Momento Cidades

Artesanato na Praça retoma encontros mensais no centro de Cuiabá

Publicados

em

Variedade em tapetes, crochês, doces típicos e plantas levaram o colorido do artesanato à Praça da República, nesta sexta-feira (13). O encontro marca a retomada do grupo Artesanato na Praça pelos principais pontos da Capital e deve se repetir mensalmente no local.

A proposta conta com apoio da Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico e traz visibilidade ao trabalho dos profissionais, ampliando a saída de produtos, expostos em um local com alto fluxo de pessoas ao longo do dia.

A titular da Pasta, Débora Marques explica que tem trabalhado para intensificar as ações voltadas ao setor. “É muito importante tanto para os profissionais, quanto para os consumidores, que possamos fortalecer um trabalho da nossa terra, que represente nossa cultura.”

Ela reforça que a garantia do espaço contribui para a geração de emprego e renda, especialmente em períodos de crise econômica, quando os números do trabalho formal despencam e essa se torna a única fonte de recursos para muitos cidadãos.

Leia Também:  Prefeito Emanuel Pinheiro vistoria no Dutrinha e inauguração deve ocorrer até agosto

Em uma passagem rápida pelos corredores da feira, vê-se intercalarem dezenas de barracas com chinelos, bolos, colares, tapioca, roupas, doces, tapetes, reproduções sacras, compotas e muitos outros. A mistura é proposital e foi pensada para evitar a repetição, estimulando os visitantes a consumir diferentes opções.

Exemplo disso são os arcos de cabelo e laços produzidos pela artesã Sônia Vieira, que há cerca de três anos a ela aprendeu a trabalhar com fitas de cetim na internet. No início os produtos eram oferecidos apenas a colegas de trabalho e a venda servia apenas como complemento de renda.

Com a aposentadoria, contudo, a atividade se tornou sua principal fonte de recursos. “Para não ficar sem fazer nada, comecei a fazer umas coisinhas mais simples. Fui pegando gosto e hoje eu faço de tudo. Para mim o artesanato também é uma forma de combater o estresse”, explica.

O trabalho já rendeu outras oportunidades. Além de expor em diferentes eventos e localidades, Sônia também já aplica um curso para quem pretende lidar com a arte. “Também criei um Empreendedor Individual (MEI), levei parte do trabalho para um box no Shopping Orla e ampliei a produção, que é exposta em várias feiras e eventos.”

Leia Também:  Prefeitura dá continuidade às discussões para definição de Eixos Temáticos da Agenda 2030

Fabiana Galeano de Araújo faz parte da diretoria do Artesanato na Praça, que hoje conta com cerca de 80 membros. Ela conta que o grupo, fundado pela professora Jacy Proença, tem mais de 10 anos e que voltar a realizar o evento na Praça é fundamental para a categoria.  

“O artesão não tem lugar fixo, então essa visibilidade, esse movimento do público são muito importantes para nós”, finaliza.

Fonte: Prefeitura de Cuiabá MT

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Momento Cidades

Escola Técnica de Sorriso poderá ofertar curso superior de engenharia de pesca

Publicados

em

Foto: Michel Ferreira / Assessoria de Gabinete

Em visita a Sorriso, na segunda-feira (21), o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secitec), Nilton Borges Borgato, anunciou a destinação de R$ 4,5 milhões para a retomada das obras da Escola Técnica (ETE), no bairro Industrial, na Zona Leste.

 Paralisado desde 2009, o projeto original prevê a construção de 12 salas de aula, 11 laboratórios, um laboratório especial, um auditório com capacidade para 150 pessoas, quadra poliesportiva, biblioteca, centro de convivência (refeitório e jardins), além de salas para os setores administrativos e pedagógicos, totalizando 5.537 m² construídos e com capacidade para atender 2,5 mil estudantes.

 Para o deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC), que acompanhou a visita, a conclusão das obras da escola técnica representa um avanço no processo de qualificação de jovens e adultos.

 Como exemplo, o parlamentar citou as tratativas junto à Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) para a abertura do primeiro curso de engenharia de pesca do estado.

 “Há algum tempo a gente vem debatendo essa possibilidade com a reitoria da universidade. O fato é que somos um estado carente em mão de obra em diferentes segmentos da economia e a forma mais eficaz de revertemos essa situação é através de investimentos em educação”, assinala Dal Molin.

Leia Também:  Motoristas do transporte coletivo rodoviário e urbano começam a ser vacinados contra a Influenza

 “As futuras instalações da escola técnica são perfeitas e possibilitam o uso compartilhado com outras instituições de ensino. Nossa proposta é que esse espaço também seja utilizado na formação superior e não apenas de nível técnico”, complementa.

 “Por determinação do governador Mauro Mendes já ‘seguramos’ parte dos recursos no orçamento para concluirmos obras em três municípios, e Sorriso está nessa lista. São mais de R$ 11 milhões destinados para a qualificação de jovens e adultos”, avalia o secretário Nilton Borges.

 O gestor repassou também as orientações do estado sobre a implementação do Parque Tecnológico em Sorriso e do Centro de Inovação do Parque Tecnológico de Várzea Grande. “Já saiu uma equipe daqui [Sorriso] e foi até Cuiabá pra saber o que é como funciona um parque tecnológico. As vezes a gente fala, bom é uma coisa bacana, bonito, mas é preciso saber como se aplicar isso aqui em Sorriso é de fundamental importância”, concluiu.

 Ao todo, a Secitec possui nove escolas técnicas nas cidades de Sinop, Rondonópolis, Alta Floresta, Barra do Garças, Diamantino, Lucas do Rio Verde, Poxoréu, Tangará da Serra e Cuiabá, que atualmente funciona na Escola de Saúde Pública do Estado. Outras duas unidades, nos municípios de Matupá e Juara, estão em fase de conclusão.

Leia Também:  Mato Grosso registra 440.582 casos e 11.711 óbitos por Covid-19
Fonte: ALMT

 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA