Momento Agro

Mapa oferece atualização para veterinários dos estados, municípios e consórcios públicos

Publicado


O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) irá promover uma atualização para médicos veterinários dos serviços de inspeção dos estados, municípios e consórcios públicos. O Curso de Atualização em Inspeção Higiênico-Sanitária e Tecnológica de Carnes vai ocorrer entre os dias 10 e 13 de março, em Fortaleza (CE), e visa atender prioritariamente os profissionais das regiões Norte e Nordeste. 

O curso será precedido do seminário para gestores públicos e agroindustriais na tarde do dia 9 de março, no auditório do Banco do Nordeste (BNB), também na capital cearense. O seminário vai abordar as vantagens de gestores públicos e agroindústrias participarem do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA) do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa). 

Técnicos do Mapa vão detalhar os requisitos para adesão ao sistema e apresentar casos bem sucedidos. Outro tema do seminário será o autocontrole, incluindo as Boas Práticas de Fabricação (BPF), os Procedimentos Padrão de Higiene Operacional (PPHO) e o Sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC). O seminário tem 500 vagas e as inscrições podem ser feitas no local e dia do evento. 

Já o curso de atualização vai preparar os veterinários sobre a inspeção ante e post mortem das principais espécies de abate (aves, bovinos e suínos) e a verificação oficial dos programas de autocontrole (BPF, PPHO e APPCC) visando à equivalência ao Sisbi-POA. É uma ação do AgroNordeste para atender a demandas das regiões nordeste e norte, mas está aberto para todas as regiões do país no limite das vagas – 220. As inscrições podem ser feitas neste link.

>>>Confira a programação do curso 

“Os eventos do Sisbi-POA, em Fortaleza, vão mostrar todos os benefícios para o desenvolvimento regional das agroindústrias de carnes, leite, pescados, ovos e mel, tanto para o setor produtivo quanto para os gestores públicos municipais e estaduais”, disse a diretora do Departamento de Suporte e Normas (DSN), Judi Maria da Nóbrega.

Os eventos são organizados pelo DSN e pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa, com apoio da Superintendência Federal da Agricultura no Ceará (SFA-CE), do Banco do Nordeste e do Sebrae/CE. Ambos terão certificados emitidos pela Escola Nacional de Gestão Agropecuária (Enagro). 

Informações à Imprensa
[email protected] 

Comentários Facebook
publicidade

Momento Agro

GRÃOS/CEPEA: Indicador da soja supera R$ 100/sc e o do milho, R$ 60, recordes nominais das séries do Cepea

Publicado


.

Clique aqui e baixe o release completo em word

 

Cepea, 1º/04/2020 – Alguns mercados agropecuários parecem estar passando ao largo do atual cenário conturbado, em decorrência da pandemia de coronavírus, e seguem registrando bom ritmo de negociação e alta de preços. Nesta semana, os Indicadores de soja, milho e também o de arroz atingiram recordes nominais das respectivas séries do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP.

 

SOJA: Saca é negociada acima de R$ 100 em Paranaguá

As firmes demandas externa e doméstica, a alta nos preços internacionais e o dólar elevado – que torna a commodity brasileira mais atrativa – têm impulsionado os valores da soja no Brasil. Além disso, como forma de combater o avanço do coronavírus, o governo argentino limitou o movimento nos portos do país, cenário que favorece as vendas brasileiras de soja e derivados. Segundo pesquisadores do Cepea, nas últimas semanas, o ritmo de embarques da oleaginosa seguiu a “todo vapor”, com agentes até sinalizando dificuldades para conseguir novas cotas portuárias até o final deste primeiro semestre.

 

Nesse cenário, desde o início desta semana, o Indicador Paranaguá ESALQ/BM&FBovespa tem fechado acima de R$ 100,00/saca de 60 kg, sendo este o maior patamar nominal da série histórica do Cepea, iniciada em março de 2006 para este produto. Em termos reais, o maior patamar da série foi registrado em setembro de 2012, quando a oleaginosa foi negociada na média de R$ 130,41/saca (os valores foram deflacionados pelo IGP-DI). Nessa terça-feira, 31, o Indicador Paranaguá fechou a R$ 101,21/saca, acumulando alta de 12,63% em março.

 

MILHO: Oferta restrita sustenta movimento de alta desde setembro/19

A oferta de milho segue restrita no Brasil, contexto que mantém os preços em movimento de alta desde setembro do ano passado. Pesquisadores do Cepea indicam que, mesmo com a colheita da safra de verão se aproximando do fim, muitos produtores têm preferido negociar a soja em detrimento do milho.

 

Além disso, vendedores do cereal estão afastados do mercado, na expectativa de que os valores continuem avançando nas próximas semanas, fundamentados nos baixos estoques de passagem e em problemas na oferta de milho de primeira safra, que reduziram a disponibilidade do cereal neste momento. Além disso, há preocupação com o desenvolvimento das lavouras de segunda safra. Compradores, por sua vez, precisam repor estoques de curto prazo e, para isso, acabam cedendo e reajustando positivamente os preços.

 

Nessa terça, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas – SP) atingiu R$ 60,14/saca de 60 kg, o maior valor nominal da série histórica do Cepea para esse produto, iniciada em agosto de 2004. Já em termos reais (valores atualizados pelo IGP-DI), o maior patamar deflacionado da série do Cepea, de R$ 68,50/sc, foi verificado em dezembro de 2007. Em março, o Indicador registrou alta de quase 13%.

 

ARROZ: Colheita avança no RS, mas preço segue em alta

Apesar do período de colheita, quando tradicionalmente os valores cedem, devido à maior disponibilidade, para o arroz em casca, o cenário é o oposto neste momento. Segundo levantamento do Cepea, os preços têm registrado altas, atingindo, nessa terça, recorde nominal da série histórica do Centro de Pesquisas, iniciada neste caso em 2005.

 

O Indicador do arroz em casca ESALQ/SENAR-RS fechou a R$ 51,92/saca de 50 kg nessa terça-feira, acumulando elevação de 4,83% em março. Já em termos reais, ou seja, considerando-se os efeitos da inflação, o maior patamar já visto pelo Cepea foi em maio de 2008, quando a saca de 50 kg foi negociada na média de R$ 66,95.

 

Pesquisadores do Cepea indicam que a alta está atrelada ao recuo de orizicultores e também ao maior interesse comprador. Neste caso, consumidores nacionais passaram a adquirir maiores volumes, forçando o varejo a se abastecer do atacado e, por sua vez, dos engenhos beneficiadores.

 

Outras informações sobre as pesquisas do Cepea a respeito dos mercados de soja, milho e arroz: www.cepea.esalq.usp.br, por meio da Comunicação do Cepea e com o prof. Lucilio Rogerio Alves: [email protected]

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Agro

ALGODÃO/CEPEA: Com efetivações pontuais, preços caem no final março

Publicado


.

Cepea, 01/04/2020 – Diante do receio de agentes de mercado consultados pelo Cepea de que as medidas adotadas por governos para conter o avanço do coronavírus possam dificultar a logística nacional, muitas indústrias têxtis foram interrompendo suas atividades no final de março, exceto as que fornecem produtos hospitalares. Vale ressaltar que, com o fechamento de lojas físicas de produtos não essenciais em diversas cidades, incluindo os shoppings, as demandas por fios e pelo algodão diminuíram significativamente. Do lado comprador, as indústrias consultadas pelo Cepea, que ainda estão operando, trabalham com a matéria-prima estocada – muitas reduziram o ritmo de produção. A maioria dos agentes segue adiando o recebimento, solicitando aumento no prazo de pagamento, ou até mesmo, cancelando os pedidos. Dos poucos vendedores ativos, parte se manteve firme nos valores pedidos. Neste cenário, as efetivações foram pontuais, especialmente na segunda quinzena de março. Entre 24 e 31 de março, o Indicador do algodão em pluma CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, recuou 2,38%, fechando a R$ 2,8414/lp na terça-feira, 31. No acumulado de março, a queda é de 2,88%. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana