imóveis usados para hospedar candidatos à cidadania.

Leia Também:  Modelo russa é encontrada morta, nua e com polegar decepado

Os quatro servidores colocados em prisão domiciliar são um guarda civil (responsável pela certificação da residência), uma integrante do gabinete para estrangeiros, a responsável pelo departamento de cidadanias e um funcionário do arquivo de registro civil.

A operação foi batizada como “Tudo incluído”, em português mesmo, já que os candidatos pagavam 5 mil euros (R$ 34 mil pela cotação atual) por pacotes que contemplavam alojamento, alimentação e a cidadania reconhecida em pouco menos de duas semanas, sendo que a tramitação normal dura por volta de três meses.

Uma das provas apresentadas pelo Ministério Público é um vídeo feito com uma câmera escondida no departamento de cidadania da Prefeitura de Catânia.

Na gravação, um homem diz para uma mulher: “Tenho duas notícias, uma boa e uma ruim. Vou dizer primeiro a boa: a notícia boa é que chegaram cinco. A notícia ruim é que estão irritando antes de chegar… Porque as querem feitas a cada três dias. Esperamos que seja o bastante, 625 euros, certo?”.

Em seguida, ele tira algo da carteira e entrega para a mulher, que guarda em sua bolsa. Não está claro o que o homem quis dizer com a frase “porque as querem feitas a cada três dias”.

Leia Também:  Alerta de bomba faz com que área do Arco do Triunfo seja esvaziada

O Ministério Público estima que o esquema tenha movimentado 250 mil euros, e os investigados são suspeitos de crimes como formação de quadrilha, favorecimento à imigração clandestina, corrupção e falsificação de ato público.

Esquemas

Ao longo dos últimos anos, a polícia e o Ministério Público desmantelaram diversas quadrilhas que praticavam corrupção e fraudes nos processos de reconhecimento de cidadania italiana jus sanguinis, especialmente envolvendo brasileiros.

A mais recente delas aconteceu há cerca de duas semanas, em Crescentino, no noroeste da Itália . O problema mais frequente é a questão da residência. Para obter o reconhecimento, é preciso comprovar moradia no país, o que exige a permanência por um período relativamente incerto, mas que pode durar por volta de três meses.

Existem despachantes que vendem a ideia de que tal etapa pode ser concluída rapidamente ou sem a necessidade da presença permanente do candidato em solo italiano, o que vai de encontro ao que estabelece a lei.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA