Momento Destaque

Agentes penitenciários de MT começam a retomar atividades gradativamente após paralisação que durou três dias

Publicados

em

As atividades suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus, que causa a Covid-19, começaram a ser retomadas de forma gradativa no sistema penitenciário, em Mato Grosso.

Entre as liberações, estão trabalhos intra e extramuros, participação em audiências do Tribunal do Júri, realização de escoltas interestaduais, realização de cursos profissionalizantes e atendimento presencial da Defensoria Pública e advogados, quando não for possível a realização de videoconferências, em algumas unidades penais.

As visitas presenciais de familiares seguem suspensas, assim como a realização de atividades de assistência religiosa e capelania, projetos sociais e demais atividades que requeiram acesso de pessoas externas, como a realização de cursos educacionais e profissionalizantes externos.

A retomada gradativa das atividades foi regulamentada por nota técnica orientativa, publicada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). A regra passou a valer no último dia.

Desta forma, os gestores das unidades penais já podem liberar a saída de pessoas privadas de liberdade para participação em audiências do Tribunal do Júri, seguindo o protocolo de saúde estabelecido no plano de contingenciamento; autorizar a realização de escolas interestaduais, seguindo o protocolo; autorizar entrada de materiais listados na nota por familiares, em dias e horários pré-determinados.

Leia Também:  Indio que matou com requintes de crueldade um funcionário da FUNAI em Água Boa MT há 20 anos é preso pela Polícia Federal em Barra do Garças

Quanto às atividades laborais, está autorizada a saída das celas para trabalho interno, desde que com uso de máscara de proteção, aferição de temperatura, não manifestação de sintomas gripais, e não estar no grupo considerado de risco, entre outros. Já as aulas na modalidade a distância (semipresencial e 100% online) também podem ser retomadas, condicionadas às seguintes medidas preventivas.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria)

Momento Destaque

Polícia tenta localizar e prender bandidos de facção criminosa que sequestraram, amarraram, torturaram e mataram no “salve” jovem de 20 anos

Publicados

em

Um jovem de 20 anos foi sequestrado, torturado, colocado de joelho e executado com vários tiros.

 Um amigo dele, que tem 21 anos e também foi alvo dos bandidos, conseguiu se salvar ao se jogar em um rio e ser levado pela correnteza.

Os crimes, segundo a Polícia Militar, aconteceram no início da noite desa quinta-feira (21), no Distrito de Boa Esperança do Norte, na zona rural da cidade de Sorriso, em Mato Grosso.

A Polícia Civil fez a liberação do corpo do jovem, que foi morto como muitos tiros. Também investiga se a vítima e o amigo dele são integrantes de uma facção criminosa.

O rapaz que escapou da execução contou à PM que, na noite de quarta-feira (20), saiu com seu amigo para encontrar uma mulher. Ao chegarem em um local com pouca iluminação, foram abordados por três homens: foram imobilizados, amordaçados e levados até uma casa desconhecida.

No local, segundo ele, ss dois foram torturados com chutes, socos  e ameaçados. s criminosos passavam a faca em seus dedos e em suas orelhas falando que iriam arranco-las.

Leia Também:  Investimentos de R$ 9,9 mi em maquinário e equipamentos contempla pequenos produtores de 83 municípios de MT

A suspeita é de que os dois rapazes seriam integrantes de uma organização criminosa rival. A agressão continuou com chutes nas costelas e nos rostos.

No dia seguinte (horário não revelado), os dois jovens foram levados, com os olhos vendados e amordaçados, para um lugar conhecido como Salto Magessi.

Antes de levar muitos tiros, o jovem executado foi levado aos empurrões até uma pedra, colocado de joelhos e, em seguida, começou a levar tiros na cabeça.

O jovem que escapou da morte contou ainda a PM e à Polícia Civil que viu, por baixo da venda que estava em seus olhos, quando um matador segurou seu amigo e o outro disparou, jogando-o nas águas do rio em seguida.

Logo em seguida, os criminosos pegaram o outro jovem e levaram no mesmo lugar onde executaram o primeiro.

Porém, ao chegar perto da margem do rio ele se jogou na água e foi levado pela correnteza.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com DC)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA