Internacional

Jornalista é condenado a pagar multa por chamar mafioso de ‘pedaço de m…’

Publicado

source
Jornalista arrow-options
Reprodução/Twitter

Jornalista Rino Giacalone

O Tribunal de Apelação de Palermo, na Itália, condenou nesta segunda-feira (13) um jornalista de Trapani por difamação agravada por ter chamado um mafioso de “pedaço de merda”.

Leia também: Por ‘medo de lei’, juiz concede prisão domiciliar a advogado com pena de 99 anos

Rino Giacalone foi sentenciado a pagar uma multa de 600 euros, além de 500 euros a cada membro da família de Mariano Agate, chefe da máfia de mazara del Vallo e considerado um dos homens de Totò Riina.

Em abril de 2013, na data em que o líder mafioso faleceu, o jornalista italiano assinou um artigo para uma revista online, no qual ele adaptou a Agate uma expressão de Peppino Impastato: “A máfia é uma montanha de merda”.

Os membros da família do criminoso processaram Giacalone, que chegou a ser absolvido em primeira instância em 2017. No entanto, após um apelo do promotor Franco Belvisi, o tribunal de Cassação anulou a sentença e ordenou um novo julgamento.

Leia mais:  Austrália registra incêndios em vários estados

Segundo a justiça, a expressão usada pelo jornalista “acaba em violação insuperável do núcleo fundamental da dignidade que nosso sistema reconhece a qualquer ser humano, mesmo àquelas que pertencem a uma associação criminosa sangrenta e nefasta”.

Leia também: Idosa abre portão para dar água a adolescentes, é roubada e agredida

Para o Tribunal, o fundamento constitucional do sistema criminal propõe a reeducação dos piores criminosos. A defesa de Giacalone, por sua vez, afirmou que recorrerá.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
publicidade

Internacional

Trump será defendido por acusador de relações entre Clinton e Monica Lewinsky

Publicado

source
Bill Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos arrow-options
Gage Skidmore/Creative Commons

Bill Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos

Um dos integrantes da equipe de defesa do presidente dos Estados Unidos , Donald Trump , contra as acusações de impeachment será o advogado Kenneth Starr, que foi o responsável pelas acusações contra o ex-presidente Bill Clinton por relações sexuais com a ex-estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky . O caso ocorreu em 1988 e resultou em outro processo de impeachment contra Clinton na Câmara dos Representantes.

Segundo informações da imprensa americana, os advogados Alan Dershowitz e Robert Ray, que sucedeu Starr como promotor independente e redigiu o relatório final sobre Clinton, também vão integrar a defesa de Trump.

Leia também: Senado dos EUA recebe impeachment de Trump: entenda como ocorre o processo

No Twitter, Lewinsky fez um comentário sobre a escolha de Starr para fazer a defesa de Trump. “Este é definitivamente um ‘você está brincando comigo?’ tipo de dia”, escreveu.

Leia mais:  Iranianos torcem por 'resposta diplomática' aos EUA: "guerra seria um suicídio"

Trump é o terceiro presidente da história dos Estados Unidos a sofrer impeachment na Câmara e o primeiro a passar pelo processo enquanto luta pela reeleição ao cargo. Além dele, Andrew Johnson e Bill Clinton tiveram processos de impeachment aprovados pela Câmara, mas ambos foram absolvidos pelo Senado e não perderam o cargo.

Leia também: EUA admitem que 11 militares americanos ficaram feridos em ataques do Irã

Ele é acusado de abuso de poder e obstrução do Congresso no caso de ele ter pedido à Ucrânia que investigasse Joe Biden, potencial rival dele na disputa pela presidência.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Internacional

Governo interino da Bolívia destina 10% do orçamento para a saúde

Publicado

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, anunciou que destinará 10% do orçamento nacional para a área da saúde visando melhorar e fortalecer a atenção médica para a população.

“Foi feito um grande sacrifício financeiro ajustando o orçamento, e conseguimos destinar 10% do nosso orçamento geral para a saúde de todos os bolivianos”, afirmou.

Bolivian Senator Jeanine Anez gestures after she declared herself as Interim President of Bolivia, in La Paz, Bolivia November 12, 2019. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

 A presidente Jeanine Áñez quer fortalecer a área de saúde da Bolívia     Carlos Garcia Eawlins/Reuters/direitos reservados

Jeanine disse ainda que há recursos disponíveis de mecanismos de cooperação internacional para reforçar ainda mais essa área.

O ministro de Economia, José Luis Parada, disse que buscará executar em sua totalidade os 10% do Orçamento Geral da Nação para a atenção médica.

Ele criticou o governo do ex-presidente Evo Morales, que acusou de não ter “ordenamento nem controle” dos gastos.

Edição: Kleber Sampaio

Comentários Facebook
Leia mais:  Tufão Mitag se aproxima de ilhas no sul do Japão
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana