Momento Destaque

100 dias de seca, baixa umidade do ar e concentração de material orgânico, são responsáveis pelas queimadas no Pantanal, afirma Mauro Mendes

Publicados

em

Seca de mais de 100 dias, baixa umidade e grande acúmulo de material orgânico são apontados pelo governador Mauro Mendes(foto) como a combinação perfeita para provocar uma das maiores queimadas no Pantanal de Mato Grosso.

“O que aconteceu neste ano é que não houve queimada no ano passado, acumulou. A grande última queimada foi há 14 anos, acumula muito material orgânico que seca nesse período e tem toda essa condição”, disse Mauro em entrevista à CNN nesta quarta (16).

Com 1.650 hectares atingidos pelo fogo o Pantanal é destaque nacional em devastação por queimadas. De janeiro a setembro, 34.558 focos de calor foram registrados por satélite no Estado. Os apontamentos são da plataforma BDQUEIMADAS.

O fogo já destruiu, mais de 92 mil hectares do Parque Estadual Encontro das Aguas  onde é registrada maior ocorrência de onças-pintadas no mundo, quanto à visibilidade. Na reserva, vivem cerca de 80 delas, agora acuadas pelas chamas.

O governador justifica que trata-se de uma tarefa complicada devido ao fato de muitos focos de incêndio serem em áreas de difícil acesso, o que dificulta o combate às chamas que consomem o bioma e castigam a fauna e a flora.

Leia Também:  Fluminense entra no G4 do Campeonato Brasileiro ao derrotar o Santos na tarde deste domingo no Maracanã pela 18ª rodada

“Estamos fazendo tudo que é possível, até no limite do impossível. Nós temos mobilizados agora, várias equipes do Corpo de Bombeiros, voluntários e brigadistas”, assevera. Detalha que são 40 equipes do Corpo de Bombeiros, sendo 2,5 mil homens ( alguns do exército).

O governador, que nesta quarta(16)  recebeu  os ministros Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional; e Tereza Cristina (Mapa), aposta em socorro do governo federal, mas ressalta que declarou estado de calamidade e está tomando medidas como o aluguel de aeronaves, pelos próximos 45 dias, e a compra de retardantes.

Justifica que a previsão é que as primeiras chuvas em 10 dias ocorram em 10 dias, mas que elas tendem a ser ineficientes, a princípio, por não ser tão intensas. “Tenho certeza que hoje vamos ter apoio, acreditamos que vai dar alguma ajuda e que será importante”, disse.

Questionado sobre a investigação das queimadas criminosas, Mauro volta a dizer que a secretaria estadual de Meio Ambiente aplicou R$ 100 milhões em multas e que tem analisado imagens, através de tecnologia, através do sistema Planet, capaz de recuperar imagens a cada 24h, para identificar aqueles que fazem um pequeno desmatamento e depois ateiam fogo.

Momento Destaque

Servidores do IFMT de Campos Novo do Parecis MT supostamente envolvidos em roubalheira e candidata a vereadora são afastados

Publicados

em

Os servidores do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) em Campo Novo dos Parecis MT, supostamente envolvidos em roubalheira que ainda está sendo  investigada pela Polícia Federal a partir da operação Circumitus, por desvios de recursos públicos, foram afastados das ativadades.

A instituição informou o afastamento nesta segunda-feira (26). Após a medida, um procedimento administrativo foi aberto para apurar o caso.

Conforme a Polícia Federal se trata de um esquema criminoso de fraudes e desvio de recursos públicos no instituto nas áreas da educação e infraestrutura. O valor desviado seria de aproximadamente R$ 4,8 milhões.

Além dos servidores, a candidata a vereadora pelo Municipio, Samila Dalva de Jesus Silva(em destaque na foto), também está sendo investigada. A Controladoria Geral havia identificado pagamentos de notas fiscais de um possível fornecimento de gêneros alimentícios no mês de janeiro deste ano para alimentação escolar, sendo que neste período os alunos estavam em período de férias escolares.

Foi constatado ainda que outros produtos também não foram entregues pelas empresas contratadas, porém foram pagos integralmente, causando um prejuízo de R$ 127 mil.

Leia Também:  Polícia Federal suspeita que roubalheira de recursos públicos no País durante este período de pandemia já supere R$ 2 bilhões

O contrato de manutenção preventiva da infraestrutura do campus também foi vistoriado e apresentou indícios de irregularidades. Os servidores públicos estariam exercendo pressão sobre responsáveis pela fiscalização de contratos para liquidação e pagamento de notas fiscais, muitas vezes sem que se verificassem a execução completa do respectivo serviço ou fornecimento de material.

A instituição reforçou ainda o combate à corrupção e que está cooperando com as investigações. As denúncias também estão sendo apuradas pela Corregedoria do IFMT. Convém salientar que  corrupção e roubalheira de dinheiro público se combate com cadeia. Colocar por longos anos na “cheirosa” os responsáveis por tanta ladroagem no País. Ninguém aguenta mais tanto cinismo.

“O IFMT e a equipe do Campus Campo Novo do Parecis estiveram e estão à disposição das autoridades para colaborar com as investigações, e reafirmam o  seu compromisso com o combate à corrupção e respeito à transparência, à legalidade e à lisura nas suas contratações, que estão disponíveis para consulta da comunidade”, diz trecho da nota da instituição.

Leia Também:  Motorista supostamente bêbado atropela e mata casal em moto na BR 158; vítimas tiveram seus corpos dilacerados no grave acidente

 

 

Otavio Ventureli(da redação)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA