Momento Cidades

Hospitais Municipais adquirem equipamentos para mobilidade precoce de pacientes nas UTIs

Publicados

em

Hospitais municipais de Cuiabá, HMC e São Benedito, adquiriram nas Unidades de Terapia Intensiva – UTI’s, os elevadores de transferência, denominado “Maxi Move”. O equipamento é fundamental para a reabilitação de pacientes acamados e auxilia na redução da perda de função ou incapacidade dos pacientes, por meio da mobilidade precoce. É o que explica a coordenadora do setor de fisioterapia, Talita Souza.

“Hoje as duas unidades contam com o equipamento mais completo do gênero. Com ele, conseguimos obter uma solução mais segura e eficiente para as tarefas terapêuticas e básicas dos pacientes, como elevação, posicionamento e locomoção. O sistema oferece dois atributos exclusivos: o Sistema Vertical Estável – SVS e o Sistema de Posicionamento Dinâmico – SPD, que é acionado eletronicamente”, destacou a coordenadora.

Segundo ela, o elevador de transferência representa um grande avanço para a equipe da fisioterapia. “O dispositivo possibilita a transferência dos pacientes que estão em ventilação mecânica, deitados no leito, para o aparelho de elevação móvel, onde ficam sentados. Isso transmite ao paciente a sensação de melhora e interatividade com a equipe, que consegue unir um atendimento clinico individualizado com humanização”, completou.

Leia Também:  Semana na Assembleia tem audiências públicas e CST’s

O responsável técnico do setor de fisioterapia, Leonardo Figueiredo, pontuou outros benefícios com o uso do equipamento. “Essa locomoção do paciente altera a hemodinâmica, a atividade pulmonar e a freqüência cardíaca, acarretando em uma melhora significativa dessas funções. O elevador de transferência traz estabilidade e segurança no manuseio com o paciente, sem esse equipamento não é aconselhável realizar a mobilidade de pacientes acamados”, destacou.    

Sobre o uso do elevador de transferência, o responsável técnico do setor de fisioterapia explicou que a retirada do paciente do leito acontece diariamente, após avaliação clínica. “Todos os pacientes que estiverem hábeis, é realizada a conduta de retirar do leito para atendimento de fisioterapia motora, essa mobilidade diária também evita escaras”, enfatizou.                                                   

Segundo o diretor-geral Paulo Rós, da Empresa Cuiabana de Saúde Pública, que administra o HMC e o Hospital Municipal São Benedito, não é em toda rede do Sistema Único de Saúde – SUS que oferta o elevador de transferência. “Esse trabalho diferenciado para a mobilização segura do paciente não acontece na maioria dos hospitais públicos por falta do equipamento. Esse investimento foi uma determinação da gestão humanizada do prefeito Emanuel Pinheiro, que preconiza a reabilitação do paciente para que tenha uma recuperação mais rápida e eficaz”, enfocou.

Leia Também:  Veículo do Rio de Janeiro é recuperado em Rondonópolis/MT

Para o prefeito Emanuel Pinheiro, a retirada do paciente acamado do leito, mesmo em situação de ventilação mecânica, para induzi-lo a fazer movimento diário, é um trabalho humanizado que é possível graças à aquisição do elevador mecânico.  “Não meço esforços para a recuperação da nossa gente, esse equipamento de ponta, ofertado nos hospitais municipais, para ajudar os pacientes a saírem mais rápido das UTIs, para que tenham menos desgaste muscular. E quando for para enfermaria ou para casa, que seja em melhores condições, com menos seqüelas. São tantos os benefícios, que não consigo mensurar o quão é importante e gratificante proporcionar o tratamento adequado. A nossa gente merece!”, enfatizou.

Fonte: Prefeitura de Cuiabá MT

Momento Cidades

Incêndio de grandes proporções registrado na tarde desta segunda destrói cerca de cinco mil fardos de algodão em Tapurah MT

Publicados

em

Um incêndio de grandes proporções foi registrado na tarde desta segunda-feira(08), em Tapurah MT, causando um prejuízo aproximado de 20 milhões de reais a Empresa proprietária de 5000 fardos de algodão.

Uma guarnição do Corpo de Bombeiros Militar, em Lucas do Rio Verde MT, foi acionada via 193. para combater o fogo que teve sua origem em cinco mil fardos de algodão, há 116 KMs do Municipio. 

No local foi constatado um incêndio na fase ativo em 5.000 rolos de algodão, alta caloria, alta radiação.

Os militares configuraram uma linha de 2 1/2 polegadas para o combate as chamas, e priorizaram a coordenação das ações no resfriamento da radiação em profundidade, obtendo apoio de 15 caminhões-pipa, 50 colaboradores, e 01 avião Air trator agrícola na sinergia da extinção.

Após cerca de 4horas de trabalhos e gerenciamento o incêndio enfim entrou na fase de decaimento, rescaldo, redução abrupta de fumaça e calorias.

Segundo estimativas do Engenheiro agrônomo Sr Diego onttonelly houve prejuízos da ordem de 20 milhões.

Leia Também:  Dezenove bichinhos são adotados durante feira promovida pela Prefeitura de Cuiabá

Após o controle da propagação os colaboradores continuaram o jato neblinado, devido às propriedades de reignição do algodão e a por fim guarnição se deslocou para Lucas do Rio Verde MT.

Logística:

15 caminhões de 20.000l;
01 aernovave Air trator 3000l;
01 ABTF312 de 5000l;
02 militares ;
50 funcionários;

 

Otavio Ventureli(da redação com Assessoria)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI