Momento Destaque

Enxugando gelo: Polícia cumpre seu dever constitucional de prender bandidos e “Justiça” solta traficante de mulheres preso em Operação

Publicados

em

O traficante internacional de mulheres de Rondonópolis MT(foto de sua residência), R.A.G., preso na Operação Harem BR da Polícia Federal em 27 de abril, foi solto dois dias depois pela 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Por unanimidade, foi concedido o habeas corpus com o argumento de que não há elementos de que o empresário ameace as investigações.

R. foi preso pela Polícia Federal em Rondonópolis. Ele é acusado de participar de um esquema de tráfico de mulher internacional. O grupo aliciava as mulheres e falsificava documentos para que elas pudessem imigrar para outros países e fazer programas sexuais.

Para o relator do caso, o desembargador Paulo Fontes, apesar de ter sido comprovada a participação no empresário no esquema, “não foram apontados pela autoridade coatora elementos concretos que indiquem a necessidade de segregação cautelar do paciente”.

A soltura ocorreu mesmo com o pedido de prisão cautelar, tendo em vista que R. e os outros investigados “têm efetivo poder de coação sobre as vítimas e, desta forma, poderão pressioná-las para que alterem a verdade dos fatos”.

Leia Também:  Maldade: Bandido manda mecânico se ajoelhar e mata vítima com tiros a queima-roupa; funcionários e clientes do local correram

A 5ª Turma do TRF-3 determinou que R.A.G. cumpra medidas cautelares como se apresentar à Justiça em todos os atos do processo, recolhimento domiciliar no período noturno e dias de folga e proibição de sair do país.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessorias)

Momento Destaque

Secretaria de Saúde do Estado emite alerta para 60 municipios incluindo Lucas do Rio Verde MT para o aumento de casos de tuberculose

Publicados

em

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), por meio da Vigilância Epidemiológica Estadual, emitiu alerta a 60 municípios para o aumento de casos de tuberculose em crianças de 0 a 9 anos.

A tuberculose é uma doença de notificação compulsória ao Estado, que é diagnosticada e tratada inicialmente pela Atenção Primária dos municípios.

O alerta aponta que foram notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) um número elevado de 331 crianças com tuberculose, no período de 2015 a 2020, nos municípios de:

Água Boa, Alta Floresta, Alto Araguaia, Alto Paraguai, Alto Boa Vista, Araputanga, Apiacás, Arenápolis, Barão de Melgaço, Barra do Bugres, Barra do Garças, Bom Jesus do Araguaia, Brasnorte, Cáceres, Campinápolis, Campo Novo do Parecis, Canarana, Castanheira, Cocalinho, Colíder, Comodoro, Confresa, Cuiabá, Diamantino, Feliz Natal, Guarantã do Norte, Jaciara, Jangada, Jauru, Juara, Juína, Juscimeira, Lucas do Rio Verde, Marcelândia, Matupá, Nova Canaã do Norte,  Nova Nazaré, Novo Horizonte do Norte, Novo Mundo, Peixoto de Azevedo, Pedra Preta, Pontes e Lacerda, Porto Espiridião, Primavera do Leste, Porto Estrela, Querência, Rio Cascalheira, Rondonópolis, Rosário Oeste, Santo Antônio do Leste, Santo Antônio do Leverger, São José do Rio Claro, São Félix do Araguaia, São José do Xingu, São José dos Quatro Marcos, Santa Terezinha, Sapezal, Sinop, Sorriso,  Tangará da Serra e Várzea Grande.

Leia Também:  Familia pede a Justiça arresto de 25 imóveis de Marcelo Cestari pai da atiradora que matou Isabele no residencial Alphaville em Cuiabá

De acordo com o alertaas as causas prováveis para o aumento de casos em crianças podem ser a descontinuidade das ações de rotina como busca ativa de casos; identificação precoce e exame de Sintomático Respiratório (SR); não realização de Tratamento Diretamente Observado (TDO); falta de priorização das ações de controle da tuberculose e baixa realização de exames de contatos para os casos já notificados.

“Alertamos os profissionais de saúde para redobrarem a atenção no diagnóstico e tratamento da tuberculose, pois esse aumento de casos entre crianças pode representar o descontrole da doença, já que onde se identifica criança doente significa que ela foi infectada por um adulto doente sem tratamento”, destaca a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da SES-MT, Márcia Aurélia Esser Veloso.

Entre as orientações da SES, para que os municípios enfrentem essa situação, está: monitorar no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) os contatos de casos confirmados e se os mesmos já foram avaliados; mapear as unidades de saúde que registraram os casos entre crianças para desenvolver atividades de busca ativa, além de criar estratégia para mitigar o número de casos e realizar tratamento diretamente observado para todos os casos confirmados de tuberculose.

Leia Também:  Governo de Mato Grosso distribui nesta sexta 3 mil cartões do Programa Ser Família Emergencial em vários municipios da região leste do Estado

Sobre a doença

A tuberculose é infecciosa e transmissível entre seres humanos através da tosse ou espirro de pessoas com tuberculose ativa, que lançam partículas em formas de aerossóis que contém bacilos. É uma doença que pode ser prevenida e curada, mas ainda prevalece em condições de pobreza e contribui para perpetuação da desigualdade social.

Entre os principais sintomas estão: dores no peito, tosse com mais de 3 semanas, falta de ar, perda de peso e cansaço excessivo, febre baixa (principalmente durante a noite), sudorese noturna e perda de apetite.

Os medicamentos utilizados para o tratamento da doença são fornecidos aos 16 Escritórios Regionais de Saúde (ERS), ligados à SES, que realizam a distribuição aos municípios de abrangência territorial.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA