Momento Destaque

Agricultora muda sua realidade com produção de hortifrutigranjeiro após assistência técnica da Empaer

Publicados

em

Com uma área de 3.025 metros quadrados e assistência técnica da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), a produtora rural Nelsa Souza da Costa, 60 anos, vive uma nova realidade e com boas expectativas. Depois de cinco meses sendo assistida por um técnico agropecuário, hoje ela produz alface americana e crespa, pimentão, abacaxi, pepino, quiabo, moranguinho, beterraba,  almeirão, rúcula, couve, cebolinha, tomatinho, mandioca, abóbora e batata doce, além de uma pequena criação de porcos e galinhas.

Nelza viveu de favores por três anos, sua renda era das diárias do marido. No segundo semestre de 2020, ela e 29 famílias foram contemplados com a doação de chácaras localizadas no setor Castanheira pela Prefeitura de Paranaíta.

Uma nova realidade começava surgir para a futura agricultora, porém, não tinha prática nem conhecimento. “Só tinha a boa vontade. Depois de buscar ajuda, soube que a Empaer realizava esse trabalho e, assim que busquei, fui atendida. Desde então, só tenho colhido alegria”, destaca.

Atualmente, sua produção de hortifrutigranjeiro é fornecida para uma rede de supermercado e a Cooperativa dos Produtores de Paranaíta (Coopervila). Ainda com a orientação técnica, foi montado uma proposta para a participação do pregão junto à agricultura familiar do município, por meio de chamamento público. Dona Nelza venceu e o valor para fornecer produtos hortifrutigranjeiro no valor de R$ 19.983,50 até 30 de dezembro deste ano.

Leia Também:  Governo dará desconto no IPVA para participantes do Programa Nota MT

 “Ver minha horta crescendo e tirando dela meu sustento não tem nada que pague essa sensação. Vivi por anos sem um teto. Hoje tenho casa, uma terra que planto e o que estou colhendo, pago minhas contas. Este mês paguei as despesas e, de renda, sobrou um dinheirinho que vou investir em melhorias”.

O técnico agropecuário Eder José Barreiros, explica a importância do aproveitamento dos espaços e saber e o que se produzir. “Dona Nelza soube definir bem o seu espaço. Nossa orientação apenas definiu o tipo de cultura e o limite entre elas, com foco na produção para gerar renda”.

Eder destaca que o objetivo é ampliar o atendimento para os outros moradores que tiveram a mesma sorte de dona Nelza e foram  contemplados com um pedaço de terra. “Estamos à disposição para orientar no que for possível. Precisamos fomentar a agricultar familiar e estimular os pequenos agricultores a produzir e fazer a moeda circular na comunidade. Todos ganham no final”.

Dona Nelza orgulhosa e feliz com sua nova vida no campo                                        Foto: Empaer

Leia Também:  Sema reforça importância de trabalho conjunto no combate a incêndios no Pantanal
Fonte: GOV MT

Momento Destaque

Sema reforça importância de trabalho conjunto no combate a incêndios no Pantanal

Publicados

em

Após um ano de trabalho para prevenir e combater os incêndios no Pantanal, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e o Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT) apresentaram as ações estaduais no encontro “A preservação do Pantanal é da nossa CONTA – Conjugação de esforços necessários para o seu enfrentamento”.

O evento promovido pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso nesta terça-feira (30), no Hotel Pantanal, em Poconé, reuniu autoridades, especialistas e comunidade pantaneira. Conforme a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, as ações conjuntas com o grande investimento do Estado, e ampla participação da sociedade, possibilitaram uma redução de 93% nos focos de calor no Pantanal em comparação com o ano passado e, com isso, perservar o bioma.

“É muito importante o engajamento de todos os atores que de algum modo interagem com a agenda ambiental. Meio ambiente não é só poder público, nem o privado, órgãos de controle, judiciário, e sim todos nós. Nós vivemos a agenda ambiental todos os dias, por isso encontros como este mostram a participação de cada um nos resultados positivos que tivemos em 2021”, afirma a secretária.

Leia Também:  Forças de segurança iniciam operações de fim de ano em Lucas do Rio Verde

O comandante-geral do CBM, o coronel BM Alessandro Borges Ferreira, ressaltou que o trabalho é feito de forma integrada com a sociedade, pensando na preservação da natureza.

“Em 2021 conseguimos nos estruturar e organizar mais, com viaturas, com a união de todos os atores, um apoio muito grande das instituições e dos pantaneiros. Não atuamos só no Pantanal, também na Amazônia e no Cerrado. Abrimos uma unidade em Poconé e uma em Santo Antônio, justamente para estar mais próximos do problema e poder monitorar de perto por 24 horas”, avalia.

Para o presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso, o conselheiro Guilherme Antonio Maluf, o trabalho do Comitê Interno de Gestão Ambiental (CIGA) é uma iniciativa para inserir o TCE nas discussões sobre o meio ambiente. A partir do ano que vem, haverá uma relatoria específica do meio ambiente no órgão fiscalizador.

“Ou Mato Grosso cuida do seu meio ambiente, ou todas as outras atividades sofrerão com a desvalorização. Precisamos fazer nosso pantanal dar novos passos, tornando-se mais produtivo, com atrações turísticas e outras ações que possam trazer investimentos e empregos, mas de forma sustentável, sem trazer danos ao meio ambiente”.

Leia Também:  Sema reforça importância de trabalho conjunto no combate a incêndios no Pantanal

A preservação do Pantanal é da nossa CONTA

O objetivo do encontro foi mobilizar diferentes instituições e firmar um compromisso mútuo na preservação do Pantanal frente às propostas apresentadas no Estatuto do Pantanal, desenvolver uma atuação colaborativa, colocando o TCE-MT à disposição dos demais Poderes e órgãos envolvidos e principalmente buscando o alinhamento de soluções conjuntas e harmônicas.

Fonte: GOV MT

 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA