LUCAS DO RIO VERDE

Controladoria de Lucas do Rio Verde amplia processos de gestão de riscos na Prefeitura

Publicados

em

O dito popular de que prevenir é melhor que remediar é uma base também para os princípios da administração pública. A Prefeitura de Lucas do Rio Verde, por meio da Gerência de Controle Interno, estuda a ampliação do sistema de gestão de riscos para melhorar o resultado dos processos realizados interna e externamente no Município.

De acordo com a Controladoria, o trabalho desempenhado para a gestão de riscos consiste em analisar, verificar, avaliar e monitorar riscos ou ameaças que possam impactar os negócios de uma organização, um departamento, setor ou atividade. 

Desde 2015 a administração pública de Lucas do Rio Verde realiza a gestão de riscos em seis grandes áreas, sob orientação do Tribunal de Contas de Mato Grosso, são elas: Logística de Medicamentos, Merenda Escolar, Gestão Financeira, Frota Municipal, Aquisições Públicas e a Nível de Entidade.

A gestão de riscos confere ao setor público cada vez mais qualidade e agilidade no atendimento às demandas da população. Por este motivo, o Município vem trabalhando para implantar este processo nas demais áreas da administração pública, seguindo os preceitos estabelecidos pelo Governo Federal, além do já citado TCE-MT. 

Leia Também:  Empresário elogia entrega de nova avenida e visão desenvolvimentista da gestão Emanuel Pinheiro

A Controladoria Interna vem desenvolvendo uma metodologia prática e de fácil aplicação nas atividades do dia a dia do servidor. Inicialmente o método será aplicado no próprio setor, para facilitar a orientação da gestão de riscos nos demais setores da prefeitura. 

Durante o ano, o departamento realizou capacitações com os servidores municipais para assegurar a boa gestão dos recursos públicos e apoiar o controle na fiscalização dos atos administrativos. Um dos objetivos é a implantação de uma política de gestão de riscos, além da criação de um comitê de gestão de riscos, que possa garantir a transparência na execução dos processos. 

O adjunto de Controle Interno, Rudimar Paulo Rubin, avalia que a gestão de riscos é uma forma de modernizar o trabalho realizado pela municipalidade, além de refletir diretamente na melhora dos serviços ofertados à população. 

“Estamos nos preparando, a Controladoria Interna, pois vimos como uma questão de suma importância, assim como o prefeito Miguel Vaz também vê. Chegou o momento de implantarmos em todas as secretarias a gestão de riscos. Vamos elaborar uma política de gestão de riscos para que isso venha a acontecer, além da comissão, que vai orientar, capacitar esses setores junto à Controladoria do Município. Isso tudo tem um único objetivo, que é prestar um bom serviço à população, com qualidade e agilidade”, assegurou Rudimar.

Leia Também:  CRAS do Cristo Rei passa a distribuir senha para atendimento na unidade

 

LUCAS DO RIO VERDE

Lucas do Rio Verde começa a aplicar vacina contra a Covid-19 em crianças nesta quinta

Publicados

em

A Secretaria de Saúde de Lucas do Rio Verde anuncia que vai começar a aplicar a vacina contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos nesta quinta-feira (20). A imunização desse público será por meio de agendamento no site da prefeitura e ocorrerá nos PSFs VII Jardim Primaveras e XIII Parque das Américas.

Lucas do Rio Verde vai receber 460 doses pediátricas neste primeiro lote. Nessa fase, serão vacinadas crianças com deficiências permanentes ou comorbidades (confira a lista abaixo).

A previsão, conforme expectativa do Ministério da Saúde, é imunizar 7.638 crianças de 5 a 11 anos em Lucas do Rio Verde. No Brasil, são 20,5 milhões de crianças, conforme o IBGE.

Para serem vacinadas, as crianças devem estar acompanhadas dos pais ou responsável legal que tenha a guarda. Para comprovação da condição de risco, é preciso apresentar, no momento da vacinação, laudo médico ou comprovante da deficiência ou patologia.

É necessário apresentar, ainda, documento com foto ou certidão de nascimento, CPF e carteira vacinal.

Leia Também:  Ação conjunta prende suspeito e recupera R$ 60 mil subtraídos em roubo a residência em Barra do Garças

A Secretaria de Saúde reforça que a aplicação da vacina contra a Covid-19 em crianças foi autorizada em 15 de dezembro do ano passado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e liberada, pelo Ministério da Saúde, no último dia 5 de janeiro.

A vacina será da marca Pfizer, com dosagem menor do que a utilizada em maiores de 12 anos, sendo 1/3 em relação à outra formulação. Além disso, os frascos terão a tampa da cor laranja para diferenciar das doses já usadas em outras faixas etárias.

A segunda dose para crianças de 5 a 11 anos deve ser aplicada 2 meses após a primeira dose.

A Anvisa recomendou que haja um tempo mínimo de 15 dias entre a aplicação da vacina contra a Covid e qualquer outra vacina do calendário infantil.

Mudança no esquema semanal de vacinação
Por causa do esquema de vacinação contra a Covid-19 em crianças, não haverá, a partir desta quinta-feira (20), aplicação de outras vacinas, Covid adulto ou vacinas de rotina, nos PSFs VII Jardim Primaveras e XIII Parque das Américas. Nessas unidades, haverá apenas a oferta das doses pediátricas da Pfizer.

Leia Também:  Lucas do Rio Verde começa a aplicar vacina contra a Covid-19 em crianças nesta quinta

Quem precisar tomar a 2ª dose da vacina da marca Janssen deverá se deslocar até os seguintes PSFs: I e II Rio Verde, IV Alvorada, V Pioneiro, VI Jardim das Palmeiras e XVII Vida Nova.

Comorbidades
A lista de comorbidades é definida pelo Ministério da Saúde:
• Insuficiência cardíaca
• Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
• Cardiopatia hipertensiva
• Síndromes coronarianas
• Valvopatias
• Miocardiopatias e pericardiopatias
• Doenças da aorta, grandes vasos e fístulas arteriovenosas
• Arritmias cardíacas
• Cardiopatias congênitas
• Próteses e implantes cardíacos
• Talassemia
• Síndrome de Down
• Diabetes mellitus
• Pneumopatias crônicas graves
• Hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3
• Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo
• Doença cerebrovascular
• Doença renal crônica
• Imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)
• Anemia falciforme
• Obesidade mórbida
• Cirrose hepática
• HIV

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA