SORRISO

Secretaria de Saúde de Sorriso realiza terceiro dia D da vacina antirrábica no próximo sábado, 30

Publicados

em

 

Conforme o coordenador de Vigilância Ambiental, Júnior Antônio de Barros, também haverão vacinadores disponíveis para ir até a casa dos moradores imunizar. Para isso, a solicitação deverá ser feita no próprio sábado em um dos pontos de vacinação. “Não é preciso realizar agendamento durante a semana, é só ir no sábado a um dos pontos e solicitar a imunização na residência”, salienta.

Júnior pontua ainda que podem e devem ser imunizados pets acima de quatro meses que estejam bem no dia da vacinação. Já para fêmeas gestantes na data não é recomendada a imunização.

O coordenador lembra que é importante que quem levar o animal para a imunização tenha mais de 18 anos e domínio sobre o pet. “Pedimos que compareçam de máscara e mantenham a distância recomendada”, frisa. Ele explica que quem tiver a carteirinha de vacinação do animal pode levar, quem não tiver, o documento será confeccionado na hora.

No Município, a campanha de vacinação antirrábica teve início ainda em 16 de agosto. Nesse ano, a imunização teve início pelas áreas rurais. A estimativa geral do Município é aplicar a picadinha do bem em 15.323 animais; divididos em 13.302 cães e 2.021 gatos.

Leia Também:  Prefeitura de Lucas abre licitação para aquisição de postes de concreto e luminárias

 

SORRISO

Com apoio da Prefeitura de Sorriso, bairro Santa Clara fará mobilização para falar de dengue

Publicados

em

De acordo com a presidente do bairro, Paula Cristina Barbosa Gonçalves, o bairro conta com muitos terrenos baldios e a meta é lembrar a todos os moradores que todos devem ser compromissados com a limpeza. “Precisamos nos lembrar de fazer a nossa parte e incentivar o outro a também fazer o que é correto; a intenção é mostrar que todos precisam estar inseridos no processo e comprometidos com a saúde do outro”, diz a presidente.

Paula aproveita para lembrar que o cuidado não pode estar relacionado somente aos meses chuvosos. “O mosquito está presente o ano todo e nosso compromisso é combatê-lo diariamente”, frisa. Conforme Paula, cerca de seis mil pessoas residem nos bairros Santa Clara I e II, “além disso a unidade III está em implantação”, pontua.

A coordenadora do Departamento de Vigilância em Saúde, Taynná Vacaro, destaca que no último ciclo o bairro apresentava um índice larvário de 1,22%. “Contudo, esse índice é do período anterior ao início das chuvas; o próximo ciclo encerra somente no fim de dezembro, então o ideal é todos os moradores, independente de bairro, observar seus quinais e eliminar possíveis criadouros e a proliferação do mosquito”, aponta.

Como evitar os criadouros

Entre os principais pontos com larvas estão as plantas. “Registramos muitas larvas em vasos de flores”, alerta Taynná. Por isso, a equipe solicita que os moradores mantenham os pratos de vasos de flores com areia. “E verifiquem qualquer recipiente, grande ou pequeno, que possa acumular líquido”, lembra.

Leia Também:  Exposição "Cores e Formas" é lançada no Paço Municipal de Sorriso

Em condições ambientais favoráveis, após a eclosão do ovo, o desenvolvimento do mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias. Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana: assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido.

O secretário de Saúde, Luís Fábio Marchioro, reforça que toda a população precisa estar atenta e manter quintais, calhas e terrenos baldios limpos, evitando criadouros não só de Aedes, mas de vários outros espécimes peçonhentos. “O ideal é que cada bairro se organize, assim como o Santa Clara em ações e trabalho de conscientização; isso reforça o trabalho diário feito pela nossa equipe. Também quero deixar claro que estamos à disposição de todos os bairros para a realização de mobilizações como essa”, diz.

Hoje, 35 agentes de combate a endemias atuam no Departamento de Vigilância, 31 deles diretamente à campo. “Mas lembramos a todos que cada um é responsável pelo seu lar; então é essencial que uma vez por semana verifiquem recipientes, calhas, plantas, cisternas, etc., e que toda a população nos auxilie não descartando lixo a céu aberto, pois muito desse lixo acaba entupindo bueiros e servindo como o criadouro ideal para todo tipo de mosquitos e de animais peçonhentos”, ressalta Luís Fábio.

Leia Também:  Em uma semana, Sorriso aplicou mais de 4,2 mil doses de vacinas em crianças e adolescentes

Uso de inseticida

Luís Fábio destaca que o Departamento de Vigilância Ambiental tem recebido várias solicitações dos moradores para a aplicação de inseticida devido à grande quantidade de mosquitos na área urbana do município. Porém, há critérios para a aplicação do inseticida. Geralmente, o produto é enviado pelo Ministério da Saúde e só pode ser aplicado quando há ou notificação de caso suspeito ou a confirmação de caso. Sem a notificação não há como aplicar o veneno, pois não haverá a reposição da quantia usada por parte do MS.

A coordenadora de Vigilância em Saúde, Taynná, aproveita para esclarecer que “o veneno mata apenas o mosquito que estiver voando; ele não elimina mosquitos pousados ou as larvas. Então, a melhor recomendação é a eliminação, mantendo tudo limpo”.

Taynná completa ainda que quando há confirmação de ou suspeitas de casos de dengue, o inseticida é imediatamente aplicado em todo o quarteirão do local de suspeita ou confirmação.

 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA