Momento Cidades

Presidente da AMM demonstra indignação com a CPI do Senado para investigar prefeitos

Publicados

em


O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios- AMM, Neurilan Fraga, manifestou estar indignado com o anúncio da criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI pelo Senado Federal para investigar governadores e prefeitos, a pedido do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Fraga questionou a legitimidade da iniciativa, que originalmente tinha o objetivo de apurar atos do governo federal na pandemia.  “Como podemos ter no Senado Federal, senadores que se prestam a esse tipo de serviço? Desse limão eles teriam que fazer uma limonada, criando uma outra CPI que investigasse os governadores e os prefeitos como forma de tirar o foco e enfraquecer a CPI da Covid?”, indagou.

Ele argumenta que se alguns governadores ou prefeitos cometeram crimes na utilização dos recursos públicos destinados ao combate à pandemia, caberá às Assembleias Legislativas e às Câmaras Municipais promoverem a fiscalização e até mesmo a instalação de CPIs, se o caso requerer esse tipo de investigação. “Além do mais, há órgãos de controle e fiscalização nas esferas municipal, estadual e federal”, assinalou, destacando que  os vereadores, os promotores de justiça, os deputados estaduais, os Tribunais de Contas dos Estados e da União, e a própria população, através dos diversos conselhos municipais, estão muitos atentos e acompanhado as gestões públicas nas suas diferentes esferas.

Neurilan ressalta que o que mais chama a atenção é que muitos senadores que assinaram o pedido de abertura da CPI utilizaram as redes sociais e a imprensa, na semana passada, para afirmar que não assinariam e que eram contrários à criação da comissão para investigar o governo federal na sua suposta omissão no combate à pandemia. “Muitos alegaram ser um momento impróprio, pois a investigação poderia ser usada com viés político. No entanto, num estalar de dedos, esses mesmos senadores, a pedido do governo federal, assinaram a criação de uma outra CPI para investigar governadores e prefeitos. A CPI para apurar responsabilidades do presidente da República era inoportuna, mas para investigar governadores e prefeitos é conveniente”, lamenta o presidente da AMM.  

Neurilan Fraga afirma que os prefeitos estão tranquilos com relação à aplicação dos recursos destinados ao combate à pandemia.  Ele frisa que todos os recursos recebidos de combate à covid-19 foram utilizados de forma lícita e nas finalidades pré-destinadas, “inclusive com a criação de um programa específico, onde a AMM deu todo o suporte técnico e contábil para evitar que algum prefeito pudesse cometer falhas ou mesmo erros administrativos”, explicou.

Fonte: AMM

Leia Também:  Secretaria de Cultura de Cuiabá realiza 'grito de Carnaval' no Beco do Candeeiro; blocos apresentam fantasias e enredos
Propaganda

SORRISO

Peixes inspecionados: Vigilância Sanitária de Sorriso emite recomendação para a compra de pescados

Publicados

em

Conforme o coordenador de Vigilância Sanitária do Município, Samuel Santos, a orientação é para que as pessoas comprem sempre peixes inspecionados. “A doença da “urina preta” está relacionada ao consumo de pescados e crustáceos cuja a origem, transporte ou armazenamento sejam desconhecidos”, diz.

Samuel ressalta que entre as espécies que podem apresentar a doença estão o tambaqui, arabaiana, conhecido como olho de boi, badejo ou crustáceos contaminados por uma toxina que pode causar rigidez no corpo. Entre os sintomas também estão dores fortes, dificuldade para respirar e a urina escura – que popularmente dá nome à enfermidade. “De modo geral, essa toxina causa uma necrose nos músculos”, destaca Samuel.

Por isso, a recomendação da equipe da Vigilância Sanitária é adquirir esses produtos só em locais com garantia de origem com registro em órgão competente com que tenha o Selo de Inspeção Federal (SIF); Serviço de Inspeção Sanitária Estadual (SISE); Serviço de Inspeção Municipal (SIM) ou no Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (SUSAF).

Leia Também:  Cuiabá: Em parceria com associação de moradores, Vigilância em Zoonoses realiza campanha de vacinação antirrábica no Residencial Marechal Cândido Rondon

Até o momento, cinco estados brasileiros já registraram casos neste ano: Amazonas, com 61 casos, Bahia (13), Ceará (9) e Pará (6). Também foi relatado um óbito suspeito ainda em março em Pernambuco e dois em setembro, um no Pará e outro no Amazonas.

“Não há nenhum registro no Mato Grosso, mas independente disso, o ideal é observar sempre a validade do produto, aparência, cheiro e práticas de higiene do estabelecimento para uma compra segura seja de pescado ou de quaisquer outros produtos”, finaliza Samuel.

 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA