Ministério Público MT

Governo de MT contempla municipio de Diamantino com mais de 55 milhões para investimentos em Infraestrutura

Publicados

em

O município de Diamantino, em Mato Grosso, foi contemplado com mais de R$ 55 milhões em convênios pelo Governo do Estado.

O ato de assinatura ocorreu na sexta-feira (24) em Tangará da Serra com a presença do governador Mauro Mendes. O chefe de gabinete Milton Criveletto representou o prefeito, Manoel Loureiro.

Desse valor, R$ 1,02 milhão é destinado à recuperação da pista do aeródromo, melhorando as condições para pousos visuais, além de R$ 2,1 milhões para asfaltamento da via paralela do aeródromo, que passa em frente ao posto Castoldi e Sicredi, ligando a MT-240 à BR 364, no bairro Bom Jesus. A obra, viabilizada pelo senador Wellington Fagundes, prevê pista para ciclismo.

Diamantino também recebeu convênio no valor de R$ 864 mil para construção de uma praça no bairro Altos da Serra, por intermédio do deputado estadual Eduardo Botelho, contemplando aquela comunidade que ainda não tem espaço para lazer.

A prefeitura ainda recebeu autorização para licitar asfaltamento da MT-240, dando acesso à BR-163, o que vai diminuir em cerca de 50 km a distância entre o município de Diamantino e Nova Mutum, obra que representa investimento da ordem de  R$ 51.673.871,50.

Leia Também:  Advogado do Ten Cel Paccola que matou agente sócioeducativo com três tiros pelas costas questiona denuncia do MPE

Manoel Loureiro comemora a liberação desses recursos. “Esses convênios darão um salto no desenvolvimento do município, contemplando diretamente a população”.

Confira os valores exatos dos convênios:

Convênio para recuperação da pista do aeródromo – R$ 1.020.000,00
Convênio para asfaltamento da paralela do aeródromo, ligação entre MT-240 e BR-364, no bairro Bom Jesus (parceria com senador Wellington Fagundes) – R$ 2.177.261,09
Convênio para construção da praça Altos da Serra – R$ 864.746,16
Autorização de licitação para asfaltar a MT-240 – R$ 51.673.871,50

O governador Mauro Mendes destacou durante o ato que esses investimentos estão sendo possíveis porque hoje o Estado vivencia um momento muito diferente do que foi encontrado no início da gestão, quando não havia dinheiro sequer para arcar com encargos dos servidores públicos.

“É muito bom chegar aqui hoje, num fim de mandato, depois de três anos e meio, depois de muito trabalho, assinando tantos convênios para a região. Já autorizamos investimentos em todos os 141 municípios e posso garantir que, para cada um dos convênios assinados, temos dinheiro 100% em conta para honrar com nossos compromissos. É uma virada de página para Mato Grosso”, afirmou.

Leia Também:  Municipio pobre de MT com 2.900 habitantes gasta 835 mil reais em festa com autorização da Justiça

Mais de R$ 100 milhões

Mas, os investimentos não param por aí. O Prefeito, Manoel Loureiro anuncia outros convênios já em andamento e que juntos representarão mais de R$ 100 milhões em obras em Diamantino somente em 2022.

Graças a uma emenda do deputado federal Juarez Costa, serão liberados R$ 3 milhões para a construção de uma unidade do Corpo de Bombeiros e da praça do bairro Buriti. Também está prevista a liberação de uma emenda do deputado estadual  João no valor de R$ 5 milhões para a construção de uma escola estadual no distrito de Deciolândia e R$ 2,6 milhões para a reforma da Escola Plácido de Castro.

Diamantino ainda será contemplado com emenda da deputada federal Rosaneide no valor de R$ 8 milhões para a construção do novo prédio da Escola Castorina, além de R$ 10 milhões para pavimentação asfáltica de diversas ruas de Diamantino e também do Posto Gil, convênio viabilizado pelo senador Wellington Fagundes em parceria com a Calha Norte.

Ministério Público MT

Advogado do Ten Cel Paccola que matou agente sócioeducativo com três tiros pelas costas questiona denuncia do MPE

Publicados

em

O vereador tenente-coronel Marcos Paccola (Republicanos) ingressou com um pedido na Justiça solicitando que a Polícia Civil faça a reconstituição da morte do agente do socioeducativo Alexandre Miyagwa, 41 anos. 

A solicitação consta na manifestação da ação criminal no qual o vereador é réu por ter matado o servidor com três tiros nas costas no dia 1º de julho, em Cuiabá.

No documento, a defesa aponta que a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE) com base no inquérito policial que indiciou o vereador por homicídio qualificado “não corresponde com a verdade”.

“Com a devida vênia, nesta oportunidade primeira, devemos deixar claro, para que não surjam dúvidas, que os fatos articulados no bojo da denúncia ofertada não correspondem com a verdade, como será demonstrado no transcorrer da instrução criminal”, cita.

No despacho, a defesa patrocinada pelo escritório de advocacia Ricardo Monteiro, aponta ainda que a reprodução simulada dos fatos deveria ter sido realizada durante as investigações para que fossem trazidas informações sobre as dinâmica em que os fatos aconteceram.

Leia Também:  Advogado do Ten Cel Paccola que matou agente sócioeducativo com três tiros pelas costas questiona denuncia do MPE

Ao final, o pedido também indica o nome de 4 testemunhas para serem ouvidas pelo juiz. “Com a devida vênia, temos a certeza de que com a efetivação da reprodução simulada dos fatos, tanto a defesa como a acusação, poderão visualizar o sítio e a dinâmica dos acontecimentos e com isso, poderão formar com maior eficácia as suas convicções, assim como dará maior clareza para balizar a sentença que será prolatada por Vossa Excelência”, finaliza.

O caso
Paccola matou Miyagawa com 3 tiros nas costas, na noite de 1º de julho, próximo à praça 8 de Abril, região central de Cuiabá.

O parlamentar alega que atirou em legítima defesa, já que o agente também estava armado. Contudo, as investigações da Polícia Civil apontaram que a vítima foi executada sem a possibilidade de defesa.

 

Otavio Ventureli(da redação com GD)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI