Internacional

Trump pode receber alta já nesta segunda após melhora de quadro clínico

Publicados

em


source
Presidente Donald Trump
Isac Nóbrega/PR

Presidente Donald Trump testou positivo para a Covid-19

O presidente dos Estados Unidos , Donald Trump , pode ter alta já nesta segunda-feira (4) caso o quadro clínico dele melhore. O anúncio foi feito em entrevista coletiva pela equipe de médicos que cuida do presidente. Segundo os médicos, Trump não apresentou mais falta de ar nem febre, mas teve um pouco de fadiga. “Continua melhorando”, afirmou um deles.

De acordo com Sean Conley, o médico que é o principal porta-voz do estado de saúde de Trump, ele teve duas quedas de saturação de oxigênio antes. A saturação, no entanto, foi controlada depois de cerca de uma hora. “Queremos dar alta o quanto antes for possível.”

Em vídeo publicado ontem, Trump disse estar se sentindo “muito melhor” , mas que os “próximos dias serão o verdadeiro teste”. Em um boletim divulgado no fim do dia, o médico de Trump afirmou que ele não estava fora de perigo, mas que “a equipe permanece cautelosamente otimista”.

Leia Também:  Covid-19 pressiona Reino Unido a seguir lockdowns de França e Alemanha

“Eu vim para cá, não estava me sentindo tão bem. Eu me sinto muito melhor agora, estamos trabalhando duro para eu me recuperar completamente – tenho que estar de volta porque ainda temos que fazer com que os EUA sejam grandes novamente”, declarou o presidente.

Em entrevista coletiva mais cedo, a equipe médica afirmou que ainda não havia previsão de alta para o presidente, apesar de ele estar se sentindo bem. 

No entanto, nos bastidores, o chefe de gabinete do mandatário, Mark Meadows, disse a repórteres que os sinais vitais de Trump nas últimas 24 horas eram “preocupantes” e os próximos dois dias seriam “críticos”.

Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

Sobe para 27 número de mortos por terremoto que atingiu Grécia e Turquia

Publicados

em


source
Equipes buscam sobreviventes em escombros de prédios na Turquia
Foto: Mehmet Emin Menguarslan / Anadolu Agency/ Divulgação

Equipes buscam sobreviventes em escombros de prédios na Turquia

Subiu para 27 o número de mortes na Turquia e na Grécia provocadas pelo grande terremoto que atingiu o mar Egeu, na manhã desta sexta-feira (30). Equipes de resgate dos países buscam, neste sábado (31), sobreviventes entre os escombros dos prédios que caíram após o tremor.

As autoridades da cidade de Izmir disseram que 25 pessoas morreram em regiões costeiras da Turquia. Já na ilha de Samos, na Grécia, dois adolescentes morreram depois que uma parede caiu em cima deles.

De acordo com autoridades de saúde, há mais de 800 pessoas feridas em decorrência do tremor. As equipes de resgate conseguiram tirar uma mãe e três crianças dos escombros neste sábado. Os quatro passaram quase 18 horas presos.

Leia Também:  Mulher se passa por promotor para retirar acusações contra si mesma

Com epicentro no Mar Egeu, magnitude do sismo, registrado a dez quilômetros de profundidade, foi avaliada pelo Instituto Geofísico Americano (USGS) em 7,0.

Turquia e Grécia estão situadas sobre importantes falhas geológicas e uma das zonas sísmicas mais ativas do mundo. Por isso, os terremotos são frequentes, sobretudo no mar

Ajuda internacional

Após o terremoto, o premiê grego telefonou para o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, para expressar suas condolências pelos mortos. Pelo Twitter, Erdogan esqueceu brevemente a rivalidade e disse que “o ato de dois vizinhos serem solidários nestes tempos difíceis tem mais valor do que muitas outras coisas”.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores da Turquia, os chanceleres dos dois países “destacaram que estão prontos para ajudar-se mutuamente em caso de necessidade”.

A promessa é uma continuação da ajuda que a Grécia ofereceu à Turquia após o terremoto de 1999, que deixou 17 mil mortos, um gesto que permitiu a retomada das relações entre os dois países rivais. Na ocasião, a ajuda levou alguns especialistas a cunhar a frase “diplomacia do terremoto”.

Leia Também:  Covid-19 pressiona Reino Unido a seguir lockdowns de França e Alemanha

A União Europeia e a Otan também ofereceram ajuda à Turquia, disseram a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, e o secretário-geral da aliança atlântica, Jens Stoltenberg.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA