Momento Cidades

Mato Grosso registra 134.555 casos e 3.693 óbitos por Covid-19

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quinta-feira (15.10), 134.555 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.693 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 691 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 134.555 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 15.000 estão em isolamento domiciliar e 115.259 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 197 internações em UTIs públicas e 218 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 49,25% para UTIs adulto e em 25% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (26.421), Rondonópolis (9.676), Várzea Grande (9.629), Sinop (6.171), Sorriso (6.034), Lucas do Rio Verde (5.792), Tangará da Serra (5.397), Primavera do Leste (4.616), Cáceres (3.310) e Campo Novo do Parecis (2.832).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 108.112 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 468 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última terça-feira (13), o Governo Federal confirmou o total de 5.140.863 casos da Covid-19 no Brasil e 151.747 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 150.998 óbitos e 5.113.628 confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de quinta-feira (15).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

DOWNLOAD 

  1. Painel Epidemiológico 221
Fonte: AMM

Leia Também:  Municípios podem aderir ao programa Tempo de Aprender do Ministério da Educação
Propaganda

Momento Cidades

Municípios podem aderir ao programa Tempo de Aprender do Ministério da Educação

Publicados

em


Os estados e municípios têm até esta sexta-feira, 30 de outubro,  para manifestar interesse em aderir ao programa Tempo de Aprender, do Ministério da Educação (MEC). A adesão pode ser realizada pelo site alfabetizacao.mec.gov.br. Os secretários e dirigentes de educação devem preencher um formulário com informações, como CPF e e-mail. A iniciativa é voltada para o aperfeiçoamento de professores e gestores escolares do último ano da pré-escola e do 1º e 2º anos do ensino fundamental.

Quase 4 mil estados e municípios já aderiram ao Tempo de Aprender, lançado no dia 18 de fevereiro pela Secretaria de Alfabetização (Sealf), do MEC. Construído com base na Política Nacional de Alfabetização, o programa é direcionado à aplicação de práticas baseadas em evidências científicas nacionais e estrangeiras.

O Tempo de Aprender é um programa cujo propósito é enfrentar as principais causas das deficiências da alfabetização no país. Entre elas, destacam-se: déficit na formação pedagógica e gerencial de docentes e gestores; falta de materiais e de recursos estruturados para alunos e professores; deficiências no acompanhamento da evolução dos alunos; e baixo incentivo ao desempenho de professores alfabetizadores e de gestores educacionais.

Leia Também:  STF forma maioria em debate sobre dispensa de licitação para contratação de advogados por Entes públicos

Com o objetivo de melhorar a qualidade da alfabetização, o programa Tempo de Aprender propõe ações estruturadas em quatro eixos:

Eixo 1: Formação continuada de profissionais da alfabetização
Eixo 2: Apoio pedagógico para a alfabetização
Eixo 3: Aprimoramento das avaliações da alfabetização
Eixo 4: Valorização dos profissionais de alfabetização

A Sealf promoveu diversas reuniões por meio de um Grupo de Trabalho no qual participaram a Undime e o Consed, como representantes dos gestores municipais e estaduais da educação. O grupo discutiu amplamente a elaboração de normativos para o programa bem como contribuiu e ainda tem contribuído com o processo.

Curso de formação continuada

 Além da adesão ao programa Tempo de Aprender, que deve ser realizado pelos secretários de Educação, está disponível pelo AvaMEC o curso de formação continuada em práticas de alfabetização. Destinado principalmente a professores, coordenadores pedagógicos, diretores escolares e assistentes de alfabetização, o curso é gratuito e tem duração de 30 horas. Para saber mais acesse: http://alfabetizacao.mec.gov.br/professor-clique-aqui-para-acessar-o-curso-de-formacao-continuada 

 

Fonte: AMM

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA