Momento Agro

Possibilidade de peste suína africana se alastrar no Brasil é muito baixa, afirma CNA

Publicados

em

 

       O avanço da peste suína africana sobre plantéis na Ásia e em, ao menos,  dez países da Europa tem preocupado o setor produtivo brasileiro.
 
        Para evitar a entrada da doença no país, que não é registrada desde o fim da década de 1970, produtores de suínos pedem melhorias na defesa sanitária e autoridades prometem intensificar ações de prevenção, principalmente em aeroportos.
 
       De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a possível entrada da peste suína africana no Brasil poderia causar prejuízos de US$ 5 bilhões em até dois anos.
 
       A assessora técnica da entidade, Ana Lígia Lenat, no entanto, prevê que a possibilidade da doença se alastrar no Brasil é muito baixa.
 
       “A realidade é que o nossos plantel é muito seguro, o risco que temos é de suínos asselvajados que tem contato com alimentação não apropriada e não possui cuidado sanitário desenvolverem a doença”, diz.
 
       Ela comenta que, caso aconteça a entrada da peste no Brasil, medidas devem ser tomadas da forma mais rápida e que para isso acontecer, o Ministério da Agricultura deve ser mais autônomo.
Leia Também:  FRANGO/CEPEA: Ritmo de vendas de carne diminui; preços recuam
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Momento Agro

CITROS/CEPEA: Clima quente favorece demanda por laranjas

Publicados

em


Cepea, 24/09/2021 – Segundo pesquisadores do Cepea, a procura por laranjas esteve firme no mercado de mesa paulista nos últimos dias, influenciada pelo aumento das temperaturas em todo o estado. A demanda por laranjas tardias, especificamente, se aqueceu ligeiramente, favorecida pela melhor qualidade das frutas e pelos preços mais atrativos frente aos da pera. Na parcial desta semana (de segunda a quinta-feira), a valência foi comercializada à média de R$ 39,10/cx com 40,8 kg, na árvore, elevação de 5,9% frente à da semana anterior. A pera, por sua vez, foi negociada a R$ 46,76/cx com 40,8 kg, na árvore, avanço de 2,9% no mesmo comparativo. LIMA ÁCIDA TAHITI – A demanda não reagiu significativamente para a tahiti como aconteceu com a laranja. Assim, o baixo calibre segue influenciando negativamente as cotações. De acordo com dados do Cepea, na semana, a tahiti teve média de R$ 30,45/cx com 27 kg, colhida, queda de 8,5% em relação ao período anterior. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Leia Também:  CITROS/CEPEA: Clima quente favorece demanda por laranjas
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA