Momento Curiosidades

Espécie de “lula alienígena” é encontrada nos EUA; confira

Publicados

em


source
Lula alienígena
Reprodução/Youtube

Espécie estava nadando perto de barco nos EUA.

Um homem que estava inspecionando um barco na Flórida, nos Estados Unidos , encontrou uma espécie de lula que, segundo ele, teria uma aparência “alienígena”. Um registro do animal foi postado no Youtube e viralizou.

No vídeo, é possível ver o homem segurando o animal, que cabe na palma de sua mão. A principal característica da espécie é o seu corpo transparente com vários pontinhos coloridos ao longo dele. Confira o registro:

O animal foi encontrado nas proximidades da embarcação depois de uma noite de chuvas. O homem, que não se identificou disse acreditar que o animal teria caído de um dos ninhos de águia que estavam na região.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Homem encontra cobra dentro da calça e fica de cueca por sete horas; assista
Propaganda

Momento Curiosidades

Pesquisadores descobrem fungo que transforma cigarras em “zumbis”

Publicados

em


source
Cigarra
Pixabay

Fungo consome parte do corpo das cigarras.

Um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos descobriram que uma população de cigarras está sendo infectada por um fungo parasita que as controlas e faz com que infectem outras espécies. Os grupos infectados foram apelidadas de “cigarras zumbis”.

Elas foram infectadas e estão sob influência do Massospora, um fungo com substâncias químicas similares às encontradas em cogumelos alucinógenos. Depois de infectar o hospedeiro, o fungo corre os órgãos genitais, a bunda e o abdômen das cigarras. Eles são subsistuídos por esporos que transmitem o fungo.

As cigarras infectadas pelo fungo foram descobertas em junho deste ano por pesquisadores da Universidade de West Virginia. Ao todo, foram encontradas três populações diferentes que entraram em contato com o fungo.

Leia Também:  Homem encontra cobra dentro da calça e fica de cueca por sete horas; assista

Entretanto, como as cigarras tem ciclos de vida de até 17 anos, mas vivem no subsolo por mais de uma década, os pesquisadores acreditam que será difícil estudar como o fungo age nos animais.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA