Internacional

Trump: ‘Sempre busquei minimizar importância do novo coronavírus’

Publicados

em


source
o presidente donald trumo; ao fundo, as listras vermelhas e brancas da bandeira norte-americana
Reprodução: O Dia

Presidente Trump deu entrevistas falando sobre medo do novo coronavírus à autor de livro sobre sua gestão na Casa Branca


Nesta terça-feira (15), uma série de áudios de entrevistas dadas por Donald Trump ao jornalista Bob Woodward foram divulgadas por veículos de comunicação. Em um deles, o presidente norte-americano confessa que sabia da letalidade do novo coronavírus , mas preferiu minimizar sua relevância.


O áudio, divulgado pelo The Washington Post, causou indignação na oposição ao presidente dos Estados Unidos. A frase faz parte de entrevistas feitas por Woodward para compor o livro Rage (palavra em inglês para Raiva), que aborda a gestão de Trump.

“É mais mortal inclusive que uma gripe intensa. Isto é algo fatal”, afirmou Trump ao jornalista em fevereiro, em uma das quase 20 entrevistas realizadas. O presidente dos EUA afirmava que estava ciente de que havia uma grande chance de que os números de mortes fossem grandes.

Leia Também:  Tanque de vinho explode e derrama 50 mil litros da bebida; veja o vídeo

“Sempre quis minimizar sua importância. Ainda gosto de minimizar porque não quero criar pânico”, justificou Trump a Woodward no mês de março. Na próxima semana após a afirmação, que teve gravação divulgada pela CNN, o presidente planejava reabrir o país e que se tratava de uma gripe comum.

O livro de Woodward afirma que Trump foi alertado sobre a gravidade da pandemia do novo coronavírus. “Isto será a maior ameaça à segurança nacional que o senhor enfrentará na sua presidência”, afirmou Robert O’Brien, assessor de Segurança Nacional. Na reunião, a pandemia foi comparada à gripe espanhola de 1918.

A revista Rolling Stone também teve acesso a alguns dos áudios. Em um deles, Trump afirma que estava amedrontado com a Covid-19 e chegou a se referir à doença como “praga”. “Se você for a pessoa errada, você não tem chances”, disse o presidente ao jornalista.

Trump também afirmou no trecho divulgado pela Rolling Stone que o vírus é transmitido facilmente. Ele relata um episódio em que esteve na Casa Branca com mais 10 pessoas. Uma delas teria espirrado, o que teria assustado a todos os presentes, inclusive Trump.

Leia Também:  Alemanha registra aumento de casos de Covid-19 e país entra em alerta


Segundo a porta-voz da Casa Branca, Kayleigh McEnany, Trump nunca minimizou a Covid-19, mas agiu “com calma”. Questionada sobre a fala do presidente sobre “a pandemia desaparecer em breve, ela disse: “Ninguém está mentindo às pessoas. Um dia a covid-19 vai desaparecer. É um fato”.
“Amo o nosso país e não quero que as pessoas se assustem. Não quero criar pânico. Temos que nos encarregar da situação”, afirmou Trump horas depois.

Por outro lado, o candidato de oposição que corre para a presidência dos EUA neste ano, Joe Biden, foi ao Twitter e afirmou que o Trump mentiu e que não fez seu trabalho de propósito. Ele justificou a ação do atual presidente como “traição de vida ou morte ao povo norte-americano”.

A vice de Biden, Kamala Harris, complementou afirmando que Trump não está apto a ser presidente. “É preciso tirá-lo em novembro”, afirmou.

Fonte: IG Mundo

Propaganda

Internacional

Genes neandertais aumentam o risco de Covid-19, afirma novo estudo

Publicados

em


source
1
Nikola/Divulgação

Imagem retrata neandertais em exposição em museu da Croácia


Cientistas afirmam que um  traço de DNA , passado dos neandertais para os humanos modernos, pode triplicar o risco de se desenvolver a forma mais grave da Covid-19 . Cerca de 16% dos europeus e metade dos sul-asiáticos são portadores desse legado genético de mais de 50 mil anos. O estudo foi publicado na revista científica Nature.


As origens dos genes de risco vieram à tona quando pesquisadores na Suécia e na Alemanha compararam o DNA de pacientes infectados com o de neandertais. O trecho de DNA que torna os pacientes mais propensos a adoecer gravemente é muito semelhante ao coletado de um neandertal na Croácia.

“Quase caí da cadeira, porque o segmento de DNA era exatamente o mesmo do genoma do neandertal”, diz Hugo Zeberg, professor assistente do Instituto Karolinska em Estocolmo.

Leia Também:  EUA: Trump e Biden se enfrentam em 1º debate presidencial nesta terça

Zeberg e seu parceiro, Svante Pääbo, diretor do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva, suspeitam que os genes neandertais persistiram nos humanos modernos porque já foram benéficos, talvez ajudando a combater outras infecções. Só agora – quando confrontado com uma nova infecção – é que seu lado negativo foi exposto .

Não está claro como os genes podem piorar a Covid-19, mas um gene desempenha um papel na resposta imunológica, impedindo que vírus invadam as células humanas. “Estamos tentando identificar qual é o gene-chave, ou se existem vários genes-chave, mas a resposta é que não sabemos quais são os críticos na Covid-19 “, declara Zeberg.

Além dos genes de risco da Covid-19, os neandertais legaram outros aos humanos modernos. Alguns aumentam a sensibilidade à dor, enquanto outros reduzem o risco de aborto espontâneo. “Alguns são benéficos e outros prejudiciais”, afirma Zeberg. “São como uma faca de dois gumes.”

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA