Momento Destaque

Juíza de MT condena torturadores há mais de 7 anos de cadeia e ao mesmo tempo concede direitos aos criminosos que estão em liberdade.

Publicados

em

Foram condenados, na quarta-feira (14), os torturadores do mêcanico João Paulo. Gustavo Henrique Nilson Albues e Jhony Marlon Camargo de Souza eram réus pela prática de tortura e roubo circunstanciado.

Eles foram condenados a 7 anos e 8 meses de reclusão, entretanto, a juíza Anna Paula Gomes de Freitas, da 2ª Vara Criminal de Tangará da Serra, deu a eles o direito de recorrer em liberdade.

O crime aconteceu em dezembro de 2020, no município de Tangará da Serra (244 km de Cuiabá) e foi motivado por uma dívida em dinheiro. Na ocasião os investigados foram até oficina onde a vítima trabalhava para cobrar o débito, por meio de violência física, verbal e tortura.

As autoridades tomaram conhecimento do crime dois dias depois após a divulgação de vídeo gravado por um dos investigados. Gustavo aparece na gravação agredindo a vítima e Jhony foi o autor da filmagem.

No dia 7 de dezembro a polícia representou pela decretação da prisão preventiva dos réus pelo crime de tortura, sendo deferida pela magistrada na mesma data. Com isso, os mandados de prisão foram cumpridos no dia 8 de dezembro.

Leia Também:  Equipe técnica comprova economicidade e viabilidade da implantação do BRT em Cuiabá e Várzea Grande

A juíza constatou a materialidade das infrações penais com base no boletim de ocorrência, relatório de investigação, termos de declarações prestados pela vítima, exame de corpo de delito, filmagem feita por um dos réus e juntada aos autos, termos de declarações de testemunhas, bem como, pelos depoimentos colhidos durante a instrução processual.

Além dos 7 anos e 8 meses de reclusão, os réus foram condenados a 28 dias-multa. A pena inicial deverá ser cumprida em regime semiaberto. Em consequência ao direito de recorrer em liberdade, a juíza determinou a expedição de alvará de soltura em favor dos réus. Eles só deverão continuar presos se houverem outros motivos para a reclusão.

“Achei que ia morrer”

Em entrevista à TV Cidade Verde, o mecânico João Paulo relatou que sentiu medo de morrer durante as agressões. “Em nenhum momento eu neguei a conta. Estava sem recurso para pagá-lo. Eu achei uma covardia muito grande o que ele fez comigo. Naquele momento, eu achei que ia morrer”, relatou.

“Minha vida só foi trabalhar. Eu nunca fui criminoso. Minha vida foi só trabalhar. Eu não tenho rancor. Eu acho que a justiça já foi feita. Eu coloco nas mãos de Deus. Deus decide o que faz. Por mim, eles  estão perdoados”, completou o mecânico.

Leia Também:  Encontro na residência de ex-Ministro Blairo Maggi sela acordo para lançamento da candidatura de Neri Geller ao Senado em 2022

No vídeo da agressão, Gustavo desfere socos, tapas e chegou a quebrar uma garrafa de vidro na cabeça do mecânico.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria)

Momento Destaque

Tiroteio e morte na noite deste domingo em Lucas do Rio Verde MT; Polícia caça criminosos que fugiram rapidamente em veículo de cor escura

Publicados

em

Uma pessoa (ainda não identificada) foi assassinada, agora a pouco, por volta das 20:45 hs, em frente a um estabelecimento comercial na avenida Rio Grande do Sul, no centro de Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso. Testemunhas relataram que o criminoso chegou e começou a atirar.

Um dos atingidos morreu ainda no local. Outra vítima foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para uma unidade médica. Em seguida, a unidade de resgate retornou e socorreu uma segunda vítima.

De acordo com testemunhas, o criminoso fugiu sentido prefeitura, em um veículo de cor escura. Neste momento, a Polícia Militar faz rondas para tentar prender algum suspeito.

Foi o segundo homicídio registrado, no final de semana, em Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso. Geraldo Soares da Silva, de 38 anos, foi morto durante a madrugada deste sábado(08)  na rua Angelim, no bairro Parque das Araras. A vítima estava em uma residência, quando o homicida chegou em uma motocicleta.

O  Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado, porém, ao chegar no local, constatou que Geraldo já estava morto. Ele ficou com a faca cravada no tórax.

Leia Também:  Tudo em casa: Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro sai em defesa de ex-Secretrário de mobilidade urbana investigado pelo GAECCO

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria policial))

 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA