Carros e Motos

Jaguar de “007 Contra Spectre” vai a leilão

Publicado

source

Motor Show

Jaguar C-X75 arrow-options
Divulgação

Jaguar C-X75: superesportivo de 500 cv foi feito para comemorar os 75 anos da fabricante


Um raríssimo Jaguar C-X75 será leiloado no dia 30 de novembro em Abu Dhabi, pela RM Sotheby’s , em 30 de novembro. O “JAG” foi um dos destaques do filme “007 Contra Spectre (2015)”, estrelado pelo ator Daniel Craig no papel do agente mais famoso do cinema.

LEIA MAIS: Aston Martin terá quatro carros em “007 – Sem Tempo para Morrer”

Mostrado no Salão de Paris de 2010, o Jaguar C-X75 celebrou os 75 anos do fabricante. Foi cogitada a produção de 250 unidades do modelo, que iria duelar com Porsche 918 Spyder, McLaren P1 e Ferrari LaFerrari. Infelizmente, os planos foram cancelados em 2012 e apenas cinco unidades foram construídas. Era o fim do substituto espiritual do icônico modelo XJ220.


O C-X75 disponível para lances tem número de chassi 001 e sob o capô ostenta um motor V8 Supercharged de quase 500 cv de potência. Para conter os ânimos, os freios são da AP Racing.

Leia mais:  Veja 5 carros legais para comprar antes que saiam de linha

LEIA MAIS: Aston Martin de 007 Thunderball será leiloado com as armas e acessórios 

Além da participação na produção de Hollywood, o Jaguar C-X75 também foi pilotado por Felipe Massa no GP do México de 2015. Segundo a RM Sotheby’s, a estimativa dos lances será entre US$ 800.000 e US$ 1.200.000 (R$ 4.812.000 em conversão direta).

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Novo Mercedes-Benz GLA estreia mais espaçoso e tecnológico

Publicado

source

Motor Show

Mercedes-Benz GLA arrow-options
Divulgação

Mercedes-Benz GLA ganha sistema de inteligência artificial MBUX em sua nova geração

A Mercedes-Benz apresentou oficialmente nesta quarta-feira (11) o novo GLA. A nova geração do menor SUV da marca alemã chega trazendo novas tecnologias e dimensões mais generosas.

LEIA MAIS: Veja 5 modelos inéditos que vão estrear no Brasil em 2020

Embora seja 14 mm mais curto do que o GLA atualmente no mercado (4,410 m), o SUV de nova geração ficou 30 mm mais largo (1,834 m), 104 mm mais alto (1,611 m) e ganhou 30 mm no entre-eixos (2,729 m). De acordo com a montadora, além do maior espaço para a cabeça nos bancos dianteiros, a área para as pernas dos passageiros do banco traseiro também aumentou.

Junto do sistema multimídia inteligente MBUX, já visto no Brasil em modelos como o novo Classe A (com o qual compartilha a plataforma), o GLA ganhou também novos sistemas autônomos de assistência ao motoristas, permitindo ao veículo, por exemplo, executar manobras evasivas para evitar acidentes.

Outra novidade é o modo “Lava Rápido”, lançado inicialmente no irmão maior GLS. Com um comando, o veículo dobra os retrovisores, fecha o teto-solar, o limpador de para-brisa é desligado e o sistema de recirculação de ar é acionado. Já o sistema multimídia passa a exibir as imagens da câmera dianteira.

Leia mais:  Fiat Argo Trekking ganha versão 1.8 automática por R$ 68.990

LEIA MAIS: Alfa Romeo Tonale é o primeiro SUV eletrificado da marca italiana

As vendas na Europa estão marcadas para começar até o fim do 1º semestre de 2020. Mas a marca já divulgou as motorizações a gasolina para o modelo. A versão inicial do SUV é a GLA 200, que traz um motor 1.3 turbo de quatro cilindros e 163 cv. Combinado a um câmbio automatizado de sete marchas e dupla embreagem, permite ao GLA acelerar de 0-100 km/h em 8,7 segundos e atingir os 210 km/h de velocidade máxima.

LEIA MAIS: Chevrolet Tracker aparece sem camuflagem. Estreia acontecerá em 2020

Já a versão AMG é a GLA 35 4Matic. Equipada traçãi integral e um motor 2.0 turbo de quatro cilindros e 306 cv, acelera de 0-100 km/h em 5,1 segundos e atinge 250 km/h de velocidade máxima (limitada eletronicamente).

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Trocando marchas com a mão, na Indian Chief 1948

Publicado

source
Indian Chief 1948 arrow-options
Acervo pessoal

A relíquia Indian Chief 1948 chama atenção nas ruas

A grande maioria dos motociclistas brasileiros, pelo menos os mais jovens, teve conhecimento da existência da marca norte-americana de motocicletas Indian há muito pouco tempo, quando a empresa voltou a produzir motocicletas nos Estados Unidos, após cerca de 60 anos inoperante, e seus produtos começaram a ser importados para o Brasil.

LEIA MAIS: Relembrando a Yamaha DT 360A de 1974, uma motocicleta muito rara

Muito parecidas com as Harley-Davidson, as Indian são ainda mais antigas, com início de produção dois anos antes da sua eterna rival. Foram também dois jovens empreendedores, George Hendee e Carl Oscar Redstrom, que fundaram a Indian Motorcycle Company, em 1901, na cidade de Springfield, Massachussets.

As primeiras Indian ainda não se pareciam com os modelos mais conhecidos posteriormente, pois não eram mais do que bicicletas equipadas com pequenos motores monocilíndricos. Em dez anos, a Indian já era a maior fabricante de motocicletas do mundo, produzindo modelos sofisticados, que até partida elétrica tinham.

Já mostrei aqui todas as versões modernas da Indian que foram comercializadas até o ano passado, quando a marca se retirou de nosso mercado, mas esta Indian Chief 1948 merece um lugar especial na galeria das motocicletas clássicas.

A Indian Chief começou a ser produzida em 1922, para ser o modelo mais sofisticado da marca. Esse status logo foi comprovado pelo público, que considerava as Indian mais confortáveis do que as rivais Harley-Davidson. O motor V2 de 1.000 cm3 era potente e de funcionamento suave, e logo no ano seguinte, com a cilindrada aumentada para 1.200 cm3, ela chegou a atingir o auge de sua popularidade.

Leia mais:  Citroën confirma que prepara substituto do SUV compacto C4 Cactus

LEIA MAIS: Um passeio cheio de “causos” pelos anos 80

Em 1953, pressionada pelas marcas europeias que começaram a chegar ao mercado norte-americano, as Indian Chief foram consideradas antiquadas e a marca encerrou a sua produção. Dessa data até 2011, quando a Polaris comprou a lendária marca e iniciou a produção das Indian modernas, muitos fabricantes e importadores exploraram a marca com os mais diversos tipos de motocicletas.

Câmbio na mão

Chief arrow-options
Acervo pessoal

Com câmbio e acelerador no mesmo guidão, a condução da Indian Chief 1948 é complexa

Pelas fotos pode-se notar que essa motocicleta tem a alavanca de câmbio acionada pela mão direita, a mesma do acelerador. Isso torna a pilotagem mais difícil, porém mais interessante. Algumas Indian, como se pode ver em pesquisas de fotos de época, tinham a alavanca de câmbio do lado esquerdo e, outras até, tinham o acelerador transferido para o lado esquerdo do guidão.

Na hora de experimentar a velha senhora, não foi o câmbio que mais estranhei, pois é possível escolher uma das três marchas quando não é necessário acelerar, mas foi a embreagem no pé esquerdo o que mais me atrapalhou. É que é preciso estar com o pé direito no chão, apoiando a motocicleta, para acionar a embreagem com o outro pé.

Leia mais:  Ford quer vender um milhão de carros eletrificados por ano na Europa

LEIA MAIS: As novidades da Ducati Diavel 1260S

Também é preciso um pouco de prática para soltar a embreagem de forma a não dar trancos e não deixar o motor apagar. Caso isso aconteça, o pedal do lado direito, parecido com o de uma bicicleta, é a única forma de ligar o motor novamente. Mesmo com todas essas características intrigantes, a Indian Chief 1948 , principalmente tão bem restaurada como esta, jamais faria feio em meio a grupos de motociclistas modernos.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana