Internacional

Unicef: 45 mil pessoas precisam de ajuda humanitária em Moçambique

Publicados

em


O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) estima que mais de 45 mil pessoas, incluindo 23 mil mulheres e crianças, precisem de assistência humanitária” em Moçambique, depois da passagem da tempestade Ana, desde segunda-feira (24).

A população afetada vive nas províncias mais povoadas do país, ou seja, Nampula e Zambézia, e ainda em Tete, Niassa, Sofala e Manica, todas no norte e no centro.

De acordo com dados das autoridades locais e do Instituto Nacional de Gestão de Desastres (INGD), pelo menos 20 pessoas morreram, embora relatos da população nas zonas afetadas indique número de vítimas ainda maior.

Citando dados do INGD, a agência da ONU informou, em comunicado, que a tempestade “danificou quase 10,5 mil casas, bem como pontes, linhas elétricas, escolas, sistemas de água e instalações de saúde”. 

Balanço preliminar da Proteção Civil diz que foram atingidas 12 instalações de saúde e 346 salas de aula (137 escolas), “deixando 27,38 mil alunos sem lugar para aprender, antes do novo ano letivo, que tem início previsto para segunda-feira (31)”.

Leia Também:  Biden defende Finlândia e Suécia na Otan: 'Farão a aliança mais forte'

O governo anunciou que vai colocar pontes metálicas provisórias, para que seja retomada a circulação em duas importantes vias rodoviárias: sobre o rio Revuboé, na província de Tete, e sobre o rio Licungo, na Zambézia.

Entretanto, apesar de a tempestade Ana já ter passado, a Proteção Civil diz que risco de inundações persiste na província de Sofala, porque as chuvas continuam a alimentar bacias hidrográficas que ficaram acima dos níveis de alerta nos últimos dias.

“O Unicef estima que precisará de US$ 3,5 milhões para responder às necessidades imediatas das populações afetadas”, e acrescenta que está utilizando recursos internos.

Moçambique enfrenta época ciclônica sazonal, e a tempestade tropical Ana foi a primeira e única até agora a atingir o país.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.

Propaganda

Internacional

EUA: George Bush comete gafe ao confundir Ucrânia com Iraque

Publicados

em

source
George Bush durante um evento em Shanksville, nos Estados Unidos
Reprodução – 19.05.2022

George Bush durante um evento em Shanksville, nos Estados Unidos

O ex-presidente dos Estados Unidos George Bush, de 75 anos de idade, cometeu uma gafe na última quarta-feira (18), durante um discurso em Dallas, ao ter confundido a Ucrânia com o Iraque.

Ao se referir à guerra iniciada pela Rússia, o ex-chefe de Estado norte-americano descreveu erroneamente a invasão do Iraque como “brutal” e “injustificada”.

“A decisão de um homem lançar uma invasão completamente injustificada e brutal no Iraque”, disse Bush, que percebeu o equívoco logo na sequência. “Digo, na Ucrânia”, corrigiu o ex-presidente republicano.

A gafe do ex-mandatário ocorreu em um evento do Bush Center, um instituto focado na formação de líderes, pouco depois de criticar o presidente da Rússia, Vladimir Putin. O ex-chefe de Estado atribuiu o erro à sua idade e a confusão causou uma gargalhada na plateia.

No início dos anos 2000, Bush era o presidente dos Estados Unidos e arquitetou a invasão ao Iraque, na época liderado pelo ditador Saddam Hussein, afirmando que a nação produzia armamentos de destruição em massa. 

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o perfil geral do Portal iG .

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA