Momento Destaque

Ainda perplexo com o ocorrido primo de menor morta com tiro na cabeça no Alphafille diz que adolescente não tinha conflito com ninguem

Publicados

em

Um dos primos da adolescente Isabele Guimarães Ramos, 14 anos(foto), morta com um tiro na cabeça  dentro de uma casa no condomínio Alphaville, em Cuiabá, no dia 12 de julho, afirma em entgrevista que a menina não tinha conflito com ninguem.

Visivelmente abalado e muito emocionado, o estudante identificado como Erick, que preferiu não mostrar o rosto, diz que Isabele tinha o sonho de seguir a carreira médica. Ele ainda lembrou almoçou com ela e mais amigos um dia antes da tragédia. Na visão dele, o evento teria sido uma verdadeira despedida, pois ela estava muito alegre, sorridente e carinhosa.

“Ela fez uma mesa cheia de velas. E estava muito alegre aquele dia. Ela era assim todos os dias, mas naquele momento era diferente. Ela até pediu para eu ficar um pouco mais, porém eu tive que sair com minha tia. Talvez se eu ficasse, poderia ter tido mais tempo com ela. Mas sou grato por tudo que vivi com ela”, contou.

Segundo Erick, Isabele, ou ‘Bel’, como era chamada pelos amigos, era uma menina super extrovertida e cheia de sonhos. O primeiro dela é seguir os caminhos do pai, que era médico e morreu em um acidente com moto na Estrada da Chapada.

Leia Também:  100 dias de seca, baixa umidade do ar e concentração de material orgânico, são responsáveis pelas queimadas no Pantanal, afirma Mauro Mendes

“Nesse almoço ela contou nada demais. Não tinha conflito com ninguém. Ela falou da vida pessoal. Ela falou de sonhos, de seguir carreira médica como o pai dela e também de possivelmente ser uma designer de modas em Paris. Sempre sonhou alto. Nunca foi vazia de sonhos. Vai ser muito triste um futuro sem ela entre nós”.

Um dia após o almoço, o estudante recebeu a notícia que dificilmente irá se esquecer. O momento de desespero também foi relatado por Erick, que mesmo não morando no condomínio de Isabele, foi avisado pela mãe e percebeu que todos na casa já estavam em total estado de choque. Erick chegou a pensar que sua prima talvez tivesse apenas se ferido.

“Eu estava no meu quarto. Fui avisado por minha mãe, totalmente desesperada. Eu ouvi gritos e o povo falando arma de fogo, acidente. Eu fiquei confuso na hora. Minha mãe me explicou a situação dizendo que Isabele foi ferida com arma de fogo. Eu queria só pensar o melhor. Pensar que ela foi apenas ferida. Mas depois percebemos que ela tinha morrido.  E nós nem nos despedimos dela”, disse.

Leia Também:  Em "A Fazenda", Biel volta a falar de Duda: "Procuro ela em todas as meninas"

“A única gratidão desse caso é que eu pude contar e estar com ela tão recentemente, né? Fazendo um almoço. Ela fez torta, ela fez comida. Ela queria muito seguir fazendo esse hábito de agradar os outros, e fazendo eventos para reunir os familiares”, comentou o primo.

“Depois de receber a denúncia fomos ao condomínio Alphaville. Foi uma comoção geral por lá. Vários membros de nossa família estavam lá. Tinha ambulância, polícia e IML. Quando eu vi todos os carros, eu vi que de fato ela tinha morrido. Eu não queria aceitar, mas quando vi aquilo tudo, não teve jeito”, lembrou.

Segundo Erick, o fato atraiu muitos curiosos. “Tinha muita gente querendo saber o que tinha acontecido. Era muita gente mesmo. O corpo da Isabele estava lá na casa ainda quando eu cheguei. Eu apenas vi o corpo dela sendo levado pelo carro do IML. Uma cena que jamais vou esquecer”, relatou.

 

Otavio Ventureli(com olhardireto.)

Momento Destaque

Abatido, Governador Mauro Mendes fala sobre a estrondosa vaia que recebeu em discurso durante visita do Presidente Bolsonaro à Sinop MT e Sorriso MT

Publicados

em

Abatido, o Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes(foto), falou nesta sexta-feira(18) sobre as estrondosas vaias que recebeu em Sinop MT e Sorriso MT, durante a visita do Presidente Jair Bolsonaro à Região.

O chefe de Estado afirmou que ter 30 pessoas o vaiando não muda nada em sua conduta. Além disso, o Mendes disse ainda que em meio  às vaias tinham muitos servidores públicos e cidadãos comum, o que se torna natural na visão dele, uma vez que, ele não tem intenção de agradar a todos os mato-grossenses. Vaia sempre foi um tormento para políticos.

“Não tenho a pretensão de agradar 100% dos mato-grossenses. Quem toma a decisão correta agrada alguns, mas desagrada outros. As minhas decisões sempre foram para a maioria. Quando se toma decisões para a maioria, desagrada uma minoria. Não se conserta um estado quebrado como estava Mato Grosso fazendo média”, desabafou Mendes.

Mauro Mendes destacou durante discurso que foi preciso tomar algumas decisões rígidas contra ruralistas, entre outras áreas, e que, muitos deles estavam hoje na frente do palanque o aplaudindo e afirmou que haviam servidores público no meio que o vaiaram. “Tive que tomar decisões duras contra os produtores, comércio e indústria. Hoje, os produtores que estavam na frente me aplaudiram o tempo todo. É obvio que no meio tinha muitos servidores, cidadãos comuns. Isso é natural. Gestão se faz para maioria. Se desagrada alguns, tem o direito de se manifestar”, disse.

Leia Também:  Em Sinop: Presidente Bolsonaro passa esta manhã de sexta(18) visitando Sorriso e Sinop onde vai a INPASA e lança a safra de grãos 2020/2021

O governador justificou o protesto em Sinop e Sorriso dizendo que a população está revoltada por conta das medidas tomadas por ele nos últimos dias. “As pessoas estão vaiando pois tive que tomar medidas duras. Ter 30 pessoas me vaiando não muda em nada a minha conduta. Isso não me irritar”, concluiu.

Visita de Bolsonaro a MT

Em sua passagem pelo Mato Grosso nesta sexta (17), o presidente Jair Bolsonaro, ntregou títulos rurais e participou do lançamento da safra de soja 2020/2021.

Em discurso, Bolsonaro minimizou a dimensão das queimadas  que assolam os três biomas de Mato Grosso, atingindo quase 20% do Pantanal e que avança no Cerrado e na Amazônia. Em outro momento, voltou a fazer comentários polêmicos sobre a pandemia da Covid-19 e considerou “conversinha mole” o isolamento social ao destacar o setor do agronegócio por “não ter parado”. Ele parabenizou o Estado por não cumprir o isolamento social.

“Vocês não pararam durante a pandemia, vocês não entraram naquela conversinha mole de ‘fica em casa e a economia a gente vê depois’, isso é para os fracos. O vírus, eu sempre falei, era uma realidade e que tínhamos que enfrentá-lo perante aquilo que não podemos fugir”, disparou.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA