Momento Cidades

Idosos começam a receber vacina contra Influenza nesta quarta-feira (12)

Publicados

em


Gustavo Duarte

Clique para ampliar

Idosos começarão a ser vacinados contra os três tipos de Influenza (Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B) nesta quarta-feira (12), em todas as unidades básicas de saúde, com exceção de alguns locais onde não há condições de fazer a separação entre os pacientes com suspeita de Covid-19 e os que vão ser vacinados (veja lista das exceções abaixo).

Mesmo com o novo público-alvo, os grupos compostos por crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas e trabalhadores da saúde continuam sendo atendidos. A previsão é que a campanha aconteça até o dia 9 de julho.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Cuiabá, Valéria de Oliveira, destaca que a procura pela vacina tem sido baixa na Capital, mas que as pessoas devem se atentar para a importância da imunização contra a gripe, pois ela também pode gerar hospitalização e até óbito. “A Influenza é uma doença viral com grande capacidade de propagação entre a população, então, neste momento de pandemia, por mais que as pessoas tenham medo de sair de casa, é preciso fazer o esforço de ir até o posto de saúde para tomar a vacina e eliminar a chance de contrair a doença”, afirma. 

Leia Também:  Sine Municipal de Cuiabá oferece 181 vagas com salário de até 7 mil

Visando a segurança dos pacientes, a Secretaria Municipal de Saúde montou toda uma estrutura de tendas nas unidades de saúde, para triagem dos pacientes e separação entre as pessoas saudáveis e que podem se vacinar daquelas que procuram as unidades com suspeita de covid-19. 

As unidades que NÃO terão vacina contra a gripe são: PSF Osmar Cabral / Liberdade, PSF Nova Esperança, PSF Pedra 90 lll e lV e PSF São Gonçalo, na região Sul; PSF Novo Horizonte e CS Ana Poupina, na região Leste; PSF Santa Amália /Jd. Araçá, PSF Santa Isabel I e II e PSF Santa Isabel III, na região Oeste.

Propaganda

Momento Cidades

TRE abre processo para decidir sobre plebiscito para escolher modal de transporte e Emanuel reforça que “a voz do povo é soberana”

Publicados

em


Assessoria

Clique para ampliar

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) instaurou um processo para analisar o pedido de plebiscito sobre a escolha entre o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e o Ônibus de Trânsito Rápido (BRT). O anúncio foi feito na noite desta sexta-feira (18)  pelo presidente do Tribunal, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, em atendimento histórica votação, da Câmara Municipal de Cuiabá  que aprovou, em regime de urgência, no dia 25 de maio, a convocação de plebiscito para  a consulta pública sobre  a definição do  modal de transporte público deve ser implantado na Capital, o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ou BRT (Ônibus de Trânsito Rápido). Foram 17 votos favoráveis.

Na última segunda-feira (14) o prefeito, o deputado federal Emanuel Pinheiro Neto (Emanuelzinho) e o presidente da Câmara Municipal, vereador Juca do Guaraná se reuniram por videoconferência com o presidente do TRE para defender a realização do plebiscito, por considerar ser um ato democrático, uma vez que a população será consultada sobre algo que impactará diretamente no seu dia a dia.

Leia Também:  Municípios ampliam vacinação de pessoas sem comorbidades

Conforme informações do TRE, no primeiro momento o processo tramitará internamente no Tribunal para a instrução necessária e ao final, será submetido ao Plenário, a quem incumbe aprovar, se for o caso, as instruções complementares para a realização de consulta popular e seu respectivo calendário.

Para Pinheiro, o plebiscito é uma forma de legitimar a participação popular nesta decisão entre VLT ou BRT. “Como todos sabem, sou favorável à implantação do VLT, mas a população é soberana, e é ela quem deve decidir o que é melhor para ela. Estou muito feliz, pois o presidente do TRE, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha nos ouviu e entendeu a importância da nossa demanda”, concluiu o prefeito. Ele asseverou ainda que a decisão da Câmara reforça a defesa pela democracia. “Quem tem o direito de ouvir o que é melhor para ela é a população. A legitimidade é do povo. A voz do povo é soberana”, declarou.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA